Convocação para lista de espera do Sisu começa nesta sexta, 7

Convocação para lista de espera do Sisu começa nesta sexta, 7

Instituições de ensino são responsáveis por realizar as chamadas dos aprovados em lista de espera

As convocações da lista de espera do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do primeiro semestre de 2020 começam nesta sexta-feira, 7 de fevereiro.

Para acompanhar as próximas chamadas os candidatos precisam verificar as convocatórias que serão realizadas pelas instituições de ensino superior onde manifestaram interesse em participar dessa etapa. Cada instituição possui um cronograma próprio.

A adesão para a lista de espera do Sisu começou em 29 de janeiro e permaneceu aberta até 4 de fevereiro. Os candidatos que se inscreveram no sistema de seleção, mas que não foram selecionados em nenhuma das opções de curso, tiveram a chance de participar da lista de espera.

Sisu – O Sisu é uma das formas de ingresso à educação superior com a nota do Enem. Trata-se do sistema informatizado do MEC por meio do qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas a participantes do exame. Quem não conseguir uma vaga pelo Sisu, pode tentar uma vaga pelos vestibulares tradicionais.

Há ainda o Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferta bolsas integrais e parciais (50%) em instituições privadas, o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e o Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies), para financiar o valor da graduação.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social/ Ministério da Educação/ Governo Federal

Aluno de MG que passou em 1º em medicina na USP dá a receita: ‘É mais esforço do que talento’

Aluno de MG que passou em 1º em medicina na USP dá a receita: ‘É mais esforço do que talento’

Estudante de Pouso Alegre também ficou em primeiro em economia na FGV, curso que ele deverá escolher para seguir.

Um jovem de apenas 17 anos, de Pouso Alegre (MG), ficou em 1º lugar pelo Sisu em duas das mais concorridas universidades do país. Com uma nota de 856,34 no Enem, Davi Souza Siqueira foi o primeiro colocado na faculdade de medicina, da Universidade de São Paulo (USP) e na faculdade de economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Davi foi aprovado nas duas universidades na modalidade de ampla concorrência, ou seja, quando o candidato não se encaixa no sistema de cotas e políticas afirmativas. Feliz com o resultado, agora ele tenta lidar com o assédio devido ao resultado que conseguiu.

“Eu me senti muito feliz, eu sinto que esses anos de estudo valeram a pena e estão sendo reconhecidos. O mais importante é que eu passei para a faculdade, eu posso buscar meus outros objetivos lá. Não gosto muito de chamar tanta atenção, mas é legal ter sim essa atenção para mostrar que tudo isso valeu a pena, foi recompensado”, disse o estudante.

“É mais questão de rotina, esforço, do que talento natural”

Durante o período de estudos, Davi tinha aulas de 7h às 12h45 ainda no Ensino Médio e tirava a parte da tarde para assistir conteúdos complementares e também fazer o que gosta. A média de estudos era de cerca de oito horas por dia. Ele diz que tentou aproveitar todo o conteúdo que recebeu durante os anos regulares da escola.

“Desde o primeiro ano eu acho muito importante, no Fundamental também para construir uma base, mas desde o primeiro ano pra você ir tendo os conteúdos bem frescos na mente e você chega no terceiro para aprofundar, para mirar o vestibular e você vai ter tudo bem estabilizado na sua memória pra você ir bem nas provas”, contou o estudante.

Agora de férias, Davi está dando uma relaxada, segundo ele, para voltar com tudo para a faculdade. Mas não deixa de dar dicas para outros estudantes que querem ter um desempenho como o dele.

“Eu recomendo que você faça provas antigas, eu fazia provas antigas no sábado de manhã, das faculdades que eu pretendi. Você vai percebendo o conteúdo e forma dessas provas, então você faz exercícios semelhantes, busca na internet, ou você tem no livro da escola e a partir daí você vai na teoria, para ter um conhecimento mais completo também. Eu recomendo uma ou duas redações por semana pelo menos, que também é bastante importante no Enem”, contou Davi.

Davi é filho de professores, que sempre viram nele o apreço pelo estudo — Foto: Marcelo Rodrigues / EPTV

Aprovado em duas das principais universidades do país, Davi já sabe qual caminho vai escolher: vai fazer o curso de economia da FGV.

“Eu tô bem ansioso para a faculdade, eu já tenho os planos para a minha vida de trabalho, mas acho que eles vão mudar muito ainda. Me sinto satisfeito com o meu Ensino Médio até agora, com a minha educação e pretendo fazer o melhor a partir daqui”, concluiu o estudante.

Os pais de Davi são professores e desde cedo viram no filho o apreço pelo estudo.

“Aqui em casa a gente sempre preservou essa questão do cuidado dos filhos estudarem bastante. Os nossos filhos sempre estudaram muito, sempre tiveram amor por estudar, eu agradeço muito aos professores que passaram pela vida do Davi que despertaram nele essa vontade de conhecer, de aprender e de sempre estudar”, disse a mãe do estudante, Rosa Maria Sousa Siqueira.

Fonte: G1 Sul de Minas