Animais para adoção procuram novas famílias em Brasília

Animais para adoção procuram novas famílias em Brasília

O início do ano é sempre um momento de renovação. Entre os planos para o ciclo que se inicia, pode estar a companhia de um novo amigo – ou, para muitos, um novo membro da família. Na gerência de Vigilância Ambiental, em Brasília, há 10 animais, entre cães e gatos, à espera de adoção. Os animais são dóceis e saudáveis, machos e fêmeas, sem raças definidas.

Isaías Silva Chianca, gerente de zoonoses da Diretoria de Vigilância Ambiental do Distrito Federal, conta que os animais são levados para a zoonoses por diversas razões, como agressões, maus-tratos, abandono ou por vínculo epidemiológico, quando há suspeita de oferecerem risco à saúde pública.

Alguns dos cachorros que estão disponíveis para adoção foram levados para lá por ordem judicial, há cerca de dois anos. “Os animais que estão aqui vieram em virtude de uma acumuladora de cães, que foi internada para tratamento de saúde. O juiz determinou que nós ficássemos com os animais. Nós os recebemos e eles foram encaminhados para adoção”, explica Chianca.

O gerente de zoonoses do DF ressalta que, quando os animais chegam à zoonoses, eles são examinados. É feita triagem, exame de leishmaniose e de raiva. Tendo resultado negativo, aplica-se a antirrábica, controle de vermes, carrapatos e pulgas e os animais são disponibilizados para adoção. Além disso, todos os bichos são castrados.

Como adotar

Chianca explica que os critérios da zoonoses para adoção são bastante objetivos. “A pessoa precisa ser maior de idade e ter comprovante de residência. Cumprindo esses critérios, ela vai assinar um termo de responsabilidade, no qual se conscientiza que precisa tratar bem esses animais e que, a partir daquele momento, passará a ser responsável pela guarda deles.”

Para levar um pet para casa, é necessário dirigir-se à Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival), portando documento de identificação e levando coleira, no caso de adoção de cães, ou caixa de transporte, para gatos.

Bons cuidados

Quem pretende adotar um animal deve levar em conta que, se o bichinho vai dormir ou viver em ambiente externo, é importante que ele tenha uma área onde possa se refugiar do sol, da chuva, do vento, do calor e do frio.

O local de descanso, fora ou dentro da casa, deve ser confortável e limpo. Casas devem ser cercadas e protegidas para impedir a fuga do animal. Em apartamentos, as janelas devem ser teladas para evitar quedas, fugas e acidentes.

A Dival fica no Setor de Áreas Isoladas Norte (Sain), lote 4, Estrada do Contorno Bosque, Noroeste. O horário de visitação é das 10h às 15h, de segunda a sexta-feira.

Informações e Fotos:Agência Brasil