Coronavírus: decreto que proíbe funcionamento de bares, academias e casas de show começa a valer nesta sexta em BH

Coronavírus: decreto que proíbe funcionamento de bares, academias e casas de show começa a valer nesta sexta em BH

Minas Gerais tem 29 casos confirmados da Covid-19 (Foto: Carlos Eduardo Alvim/TV Globo)

O decreto da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) que proíbe o funcionamento de casas de shows, boates, danceterias, salões de dança, feiras, exposições, congressos, seminários, shoppings centers, centros de comércio e galerias de lojas, cinemas, teatros, clubes, academias, clínicas de estética, salões de beleza, parques de diversão, parques temáticos, bares, restaurantes e lanchonetes entre em vigor nesta sexta-feira (20). A PBH suspendeu nesta quarta-feira (18) os alvarás.

De acordo com decreto publicado, “caso tenham estrutura e logística adequadas, os estabelecimentos de que trata este artigo poderão efetuar entrega em domicílio e disponibilizar a retirada no local de alimentos prontos e embalados para consumo fora do estabelecimento”.

As medidas foram tomadas para tentar conter o avanço do novo coronavírus em Belo Horizonte. Já são 29 casos confirmados na capital mineira.

A suspensão por tempo indeterminado não se aplica aos supermercados, farmácias, laboratórios, clínicas, hospitais e demais serviços de saúde em funcionamento no interior de shoppings centers.

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) informou em nota que vai acatar o decreto, “mas que isso vai implicar a demissão de cerca de 12 mil funcionários do segmento nos próximos 30 dias, pois o tipo de estabelecimento não suporta manutenção com portas fechadas”.

Em Belo Horizonte, existem 22 mil bares e restaurantes, gerando 130 mil postos de trabalho.

Impostos adiados

Após assinar decreto que suspende o funcionamento de shoppings, casas de shows, academias, bares, restaurantes e outros comércios onde tenha aglomeração de pessoas, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) anunciou que vai adiar a cobrança de tributos para esses estabelecimentos que fecharão, a partir desta sexta-feira (20).

Entre os tributos, está a cobrança do IPTU. O pagamento das parcelas do imposto, do exercício de 2020, com vencimento em abril, maio e junho será adiado por noventa dias.

O anúncio foi feito na noite desta quinta-feira (19), pelo Twitter. Segundo Kalil, serão cerca de R$ 140 milhões em impostos parcelados e adiados.

Fonte: Portal G1

Paciente em tratamento por suspeita de intoxicação por dietilenoglicol reclama de falta de apoio da Backer

Paciente em tratamento por suspeita de intoxicação por dietilenoglicol reclama de falta de apoio da Backer

Dentista faz acompanhamento em BH e chegou a ficar internado na UTI. Backer disse que ele é um 12 consumidores que estão em contato com a empresa por meio do MP (Foto: Reprodução/TV Globo)

Famílias de pacientes com suspeita de intoxicação por dietilenoglicol, substância tóxica encontrada em cervejas da Backer, reclamam da falta de auxílio da empresa. Uma das pessoas que apresentaram os sintomas é o dentista do Sul de Minas Ney Eduardo, que está em tratamento na capital.

“Dia 3 à noite, eu comecei a passar mal. No dia 4, eu estava péssimo e, daí por diante, só fui piorando, piorando. Veio a paralisia facial, sensação de rosto congelado. Depois dificuldade de paladar, visão turva, um pouco de surdez”, relatou o dentista à TV Globo nesta terça-feira (18).

São mais de 40 dias de investigação, mais de 41 lotes de cerveja contaminados por dietilenoglicol e pelo menos 33 casos suspeitos de intoxicação, com 6 possíveis mortes relacionadas ao consumo da cerveja até agora.

Ney e a família estão aliviados porque ele consegue falar e andar, ainda que com dificuldade. Mas já são mais de dois meses de tratamento, cinco deles na UTI. Ele consumiu a cerveja da Backer no ano passado.

“Eu acho que não tenho mais medo da morte. Eu sei mais ou menos o que é morrer porque isso que aconteceu… eu tive uma convulsão nos braços dela. Você cheio de fios, monitores, cateter, oxigênio… eu não respirava, pulmão cheio de líquido”, relembrou Ney Eduardo.

Aos 65 anos e com muita saúde, a rotina do dentista de São Lourenço era, até o ano passado, de bastante trabalho, viagens de moto e pescarias.

“A minha rotina hoje é sentado naquele sofá. Isso que virou a minha vida. Eu quero voltar logo a trabalhar. São 36 anos de odontologia e eu nunca tirei férias”, lamentou.

O dentista reafirmou que está custeando todo o tratamento, pois só a diálise é feita pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O que diz a Backer

Em nota, a Backer informou que a diretora da empresa esteve pessoalmente na casa do paciente, no dia 21 de janeiro, quando se dispôs a ajudar no tratamento da hemodiálise e em outras necessidades.

A assessoria da cervejaria disse que, dois dias depois, a empresa recebeu uma mensagem do advogado da família, que estaria se negando a aceitar a oferta por implicar na redução de uma eventual indenização.

Segundo a Backer, Ney integra o grupo de 12 consumidores que estão em contato com a empresa por meio do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). Ela afirmou ainda que nenhuma decisão judicial define as responsabilidades sobre os fatos ocorridos, já que as investigações estão em curso.

Cerveja Belorizontina, da Backer — Foto: Danilo Girundi/TV Globo

Fonte: Portal G1

Entregador que enfrentou enchente em Belo Horizonte recebe 3 ofertas de emprego

Entregador que enfrentou enchente em Belo Horizonte recebe 3 ofertas de emprego

Agora o entregador pode escolher entre as opções (Foto: Alexandre Mota /O Tempo)

Na última terça-feira, a foto de um entregador do iFood enfrentando uma enchente para entregar um pedido correu a internet. Wesley Francisco Muniz, de 27 anos, estava tentando atravessar a Avenida Prudente de Morais, em Belo Horizonte. A imagem, do fotografo Alexandre Mota, do jornal “O Tempo”, viralizou na web.  

Com a repercussão da imagem, Wesley, que trabalha no mercado informal, recebeu três ofertas de emprego. As propostas surgiram após uma entrevista para a rádio Patrulha da Cidade, na última sexta-feira. “Eu tenho muita vontade de ter um emprego fixo. Desde o ano passado eu venho enviando vários currículos, até 15 por semana, mas por causa da falta de vagas, fica difícil”, contou.

Fonte: Jornal Meia Hora

Chuva destrói parte de BH; MG tem 54 mortos em 6 dias

Chuva destrói parte de BH; MG tem 54 mortos em 6 dias

Região Centro-Sul e Oeste foram as mais afetadas na capital. Duas mortes foram registradas: um homem, em Nova Lima, e uma mulher, em Tabuleiro.

Belo Horizonte amanheceu nesta quarta-feira (29) com estragos em diversos pontos após um temporal atingir a cidade – começou a chover na noite de terça-feira (28). As regiões Barreiro, Centro-Sul e Oeste da cidade foram as mais atingidas. Chove forte em todo o Estado de Minas Gerais desde sexta-feira (24).

Em Nova Lima, Região Metropolitana de BH, um homem morreu no desabamento de uma casa. Em Tabuleiro, na Zona da Mata, uma mulher morreu. Ela estava em um carro que foi engolido por uma cratera que se abriu no asfalto da MG-133.

Com isso, o total de vítimas fatais no Estado desde sexta-feira (24) subiu para 54, segundo o tenente coronel da Defesa Civil Flávio Godinho.

Parte de casa desmoronou em Nova Lima, na Grande BH, no bairro Cristais — Foto: Reprodução/TV Globo

BELO HORIZONTE

Janeiro, que termina nesta sexta-feira (31), é o mês mais chuvoso da história da cidade desde o início da medição climatológica há 110 anos, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A capital mineira completou 121 anos em dezembro de 2019. Até agora, o primeiro mês de 2020 acumulou 932,3 milímetros de chuva na cidade, de acordo com o Inmet. O recorde anterior era de janeiro do ano de 1985, quando o acumulado do mês foi de 850,3 milímetros.

Na madrugada desta quarta-feira, uma cratera se abriu em uma das principais vias de Belo Horizonte, a Avenida Tereza Cristina, na Região Oeste. Na região Oeste choveu 101,6 milímetros em três horas.

Na região Centro-Sul, o Córrego do Leitão transbordou desde a Barragem Santa Lúcia até o centro da capital. O maior volume de chuva foi registrado na região: 175,6 milímetros em três horas. São vários pontos com carros arrastados, trechos do asfalto arrancados e garagens alagadas.

Outro córrego que transbordou foi o Acaba Mundo, que começa no Parque JK, no alto do Sion, e desceu provocando enchentes até o Centro. Nesta manhã, uma cratera se abriu no cruzamento da Avenida do Contorno, com a Rua Professor Morais.

Na BR-356, na chamada curva do Ponteio, também na Região Centro-Sul, um barranco desmoronou e a via precisou ser fechada no sentido Centro. Nesta manhã, duas faixas estavam liberadas no sentido BH Shopping. No shopping, parte do teto desabou durante o temporal.

Também foram registrados alagamentos nas Avenidas Barão Homem de Melo, Silva Lobo e Professor Mário Werneck, todas na Região Oeste.

Até as 6h30, não havia registro de mortes na capital. Em Nova Lima, um homem de 45 anos morreu no desabamento de uma casa.

Fonte: Portal G1 Minas