Inscrições para 25 mil vagas de ensino a distância terminam hoje

Inscrições para 25 mil vagas de ensino a distância terminam hoje

Cursos são de português, matemática e tecnologia da informação

Estão abertas até esta sexta-feira (26) as inscrições para 25 mil vagas em cursos gratuitos com 60 horas de duração, de português, matemática e tecnologias da informação e comunicação em casa, ofertados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em parceria com o Ministério da Educação (MEC).

Podem se inscrever estudantes de graduação, concluintes do ensino médio e alunos matriculados na Universidade Aberta do Brasil (UAB) pela plataforma Avacapes.

“A iniciativa é uma grande oportunidade para que os alunos se capacitem com conhecimentos complementares aos estudos regulares, sobretudo neste tempo de pandemia, onde muitos tiveram as aulas interrompidas”, afirma o presidente da Capes, Benedito Aguiar, em nota. 

Segundo Aguiar, a ação estimula o aprendizado, fortalece o ensino a distância e reforça o compromisso do governo federal com a educação e a qualificação de jovens.

Os cursos estão no ar desde abril e 45 mil pessoas já fizeram a qualificação pela internet.  Os conteúdos foram revisados e atualizados por especialistas das áreas. Ao concluir o curso, os estudantes receberão um certificado emitido pela Capes com a carga horária cumprida. 

Fonte: Agência Brasil

Fique em casa: use vassoura, garrafa, sofá para treinar na quarentena

Fique em casa: use vassoura, garrafa, sofá para treinar na quarentena

Não ter academia ou espaço para treinar não são mais desculpas para manter a forma na quarentena. O preparador físico Caio Franco desenvolveu o programa “Circuito Em Casa”.

Objetos como cabo de vassoura ou rodo, cadeira, garrafa pet, sofá e latas são utilizados durante os exercícios físicos em casa. O treino de apenas 19 minutos combina exercícios de cardio, funcional e musculação através de um método exclusivo chamado Estímulo 360, criado por Franco.

O programa tem exercícios de cardio para potencializar a queima de gordura, funcional para tonificação muscular e melhorar o condicionamento físico, e musculação com itens que todo mundo tem em casa para gerar a carga ideal para ganhar massa magra.

Sequência 1
– Agachamento com bastão (pode ser um cabo de vassoura)
– Recuo com bastão
– Posição de agachamento
– Prancha
Orientações: Realizar cada exercício durante 25 segundos. Após realizar todos os exercícios, descansar por 30 segundos. Repetir três vezes a sequência.

Sequência 2
– Avanço com bastão
– Agachamento com salto
– Agachamento sumô com garrafa pet
– Abdômen curtinho com bastão
Orientações: Realizar cada exercício durante 25 segundos. Após realizar todos os exercícios, descansar por 30 segundos. Repetir três vezes a sequência.

Fonte: Site Cenário MT

Quem deve ter direito e como deve funcionar o auxílio de R$ 200 para trabalhadores informais

Quem deve ter direito e como deve funcionar o auxílio de R$ 200 para trabalhadores informais

Governo anunciou medidas na última semana, mas ainda não há previsão para o início do pagamento. Saiba quais serão os critérios para ganhar o benefício (Foto: reprodução TV Globo)

O governo anunciou na semana passada um auxílio mensal de R$ 200 para profissionais informais, microempreendedores ou desempregados enquanto durar a crise do coronavírus.

Segundo o Ministério da Economia, esta medida – que ainda não foi oficializada – deve beneficiar entre 15 e 20 milhões de pessoas e busca garantir renda àqueles trabalhadores que não têm rendimentos fixos e, em geral, também não contribuem para a previdência.

expectativa é que R$ 15 bilhões sejam injetados na economia.

Quando começa o pagamento?

governo federal ainda não informou a data de início do pagamento. Isso porque o texto que estabelece o auxílio emergencial ainda está sendo elaborado.

Durante o anúncio na semana passada, a equipe econômica disse que o benefício será criado por um Projeto de Lei (PL), que vai precisar ser analisado por deputados e senadores antes de entrar em vigor.

Procurado pelo G1, o Ministério da Economia disse que “a proposta deve ser enviada ao Congresso nos próximos dias. Após o envio, serão divulgados os detalhes para a implantação das medidas”.

Quem tem direito?

De acordo com as informações divulgadas até agora, poderão receber os R$ 200 por mês de auxílio trabalhadores informais, titulares de pessoas jurídicas (Micro Empreendedor Individual, ou MEI) ou desempregados, com mais de 18 anos, que estejam em família de baixa renda pelos critérios do Cadastro Único (CadÚnico).

Os critérios são:

  • Renda mensal até meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50);
  • Renda mensal até 3 salários mínimos (R$ 3.135) por família.

Para aqueles que não estão inscritos no CadÚnico, serão utilizados os dados do Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), o banco de dados do trabalhador adotado pela Previdência Social.

Se não fizer parte do CNIS também, os Ministérios da Cidadania e Economia criarão uma plataforma para cadastro dessas pessoas, que vai checar os dados, se elas já trabalham ou recebem benefícios. Caso não tenham nenhuma dessas rendas, o cidadão poderá receber o auxílio de R$ 200.

Quem não tem direito?

auxílio não poderá ser acumulado com benefício previdenciário, Benefício de Prestação Continuada (BPC), Bolsa Família ou seguro-desemprego.

Se o beneficiário for contratado no regime CLT ou se a renda familiar ultrapassar o CadÚnico durante o período de pagamento, a pessoa deixará de receber os R$ 200 mensais.

De que forma será feito o pagamento?

O Ministério da Economia afirmou que o pagamento será feito na conta bancária informada no cadastro do cidadão. A estimativa é que 14 milhões dos quase 20 milhões de beneficiários irão receber desta forma.

Caso a pessoa não tenha nenhuma conta bancária, o governo irá utilizar a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil para elaborar um cartão virtual para que o cidadão possa sacar o valor nos caixas eletrônicos.

Quanto tempo deverá durar o auxílio?

No anúncio da semana passada, o governo estimou que o benefício deverá durar 3 meses ou até o fim da emergência do coronavírus no país.

Impacto na economia

A previsão do governo federal é que o auxílio deverá injetar R$ 5 bilhões por mês na economia, ou seja, cerca de R$ 15 bilhões em todo o período estimado.

O dinheiro sairá dos cofres da União, que ganhou fôlego após a aprovação do estado de calamidade pública, que permite ao governo descumprir a meta fiscal de 2020, que seria de déficit de R$ 124 bilhões, e agora poderá se endividar mais.

Fonte: Portal G1

Prefeitura confirma primeiro caso positivo de coronavírus em Boa Esperança, MG

Prefeitura confirma primeiro caso positivo de coronavírus em Boa Esperança, MG

Informação foi divulgada pelo prefeito Hideraldo Henrique Silva. Paciente é uma mulher de 60 anos que esteve em São Paulo e está internada em Varginha (Foto: TV Boa Esperança)

A prefeitura de Boa Esperança (MG) confirmou o primeiro caso positivo do novo coronavírus na cidade. A informação foi divulgada pelo prefeito Hideraldo Henrique Silva no início da tarde desta terça-feira (24). A mulher está internada no Hospital Bom Pastor, em Varginha (MG).

Segundo o prefeito, o caso é de uma mulher de 60 anos que esteve em São Paulo, onde buscou um parente no aeroporto. A mulher recebeu o primeiro atendimento no Pronto Socorro de Boa Esperança.

Ainda conforme Silva, a paciente foi transferida para o Hospital Bom Pastor, na última semana. Ela passa bem e o quadro de saúde é estável.

Caso confirmado e morte suspeita

A informação do caso de Boa Esperança, até a publicação desta reportagem, não constava no boletim da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). Por enquanto, o único caso positivo confirmado pela secretaria estadual é o de uma mulher de 34 anos, de Poços de Caldas, que também passa bem.

Um outro caso, de um morador do Rio de Janeiro que estava em isolamento domiciliar em São Lourenço foi testado positivo para o coronavírus. No entanto o caso dele não será contabilizado em Minas Gerais, já que ele procurou atendimento e teve o exame confirmado no Rio de Janeiro.

A Prefeitura de Cruzília informou que investiga a morte de um homem, que tinha entre 40 e 50 anos, por suspeita da Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. O resultado dos exames dele ainda não foi divulgado.

Fonte: Portal G1

Datafolha: população confia mais em TV e jornais impressos para se informar

Datafolha: população confia mais em TV e jornais impressos para se informar

Apenas 12% dos entrevistados confiam nas redes sociais neste momento (Foto: John Moore/AFP)

A população diz confiar mais em programas jornalísticos de TV (61%) e nos jornais impressos (56%) para se informar sobre a pandemia da COVID-19, aponta pesquisa realizada pelo DataFolha na última semana. Rádio e site de notícias estão logo em seguida, com 50% e 38% de credibilidade, respectivamente. 

Já as redes sociais, WhatsApp e Facebook estão com baixa reputação em meio à crise do novo coronavírus. Somente 12% das 1.558 pessoas consultadas apontaram as informações compartilhadas nas plataformas como confiáveis. Dos entrevistados, 58% não acreditam no WhatsApp e 50%, no Facebook. 

A maior parte daqueles que confiam mais nas redes sociais são idosos e pessoas com baixa escolaridade. Dos entrevistados que têm até o ensino fundamental concluído, 18% confiam nas informações recebidas pelo WhatsApp e 17% pelo Facebook.  

A pesquisa foi realizada por telefone seguindo as recomendações de afastamento social devido à pandemia. A margem de erro é de três pontos percentuais. 

A coordenadora-geral do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal, Juliana Nunes, diz que a entidade já previa esse resultado ao acompanhar as últimas pesquisas. “Com a disseminação das fake news nos últimos tempos, as pessoas perceberam que não estavam sendo bem informadas pelas redes sociais, apesar do papel importante que elas têm nesse momento”, pontuou a coordenadora.  

O sindicato, assim como o governo, reconhece a importância do trabalho jornalístico em meio a uma crise de saúde pública. Juliana Nunes afirma que “os jornalistas foram preparados para cumprir seu papel, assim como um médico, e eles estão à altura da confiança que a sociedade deposita neles”.

Fonte: Estado de Minas