“NÃO SE PRESERVA A MEMÓRIA DE UM POVO

SEM O REGISTRO DE SUA HISTÓRIA”

Nas duas primeiras operações da fiscalização do transporte público de Belo Horizonte realizadas dentro da política de “Tolerância Zero”, anunciada na última quinta-feira (25) pelo prefeito Fuad Noman, foram vistoriados 15 ônibus e detectadas 46 irregularidades. Ao todo, os fiscais expediram 43 autuações e três advertências, sendo recolhida oito Autorizações de Tráfego (AT).

Agentes da Sumob, BHTrans e Guarda Civil Municipal abordaram oito veículos na região do Barreiro, quando foram feitas 20 autuações. Do total, sete veículos tiveram a AT recolhida no local e um veículo, da linha 329, foi removido por estar com os pneus em péssimo estado, além do mau funcionamento do freio de portas.

De acordo com a Administração Municipal, as irregularidades que mais provocaram autuações nos ônibus vistoriados foram vazamento de óleo, elevador sem funcionamento, freio de porta e ar-condicionado desligados e más condições dos veículos, comprometendo a segurança do passageiros.

Em outra operação realizada no bairro São Geraldo, sete ônibus foram vistoriados, resultando em 23 autuações, três advertências e uma autorização de tráfego (AT) recolhida. Um veículo da linha 9214 foi removido por estar com a AT vencida, apresentar desgaste nos pneus dianteiros, problemas no extintor de incêndio e nos bancos dos passageiros e do motorista.

As irregularidades mais comuns encontradas nos ônibus fiscalizados foram: defeito no elevador e farol, mau funcionamento do freio de porta e falta de luz de ré e de freio.

Todos os oito ônibus que tiveram a AT recolhida ficam impedidos de circular nas ruas até que os problemas sejam reparados. Os veículos precisam passar por uma nova vistoria para receber o documento de volta. Nesse período, não será paga a remuneração complementar, que leva em conta a quilometragem percorrida pelo ônibus.

Fiscalização

Dentro da política de “Tolerância Zero” em relação ao serviço de transporte público, as operações de fiscalização realizadas por equipes da Sumob, Guarda Municipal e BHTrans passam a ser realizadas quatro vezes por semana.

O objetivo é vistoriar a condição dos ônibus, especialmente no que diz respeito a segurança dos passageiros e operadores. Entre julho e dezembro do ano passado foram feitas 2.466 operações de fiscalização, com 38.869 vistorias.

Os veículos que estiverem com mau funcionamento dos elevadores para embarque e desembarque de pessoas com deficiência terão a Autorização de Tráfego (AT) recolhida e a remuneração complementar cortada.

Com informações da Prefeitura de Belo Horizonte

Foto: Adão Souza / PBH