Fiocruz Minas participa de estudo para vacina contra Covid-19

Fiocruz Minas participa de estudo para vacina contra Covid-19

06/04/2020

Fonte: IRR/Fiocruz Minas

Pesquisadores da Fiocruz Minas estão integrando uma rede do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Vacinas (INCTV) para o desenvolvimento de uma vacina contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2). O estudo terá como base uma técnica elaborada pelo Grupo de Imunologia de Doenças Virais da Fiocruz Minas, que utiliza o vírus da influenza para gerar resposta imunológica contra o novo coronavírus. 

“A técnica consiste em usar o vírus da influenza como vetor vacinal. Como se trata de um vírus defectivo para a multiplicação, ele não causa a doença, mas gera produção de anticorpos. Com esse processo, uma das possibilidades é desenvolver uma vacina bivalente, que possa ser usada contra influenza e contra o coronavírus”, explica o pesquisador Ricardo Gazzinelli, líder do Grupo de Imunopatologia da Fiocruz Minas e coordenador do INCTV. A rede de estudo no INCT, sediado em Belo Horizonte, é formada por laboratórios de diferentes instituições.

A pesquisa envolve diversas etapas. Para iniciar o estudo, os pesquisadores trabalharão na construção do vírus recombinante. O vírus da influenza será modificado dentro do laboratório para que ele possa transportar parte da proteína do novo coronavírus, que lhe dará capacidade de oferecer proteção contra a Covid-19.

“Terminada esta etapa de construção, serão feitos testes em células infectadas para avaliar se o vírus de fato está produzindo a proteína do Sars-CoV-2. Trata-se de um ‘teste de qualidade do vírus’. A partir daí, iniciam-se novos processos que envolvem testes em camundongos e, futuramente, ensaios clínicos”, explica o pesquisador Alexandre Machado, do Grupo de Imunologia de Doenças Virais da Fiocruz Minas, que está à frente do desenvolvimento desta técnica. 

De acordo com Machado, o estudo conta com vários parceiros, que atuarão em diferentes fases da pesquisa. “Trata-se de um esforço coletivo envolvendo os vários membros da minha equipe: pós-doutorandos e alunos de pós-graduação, os quais estão na linha de frente deste projeto, e a colaboração com pesquisadores de diferentes instituições do Brasil, atuando conjuntamente e somando esforços para termos uma vacina nacional, que possa ser distribuída pelo Sistema Único de Saúde [SUS]”, destaca.

Gazzinelli ressalta que, embora as atividades já estejam em andamento, o desenvolvimento de uma vacina leva tempo. Em situações de calamidade pública, como a atual, em que as decisões relacionadas a financiamento são mais céleres, é possível chegar a resultados em torno de dois anos a três anos. “Este é um momento importante em que a ciência vem sendo chamada e nós estamos preparados para dar a nossa contribuição”, afirma.

Os projetos do INCTV são financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

De máscara, Bolsonaro anuncia que ministro Bento Albuquerque contraiu coronavírus

De máscara, Bolsonaro anuncia que ministro Bento Albuquerque contraiu coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro, de máscara, durante o anúncio Foto: Reprodução TV

O militar é o segundo ministro a contrair a doença; mais cedo, o general Augusto Heleno informou que testou positivo para Covid-19

RASÍLIA — Usando uma máscara durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro anunciou na tarde desta quarta-feira que o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, contraiu o novo coronavírus.

Acompanhado de outros ministros, também com máscaras, ele justificou a medida citando a infecção do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, divulgada mais cedo, e de Albuquerque, revelada por ele.

A coletiva estava marcada para as 14h30 e começou com 15 minutos de atraso, no Salão Oeste do Planalto. Além do presidente e dos ministros, outros funcionários da Presidência, entre eles seguranças, também utilizam máscaras.

Além dos ministros, como o da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e da Economia, Paulo Guedes, o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres também se sentou à mesa ao lado de Bolsonaro.

Fonte: O Globo

Foto: Reprodução TV

Brasil tem 291 casos confirmados de novo coronavírus

Brasil tem 291 casos confirmados de novo coronavírus

Dos casos registrados no Brasil, 166 são importados (57%), 92 de transmissão local (32%) e 35 de transmissão comunitária (12%), e 7 casos estão em investigação (2%).

O Ministério da Defesa divulgou nesta terça-feira (17) o novo balanço de casos confirmados de novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil. Os principais dados são:

  • 291 casos confirmados, eram 235 na segunda-feira
  • Maioria está em dois estados: SP tem 164 e o Rio de Janeiro, 33.
  • 8.819 casos suspeitos
  • 1.890 casos descartados

O salto no número de casos suspeitos, de acordo com o ministério, já era esperado porque os estados passaram a incluir diretamente os casos no sistema com a supervisão de um algoritmo. Foram mais de 6 mil casos incluídos na lista. No balanço anterior, eram 2.064 casos suspeitos, o que significou um aumento de 327%. Segundo a pasta, boa parte desses milhares de casos estavam engarrafados porque antes dependiam da supervisão manual de técnicos federais.

O balanço oficial ainda não contabiliza a primeira morte, que foi confirmada em São Paulo. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, explicou que é normal ocorrer diferença entre os números do balanço federal e os casos divulgados nos estados. “Não é online. Ocorre com certa frequência de as secretarias noticiarem casos após (a consolidação do balanço do ministério)”, disse Mandetta.

“Tivemos hoje o primeiro óbito. Eu achava que teríamos antes. Não temos ainda a condição da letalidade, mas é interessante essa impressão do primeiro óbito (diante do atual número de casos)”, disse o ministro.

Perfil dos casos

Entre os casos confirmados, há 28 pessoas hospitalizadas. Do total de casos, 166 são importados (57%), 92 de transmissão local (32%) e 25 de transmissão comunitária (12%), e 7 casos estão em investigação (2%).

Fonte: G1

Regina Duarte chega a Brasília, confirma almoço com Bolsonaro e diz que ainda está ‘noivando’

Regina Duarte chega a Brasília, confirma almoço com Bolsonaro e diz que ainda está ‘noivando’

Atriz ainda não confirmou se aceita convite para assumir a Secretaria Nacional de Cultura

BRASÍLIA – A atriz Regina Duarte chegou nesta quarta-feira a Brasília onde deverá almoçar com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O convite para o almoço foi confirmado por ela ao falar rapidamente à imprensa. Regina é cotada para assumir a Secretaria Nacional de Cultura após a saída de Roberto Alvim.
Regina chegou a Brasília por volta das 12h. Ao desembarcar, disse que o convite para almoçar com Bolsonaro teria surgido ainda durante o voo à capital federal.

Questionada sobre se já havia aceitado o convite para assumir a pasta, ela usou a metáfora sobre casamento e noivado utilizada por Bolsonaro ao falar sobre o assunto.

— Hoje, não. Noivado é noivado. Tem que ter um tempo. — disse a atriz —Vou continuar conversando. Noivando, noivando.

Questionada sobre a possibilidade de recriação do Ministério da Cultura, Regina Duarte desconversou.

— Não sei e não acho que é importante falar disso neste momento — disse.

Fonte: Jornal O Globo