Filho de empregada e pedreiro, jovem é aprovado em medicina após rotina de 16 horas de estudo em MS

Filho de empregada e pedreiro, jovem é aprovado em medicina após rotina de 16 horas de estudo em MS

Estudante diz que possui “eterna gratidão” aos pais, que o deixaram estudar em período integral. Ele ainda relembra preconceito ao ouvir que “não tinha perfil para ser médico” (Foto: Redes Sociais/Reprodução)

O estudante Daniel Araújo da Costa, de 19 anos, foi aprovado em medicina na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) após rotina de 16 horas diárias de estudo. Filho de empregada doméstica e pedreiro, o jovem fala que possui “eterna gratidão” aos pais, que o incentivaram a se dedicar aos estudos integralmente, até a realização do sonho.

“Meus pais pagaram um cursinho on-line neste ano de 2019 e, no ano anterior, eu já tinha conseguido passar em enfermagem. Eu chegava 6 horas na faculdade e só saía umas 22 horas durante a semana. Nunca desisti do sonho em medicina, mesmo uma professora dizendo uma vez que ‘eu não tinha perfil para isso’. Meu amigo até tentou me defender, mas, eu não consegui falar nada e também não ia discutir com uma professora”, relembrou ao G1 o estudante.

Segundo Araujo, o preconceito acontece de quem “a gente menos espera”. “Eu sempre estudei em colégio público e estava tendo uma aula de sociologia. O assunto virou medicina e a professora sabia que eu fazia o curso técnico de enfermagem, mas, mesmo assim disse que medicina não tinha a ver comigo. Ela nem imaginava o quanto eu batalhava por isso em silêncio e, graças ao incentivo da minha família e minha namorada, consegui ser aprovado”, comentou.

O jovem relembra que, desde a infância, tinha o sonho em ser médico. “Eu falava que seria cardiologista, só que ontem na aula de recepção aos calouros pensei em muitas possibilidades. Quero ser cirurgião, isso eu sei. E posteriormente quero fazer mestrado, doutorado, é muita felicidade, não sei nem explicar. Eu não estava esperando por isso, fiz o vestibular este ano por conta da insistência da minha namorada e minha mãe. Quando eu vi o resultado, me enchi de felicidade”, finalizou.

Estudante usa redes sociais para falar da aprovação em universidade federal de MS — Foto: Redes Sociais/Reprodução

Foto: Portal G1

Estudante que vendia brigadeiro para pagar cursinho é aprovado em medicina na UnB

Estudante que vendia brigadeiro para pagar cursinho é aprovado em medicina na UnB

Lucas Carvalho, de 17 anos, é morador do Sol Nascente e passou em 2º lugar pelo sistema de cotas da universidade. Conheça trajetória (Foto: TV Globo)

Aos 17 anos, o estudante Lucas Carvalho, morador do Sol Nascente, foi aprovado para o curso de medicina na Universidade de Brasília (UnB). Na última terça-feira (22), o candidato descobriu que passou em 2º lugar pelo sistema de cotas para estudar no campus de Brasília.

O jovem conta que antes de descobrir a vontade de ser médico, queria ser músico. Um acidente, no entanto, o fez mudar de ideia. Ao quebrar o braço em 2016 e precisar de atendimento, Lucas passou a madrugada em um hospital com a mãe.

Na ocasião, lembra, sentiu um carinho especial pela profissão de médico “ao ver tantas pessoas precisarem de ajuda”.

“Quando eu entrei no hospital, eu falei assim: essas pessoas precisam de um médico, de alguém que conheça a realidade delas.”

Antes do sonho de ser médico se tornar realidade, o jovem percebeu ainda que precisaria fazer um cursinho preparatório para disputar uma vaga no curso mais concorrido do Processo Seletivo de Avaliação Seriada (PAS) da UnB.

Segundo o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) – responsável pela aplicação das provas – 82 alunos disputam cada vaga ofertada pelo programa.

Lucas passou, então, a vender doces para pagar o cursinho e ajudar nas despesas de casa. Atualmente, o estudante vende os doces na porta da escola, nas ruas e até pelas redes sociais.

Antes do negócio ser colocado em prática, a renda da família Carvalho era de R$ 1,2 mil. Desde então, a produção foi crescendo e, hoje, o jovem empreendedor recebe encomendas para festas, casamentos e aniversários.

Lucas, de 17 anos, fazia brigadeiros para pagar cursinho pré-vestibular. — Foto: TV Globo/Reprodução

Apoio da família

Além do cursinho, Lucas mantinha uma rotina de estudos em casa, e tinha como inspiração um livro médico que ganhou. Ele conta que olhava para o exemplar todos os dias e sonhava com a aprovação.

“Eu olhava para ele todos os dias, e pensava: um dia eu realmente vou usar isso aqui. Eu vou ser médico”.

Lucas é filho da doméstica Ana Paula Carvalho. Ela conta que o filho é “muito amoroso, obediente e dedicado”. Mesmo trabalhando fora o dia todo para conseguir sustentar a casa, Ana Paula afirma que nunca deixou de incentivar o filho.

“O estudo para mim e para ele, hoje significa tudo. Eu não terminei meus estudos, só fiz até a 5ª série”, contou a mãe.

“Eu falava para o Lucas: ‘eu não tenho estudo, mas você vai ser uma pessoa que Deus vai honrar’.”

Família comemora aprovação de Lucas em PAS da UnB — Foto: TV Globo/Reprodução

A doméstica afirma ainda que, “em meio a tanta dificuldade”, acredita que o filho terá um futuro promissor. “Tudo que eu quero é que ele estude, tenha uma casa e vida própria”.

Fonte: Portal G1