Defesa Civil decreta estado de emergência para duas cidades sul mineiras

Maria da Fé e Nepocumeno aparecem no boletim divulgado nesta sexta-feira (31)

Duas cidades do Sul de Minas foram incluídas no decreto de situação de emergência da Defesa Civil de Minas Gerais. Maria da Fé e Nepocumeno estão no novo boletim de atualização das chuvas no estado.

O boletim foi divulgado na manhã desta sexta-feira (31). Antes, São Gonçalo do Sapucaí já aparecia na lista porque uma área cedeu com o acúmulo de água, segundo a prefeitura municipal. Santa Rita do Sapucaí também está no decreto desde novembro, por conta da chuva que matou uma pessoa.

Com a atualização, subiu para 196 o número de cidades em situação de emergência decretada pela Defesa Civil por conta das chuvas em Minas Gerais. Até o boletim desta quinta-feira (30), eram 101 cidades.

A ampliação da situação em 95 municípios foi publicada em decreto do governador Romeu no Diário Oficial. Minas Gerais já registrou 55 mortes em decorrência das chuvas. Vários estragos foram provocados no estado.

A medida vale por 180 dias e possibilita ações mais céleres para a recuperação dos estragos e auxílio à população. Todos os órgãos estaduais estão autorizados a atuar nos trabalhos sob coordenação da Defesa Civil de MG.

Fonte: G1 Sul de Minas

Novo coronavírus é emergência de saúde internacional, declara OMS

Novo coronavírus é emergência de saúde internacional, declara OMS

Anúncio foi feito em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (30). Órgão pede ação internacional coordenada para o combate à doença

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou nesta quinta-feira (30) que os casos do novo coronavírus 2019 n-CoV são uma emergência de saúde pública de interesse internacional. São milhares de infecções na China e em 18 países. Com isso, uma ação coordenada de combate à doença deverá ser traçada entre diferentes autoridades e governos.

“Devemos lembrar que são pessoas, não números. Mais importante do que a declaração de uma emergência de saúde pública são as recomendações do comitê para impedir a propagação do vírus”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Até o momento, a OMS havia usado a denominação “emergência de saúde pública de interesse internacional” apenas em casos raros de epidemias que exigem uma vigorosa resposta internacional, como a gripe suína H1N1 (2009), o zika vírus (2016) e a febre ebola, que devastou parte da população da África Ocidental de 2014 a 2016 e ainda atinge a República democrática do Congo desde 2018.

Na semana passada, nos dias 22 e 23 de janeiro, a comissão especial passou dois dias em discussão e acabou decidindo que “ainda era cedo” para declarar emergência. Com a alta contínua no número de casos, o órgão de saúde ligado à Organização das Nações Unidas (ONU) elevou a avaliação de risco de “moderado” para “elevado” cinco dias depois das reuniões.

Raio X do novo coronavírus — Foto: Amanda Paes e Cido Gonçalves/Arte G1

Nome oficial

A OMS também divulgou o nome oficial da doença causada pelo novo coronavírus: “Doença Respiratória de 2019-nCoV”. Até então, são 7.818 casos confirmados pelo mundo, sendo 7.736 na China. São 170 mortes devido à infecção.

Mais cedo, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos confirmaram que o país registrou o primeiro caso de transmissão interna do novo coronavírus.

De acordo com o CDC, trata-se de uma pessoa que conviveu com uma mulher de Chicago que tinha viajado para Wuhan, na província de Hubei, na China. A maioria das mortes e pessoas infectadas está nesta região, epicentro do surto. O caso registrado nos EUA não é o primeiro do tipo no mundo.

Ciclo do novo coronavírus – transmissão e sintomas — Foto: Aparecido Gonçalves/Arte G1

Posição do Brasil

O secretátio de Vigilância em Saúde do Brasil, Wanderson de Oliveira , disse que o protocolo no Brasil não deverá mudar após a declaração de emergência da OMS e que o Ministério da Saúde já está com um planejamento de contingência. A informação foi divulgada em entrevista coletiva em Brasília.

“Só quando tivermos um primeiro caso confirmado é que declararemos emergência de saúde pública no Brasil. Junto à OMS nós verificamos e analisamos as condutas, se temos que mudar ou adaptar de acordo com a OMS”, disse Oliveira.

Brasil continua com 9 casos suspeitos do novo coronavírus 2019 n-CoV e em seis estados. De acordo com a pasta, houve 43 notificações ao todo, e nenhum caso provável ou confirmado. Os dados são referentes ao período de 18 a 30 de janeiro de 2020.

Coronavírus no Brasil:

  • 9 casos suspeitos
  • 43 notificações
  • 0 caso provável e 0 confirmado
  • 6 descartados – chegaram a ser uma suspeita, mas a investigação descartou o vírus
  • 28 excluídos – não apresentaram os requisitos para serem enquadrados como suspeita

Os casos suspeitos foram registrados em Minas Gerais (1), Rio de Janeiro (1), Rio Grande do Sul (2), São Paulo (3), Paraná (1) e Ceará (1).

No balanço anterior, divulgado nesta quarta-feira (29), a pasta também havia citado nove casos suspeitos em seis estados. O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, explicou que o fato de o número ter se mantido não significa que se trate dos mesmos registros informados na véspera.

Fonte: Portal G1

OMS  declara emergência global pelo coronavírus

OMS declara emergência global pelo coronavírus

De acordo com o órgão, são 15 países com casos registrados

O diretor-executivo do programa de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan, disse nesta quarta-feira (29), em entrevista coletiva, que a entidade irá decidir nesta quinta (30) se vai declarar emergência global por causa da epidemia de coronavírus.

Ryan ressaltou que acredita que ainda seja “possível interromper a cadeia de transmissão do vírus”, mas clamou o mundo a agir e ficar alerta.

“Temos 15 países com casos registrados de coronavírus… mas o mundo inteiro precisa estar pronto para tratar novos casos que apareçam”.

O funcionário da OMS elogiou os esforços do governo central da China e de Wuhan, cidade que é o epicentro da epidemia, para conter a propagação dá doença. Ele disse que a fonte que gerou o surto ainda não está esclarecida.

Com 132 mortes confirmadas na China e quase 6 mil contaminados, o número de infectados pelo surto atual de coronavírus já superou o do Sars, entre 2002 e 2003. A letalidade, no entanto e até aqui, é menor, já que mais de 700 foram mortos pelo surto do começo da última década.

Fonte: OMS