Projeto Educa em Casa: educação durante a pandemia

Projeto Educa em Casa: educação durante a pandemia

No dia 18 de Março de 2020 o Ministério da Educação decretou a suspensão das aulas presenciais, devido à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). No entanto, a Secretaria Municipal de Bom Jardim de Minas através do secretário de educação Sérgio Costa de Paiva Freitas, buscou estratégias de ensino remoto e com isso desenvolveu o projeto Educa em Casa que teve início no dia 5 de Maio de 2020, amparado pela portaria nº 041 de 14 de Abril de 2020 que dispõe a reorganização do calendário escolar.

O PROJETO

A coordenadora da Escola Municipal Monsenhor Nardy, Camila Rodrigues dos Santos, fala sobre a importância deste momento nas escolas do município, “ajudo na elaboração de atividades para os alunos da zona rural e os que não possuem acesso à internet. Esta ação garante igualdade no aprendizado. O foco do projeto é manter o vínculo com o aluno e, mostrar o quanto estamos com saudade”, comenta.

Devolução de material escolar da Creche Municipal CASINHA DOS SONHOS (crédito Secretária Municipal de Educação)
Creche de Bom Jardim de Minas (crédito Secretária Municipal de Educação)

O diretor da escola municipal do distrito de Taboão, Sílvio José de Almeida Medeiros, fala sobre o desenvolvimento do projeto. “Para a realização do projeto Educa em Casa, foi desenvolvido um comitê educacional para atender os alunos da área urbana e rural. Os profissionais de educação seguem todas as medidas de prevenção, com a utilização de máscaras, luvas e álcool em gel, todos os kits passam por desinfecção e são empacotados seguindo as normas de saúde. Os alunos e familiares têm recebido muito bem a equipe; apesar da pandemia, estamos desenvolvendo com sucesso o Educa em Casa.” Explica.

Diretor da Escola Municipal do Distrito de Taboão, Sílvio José de Almeida Medeiros
Escolas Municipais  no Distrito do Taboão

Para a diretora da Escola Infantil Municipal Balão Mágico, Mayra Garcia da Silva, “devido a pandemia os educadores tiveram que adaptar sua rotina doméstica a nova forma de trabalho, eles precisaram reinventar sua maneira de dar aulas e lidar com outras dificuldades, como a tecnologia e a utilização das ferramentas virtuais. No entanto, a pandemia nós ensinou o real valor de habilidades, como: a criatividade, comunicação, colaboração e resolução de problemas, mas uma coisa é certa, nada mais será como antes, a educação terá que ser vista de um modo ainda mais inovador”, complementa.

 Na Escola Técnica Orlando Altomare de Carvalho, a diretora Vivian A. Nunes Gonçalves e a secretária Maria Cleonice Cunha, falam como o momento da pandemia está na escola, “Em nosso curso Técnico Contábil e Enfermagem, os alunos com o acesso à internet, possuem o grande desafio de aprender a gerenciar o tempo dentro de casa e ter disciplina para estudar no modelo EAD.

Prédio onde funciona as escolas: E. M. Monsenhor Nardy, Escola Técnica Orlando Altomare de Carvalho e a E. M Balão Mágico)

Ainda sobre o cenário atual nacional, a diretora Vivian e a secretária Maria Cleonice, falam que “a grande dificuldade no Brasil, assim como nos demais países, é a situação imprevisível em uma área que não tem tradicionalmente a cultura do digital, do trabalho remoto ou da educação a distância. Isso é novo e complexo para quem trabalha com educação básica e técnica nas escolas públicas”, completaram.

 Kit Merenda Escolar

Em concomitância ao projeto Educa em Casa, a Secretaria de Educação de Bom Jardim de Minas desenvolveu o Kit Merenda. Essa oportunidade é voltada aos familiares dos alunos que faz parte da rede pública de ensino e está com as aulas paradas. Muitos jovens e crianças contavam com a merenda como uma de suas refeições, por isso surgem essas ajudas específicas. O critério usado para a distribuição do Kit é o cadastro ao benefício do Bolsa Família, com isso é feito um acompanhamento em parceria com o CRAS.

Eliane Aparecida da Silva, coordenadora da Creche, tem acompanhado o motorista Onofre para a entrega do Kit Merenda na zona rural do município, “estamos lutando juntamente ao comitê de enfrentamento ao Covid-19, para que esse período possa ser o mais tranquilo possível”, destaca, segundo a coordenadora, a ideia de entregar o Kit Merenda surgiu devido ao estoque de merenda das escolas, então com a alimentação estocada foi possível montar os Kits, não é uma cesta básica, é um complemento alimentar, que é entregue para alunos beneficiários do bolsa família.

O motorista Onofre Renato Santos, comenta um pouco da sua rotina com a pandemia, “é indispensável fazer parte desse projeto, estamos ajudando os alunos e suas famílias nesse momento de pandemia, em que estamos unidos, e isso é muito importante.” Uma mãe de um aluno do distrito de Taboão, zona rural do município, Rosângela de Fátima Landim, fala como recebe o kit merenda e a atividade do filho, “é muito bem-vindo e ajuda muito, apesar da dificuldade de auxiliar o filho nos estudos, o acompanhamento mesmo distante dos professores nos ajudam muito.”

Entrega das atividades comunidade Taboão, professores e motoristas

Sobre o Comitê Educacional

O Comitê Educacional implementado pela secretaria de educação municipal vem organizar e estruturar o projeto em todo seu contexto administrativo. Sem o Comitê ficaria inviável a logística para colocar em prática o projeto. De acordo com a diretora da Escola Municipal Monsenhor Nardy, Marina Miron “O Comitê atua com muito zelo e competência, diretamente com os professores, pais ou responsáveis dos alunos. Portanto tem sido de grande importância para a educação nesse momento difícil devido a pandemia do Coronavírus”.

Integrantes do Comitê Educacional: Adriana Rodrigues de Bem; Adriana Lopes Peçanha; Ana Cláudia Aquino Alves, Andreyna Ap. Silva de Carvalho; Andrezza Oliviera Esteves; Carla Patricia da Silva Almeida Domingos; Cristiane Soares da Silva Almeida; Cristina Marques; Eliane Aparecida da Silva; Elisandreia Ap. Nunes Tinoco; Fatima Graciana Landim; Gabrielle Ap. Rodrigues Marques; Liliane de Paula Rezende; Livia Vargas Nardy Teixeira; Vanêssa Maria Altomare Campos e Sinara Ap. Nunes de Moura, Nayara Tatiana da Silva Cruz e Thaís Glória de Almeida, Diretores, Coordenadores e Supervisores.

Estas estão diretamente ligadas ao comitê e atuam fortemente em todos os processos administrativos que envolvem o projeto Educa em Casa.

Organograma dos profissionais da educação

TODOS PELA EDUCAÇÃO: “Diante dos fatos mencionados, é notório que o município de Bom Jardim de Minas está com um excelente projeto educacional, no qual profissionais têm se dedicado muito em prol de seus alunos, e toda essa dedicação vem apresentando significativos resultados que são observados através de gráficos e pesquisas. O projeto Educa em Casa foi avaliado pela Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG) e recebeu diversos elogios. Sabemos que nada substitui a relação presencial entre alunos e professores em sala de aula, mas é nossa função garantir a continuidade dos estudos de nossas crianças e jovens mineiros da melhor forma possível, pois segundo o pedagogo Paulo Freire a educação não deve ser negligenciada.” Secretário Municipal de Educação, Sérgio Costa de Paiva Freitas.

Universidades auxiliam nos Planos de Estudos Tutorados

Universidades auxiliam nos Planos de Estudos Tutorados

A rede estadual de ensino mineira está iniciando um novo ciclo do Regime de Estudo não Presencial. Nessa semana, o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG), disponibiliza para alunos, pais e/ou responsáveis e professores o segundo volume do Plano de Estudos Tutorados (PET). O material traz conteúdos e atividades que dão continuidade ao primeiro volume e contou com o apoio de universidades mineiras.

O PET Vol II foi produzido pelos professores da rede estadual de ensino. A União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação Seccional Minas Gerais (Undime-MG) auxiliou na elaboração do material voltado para a educação infantil e para os anos iniciais do ensino fundamental. Já as universidades mineiras auxiliaram no processo de revisão de conteúdo e ortografia.

Cada universidade apoiou na revisão do material por área do conhecimento: a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) fez a revisão de matemática, a Universidade Federal de Viçosa (UFV) ficou responsável pelos conteúdos de ciências humanas e linguagens e a Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) fez a revisão dos conteúdos de ciências da natureza. 

A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), a Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) e a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) também apoiam a secretaria na revisão dos materiais e estão trabalhando no terceiro volume do PET.

Como acessar

Para baixar o PET Vol II, pais, responsáveis, alunos e professores que têm acesso à internet podem acessar o site estudeemcasa.educacao.mg.gov.br ou o aplicativo Conexão Escola e localizar o material relacionado ao ano de escolaridade, disponibilizado gratuitamente. Não é necessário imprimir as apostilas, já que exercícios e atividades podem ser feitos no caderno ou em uma folha a parte.

Já para os alunos que não têm celulares ou acesso à internet, os PETs serão entregues, de graça, em suas residências. sempre respeitando as determinações da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) por causa da pandemia da covid-19.. A partir de um levantamento cuidadoso feito pelos diretores escolares foi possível saber, nominalmente, a necessidade de cada aluno da rede.

No primeiro ciclo de atividades do ensino remoto na rede estadual mineira, cerca de 97,5% dos estudantes tiveram acesso aos materiais do Regime de Estudo não Presencial. Aproximadamente 400 mil PETs foram impressos e entregues nas residências dos alunos. 

“Estamos muito satisfeitos com o resultado do primeiro ciclo e indo para o segundo muito mais animados e preparados. Estamos tendo a oportunidade de fazer uma busca ativa dos estudantes, já que os diretores conhecem, nominalmente, a necessidade de cada um”, destaca a secretária de Estado de Educação, Julia Sant’Anna.

Importante destacar que, desde o início do Regime de Estudo não Presencial, a SEE/MG conta com um canal aberto para que sejam enviadas sugestões, questionamentos e dúvidas sobre os Planos de Estudos Tutorados. As contribuições podem ser encaminhadas para o e-mail escoladeformacao@educacao.mg.gov.br.

Fonte: Agência Minas

Uma das maiores universidades do Brasil chega a Santa Rita de Jacutinga

            A atual Administração, através do Prefeito Senhor Luiz Fernando Osório, Secretária Municipal de Educação Ester Aparecida de Menezes e Secretária Municipal de Administração Elizabeth Bittar Osório fez uma parceria com o Instituto Educar e a Universidade Metropolitana de Santos para implantar no município de Santa Rita de Jacutinga uma das maiores Universidades do Brasil, a Unimes.

            São mais de 50 Cursos Superiores, Cursos de Pós-graduação, com mais de 40 anos de existência e 160 Polos em todo Brasil. A Unimes tem a sede localizada em Santos, litoral do Estado de São Paulo, e agora com um Polo de Apoio Presencial em Santa Rita de Jacutinga.

            Os Cursos da Universidade serão oferecidos para toda a região. Santa Rita de Jacutinga passou a ser um Polo Universitário de Educação e Pesquisa.

            O Instituto Educar, representante desta parceria, pretende trazer todas as modalidades de cursos oferecidos, como Cursos Técnicos de Formação de Trabalhadores, entre outros.

            Importante ressaltar que a cessão de uso do Prédio da Rede Municipal de Educação, onde agora também será o Polo Universitário do Instituto Educar / Unimes, foi aprovada pela Câmara Municipal, através de Projeto de Lei enviado pelo Executivo, por tempo indeterminado, o que assegura a todos os estudantes a conclusão dos estudos e a formação de futuros profissionais que contribuirão para o crescimento da Educação Superior e Técnica em Santa Rita de Jacutinga e toda região.

Fonte: Prefeitura Municipal de Santa Rita de Jacutinga

Menina morre ao cair e bater a cabeça durante “desafio da rasteira”

Menina morre ao cair e bater a cabeça durante “desafio da rasteira”

A adolescente participava de uma brincadeira com outras duas meninas que guiavam a colega sobre como proceder, quando ela bateu a cabeça no chão e acabou se ferindo (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

O caso de uma menina que morreu após participar de uma brincadeira que se popularizou na internet chama a atenção para o perigo desse tipo de viral. Emanuela Medeiros, de 16 anos, bateu a cabeça no chão na Escola Municipal Antônio Fagundes, em Mossoró, no Rio Grande do Norte (RN).

Ela sofreu traumatismo craniano, foi socorrida pela direção do colégio e levada ao Hospital Regional Tarcísio, mas morreu. O caso aconteceu em novembro do ano passado, mas viralizou esta semana. 

A adolescente participava de uma brincadeira com outras duas meninas que guiava a colega sobre como proceder. Após pular e sofrer uma rasteira, ela bateu a cabeça no chão e acabou se ferindo. 

Um vídeo com a brincadeira é reproduzidio por diferentes crianças e está circulando pelas redes sociais. Os pais alertam para o perigo. “Orientamos nossas crianças a não praticarem e nem participarem deste perigo”, diz o texto que acompanha o vídeo. 

Fonte: Correio Braziliense

Convocação para lista de espera do Sisu começa nesta sexta, 7

Convocação para lista de espera do Sisu começa nesta sexta, 7

Instituições de ensino são responsáveis por realizar as chamadas dos aprovados em lista de espera

As convocações da lista de espera do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do primeiro semestre de 2020 começam nesta sexta-feira, 7 de fevereiro.

Para acompanhar as próximas chamadas os candidatos precisam verificar as convocatórias que serão realizadas pelas instituições de ensino superior onde manifestaram interesse em participar dessa etapa. Cada instituição possui um cronograma próprio.

A adesão para a lista de espera do Sisu começou em 29 de janeiro e permaneceu aberta até 4 de fevereiro. Os candidatos que se inscreveram no sistema de seleção, mas que não foram selecionados em nenhuma das opções de curso, tiveram a chance de participar da lista de espera.

Sisu – O Sisu é uma das formas de ingresso à educação superior com a nota do Enem. Trata-se do sistema informatizado do MEC por meio do qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas a participantes do exame. Quem não conseguir uma vaga pelo Sisu, pode tentar uma vaga pelos vestibulares tradicionais.

Há ainda o Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferta bolsas integrais e parciais (50%) em instituições privadas, o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e o Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies), para financiar o valor da graduação.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social/ Ministério da Educação/ Governo Federal