São Lourenço recebe oficina de jongo no quarto “Vem Mano Meu”

São Lourenço recebe oficina de jongo no quarto “Vem Mano Meu”

Organizado pela Associação Cultural Bangalô da Capoeira, junto ao mestre Tucano Preto, o evento “Vem Mano Meu” chegou a sua quarta edição no sábado, 7 de março, em São Lourenço. Com diversos apoios institucionais e culturais, o evento contou ainda com o apoio da Prefeitura Municipal de São Lourenço, por meio da Diretoria de Cultura, e São Lourenço Convention & Visitors Bureau.

O Jongo é um patrimônio Imaterial registrado pelo IPHAN. É uma forma de expressão afro-brasileira que integra percussão de tambores, dança coletiva e cantoria com elementos mágicos-poéticos. Uma forma de louvar os antepassados, consolidar tradições e afirmar identidades.

“Está sendo lindo e importante para nossa cidade. O professor Ronaldo Sonyc abordou os elementos centrais do jongo, as matérias primas na confecção dos tambores, a madeira e o couro, nestes que são reverenciados para abrir a roda, além dos pontos e das palavras cantadas de expressões únicas na cultura do Jongo. É um encontro que proporciona o diálogo para além da cultura de massa, valorizando e reconhecendo a multifacetada identidade cultural brasileira, presente fortemente na nossa Mantiqueira”, falou, agradecida, a Diretora de Cultura Paula Alves Netto.

Sobre o projeto
A Associação Cultural Bangalô da Capoeira é um projeto social de capoeira que existe há sete anos, fundada pelo graduado Ericsson Maradona Noronha dos Santos, e que há quatro anos vem sendo desenvolvida por Anderson Aparício Catarino e Luciana Maciel Alves, hoje presidente, idealizadora, aluna e voluntária do projeto. “Nosso objetivo é preparar novos atletas que acrescentem e difundam a capoeira em todos os ambientes da sociedade, através de aulas, oficinas, palestras e eventos diversos, estimulando, apoiando e promovendo sua missão”, conta Luciana Alves.

O projeto hoje atende 50 alunos desde os 3 anos até a idade adulta. A associação representa a escola de capoeira Abassá Dendê Maruô, administrada por Ricardo Laércio da Silva Oliveira, Mestre Tucano Preto. O nome da escola vem do dialeto Yorubá, que significa “caminho da prosperidade”. As aulas são ministradas pelos professores graduados Anderson Aparício Catarino, mais conhecido como Sarará, e Fabrício Vanine Gabriel Pimenta da Cruz, o Quinduke, também voluntários.

O 4° Vem Mano Meu é um evento organizado uma vez no ano com o intuito de apresentar os alunos iniciantes para o mundo da capoeira, testar o conhecimento e incentivar aqueles que trocaram de corda. Participaram 80 capoeiristas, sendo 30 do estado de São Paulo e redondezas de Minas Gerais. Ao todo, 14 alunos foram batizados e oito trocaram de corda.

“O Projeto Bangalô da Capoeira deixa seus agradecimentos a todos que contribuíram para mais uma festa. Sem ajuda e parceria nada teria acontecido”, destaca Luciana.

Fonte: Prefeitura Municipal de São Lourenço
Com informações de Luciana Maciel Alves/ Associação Cultural Bangalô da Capoeira

Fotos: Luciana Maciel Alves/ Associação Cultural Bangalô da Capoeira