Polícia Militar lança projeto com Bases de Segurança voltadas para trânsito rodoviário

Polícia Militar lança projeto com Bases de Segurança voltadas para trânsito rodoviário

Condutores que transitam em Belo Horizonte e Região Metropolitana passando pelo Anel Rodoviário contam com o projeto Base de Segurança Rodoviária (BSR) a partir desta quarta-feira (5/1). São três Bases que funcionarão em pontos estratégicos diariamente das 6h às 22h. Lançado pelo Batalhão de Polícia Militar Rodoviária (BPMRv), o projeto-piloto pretende dar mais agilidade ao atendimento à população, aumentar as fiscalizações, reduzir a criminalidade e prevenir acidentes.

Semelhante ao projeto Bases de Segurança Comunitária (BSC), implementadas em quase todo o estado, a adaptação rodoviária terá o emprego diário de três viaturas tipo Van, com efetivo de quatro policiais militares em cada equipe, sendo dois na base e dois em motocicletas, patrulhando ao longo dos 29 quilômetros do Anel Rodoviário na capital.

“Alguns locais serão referências para instalarmos as bases, como na descida do Anel na região do Olhos D’Água, no bairro Betânia e no Viaduto São Francisco. As pessoas poderão registrar ocorrências, contar com o apoio dos policiais militares e daqui a 90 dias vamos avaliar os resultados do projeto, já que outras cidades, como Ipatinga e Uberlândia, poderão recebê-lo também”, adiantou o comandante do BPMRv, tenente-coronel Fábio Oliveira de Almeida. 

Informações: Agência Minas

Foto Destaque: Policia Militar de Minas Gerais

Alagoa conquista itens para a Defesa Civil

Alagoa conquista itens para a Defesa Civil

Nesta terça-feira (21), o Prefeito de Aiuruoca, Juliano Oliveira, esteve na capital mineira, em Belo Horizonte para receber um Kit para a defesa civil do município.

Com participação da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil de Alagoa, o município de Alagoa participou de um Chamamento Público que foi realizado pelo Gabinete Militar do Governo de Minas Gerais.

A conquista veio por meio da pontuação alcançada pelo município, que preenche todos os requisitos necessários pelo Estado de Minas Gerais, sendo assim beneficiado com o Kit que contém um veículo 0km, notebook, coletes e trena digital.

Muitos municípios mineiros não se adequaram a todos os critérios exigidos pelo o Estado de Minas Gerais, não conseguindo o benefício. O Kit fornecido e de grande importância ao município alagoense, que agora possui equipamentos para a segurança civil.

Fontes e Fotos: Prefeitura Municipal de Alagoa

Vereadores de Bocaina de Minas viajam a Belo Horizonte em busca de recursos.

Vereadores de Bocaina de Minas viajam a Belo Horizonte em busca de recursos.

O Presidente da Câmara Municipal de Bocaina de Minas, Paulo Vani, junto dos vereadores do município, Maria Rodrigues, Zé Fernando, Dimas Diniz, Wilker Pereira e João Florêncio viajaram até a capital mineira em busca de recursos para a cidade.

Os vereadores se reuniram com o deputado estadual, Zé Guilherme, na assembleia para pleitear também recursos para a aquisição de um trailer castramóvel (veículo usado para a castração de animais) e também foram em busca de recursos para a ampliação da UBS da sede.

Em outra oportunidade, os vereadores retornaram à capital Belo Horizonte, e foram até a sede da Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais), para pleitear a extensão de rede nos distritos de Santo Antônio, Mirantão, Jardim Thomas e também no bairro de Santos Reis, localizada na cede do município.

Os vereadores possuem expectativas positivas para conseguir os recursos necessários em benefício da população bocainense

Fotos e Fonte: Câmara Municipal de Bocaina de Minas

Fotos Destaque: Vereadores em reunião com o Deputado Zé Guilherme

Belo Horizonte se destaca como polo de startups no país

Belo Horizonte se destaca como polo de startups no país

A evolução do setor de startups no Brasil foi demonstrada em recente relatório do Google, preparado em parceria com a empresa especializada em pesquisas Kantar, chamado Google for Startups. Fica evidenciada a evolução do segmento nos últimos 5 anos, apontando os avanços alcançados e os desafios para os próximos períodos.

De 2016 para cá, passamos de 5 mil para 13 mil startups espalhadas por 692 cidades. Além disso, fomos de zero unicórnio (startup avaliada em, pelo menos, US$ 1 bilhão) para 15.

Em nível nacional, ‘’hoje ficamos atrás apenas de China e Estados Unidos em número de unicórnios. Ultrapassamos ecossistemas maduros, como Alemanha e Israel”, disse Fábio Coelho, presidente do Google Brasil, em coletiva de imprensa realizada para apresentar o relatório.

A pandemia tem contribuído para esse cenário de abertura de novos negócios digitais. Em 2020, foram abertas 35.423 empresas de tecnologia, uma alta de 210% em relação a 2011, revela estudo da DataHub, plataforma de inteligência de dados.

De acordo com o levantamento, 176.482 novos negócios foram abertos na área na última década, sendo que a região Sudeste concentra essas novas empresas, com 107.499 empreendimentos. Em seguida, figuram Sul (29.582), Nordeste (19.626), Centro-Oeste (13.152) e Norte (5.856).

Segundo pesquisa da StartupBase sobre as startups atualmente em operação, a cidade do Rio de Janeiro (8.783) se destaca como uma das principais cidades no Sudeste, ocupando a 2ª posição, logo atrás de São Paulo (44.326).

A respeito do ecossistema nacional, houve significativos avanços legislativos recentemente. Enquanto a aprovação do Marco Legal das Startups trouxe maior segurança jurídica ao setor, a Lei Geral de Proteção de Dados possibilitou que as portas ao mercado europeu permanecessem abertas às empresas nacionais. Essa mudança se deve a existência de legislação nacional e sua observância se tornou um novo requisito (e desafio) para fazer negócios com empresas europeias.

Por outro lado, a complexidade da legislação brasileira continua sendo desafiadora. “Se o governo troca alguma coisa, temos que fazer um ajuste na engenharia, na raiz do nosso produto”, escreveu Vítor Torres, da Contabilizei, sobre o documento da empresa de mecanismo de buscas. “Estar sempre atualizado é o desafio da indústria, porque, se não estivermos por dentro de tudo, vamos errar para muito.”

“Nos próximos anos, serão necessários avanços regulatórios, novas legislações e políticas públicas que realmente coloquem os empreendedores e startups brasileiras nos mesmos níveis e patamares de competição com os principais mercados e ecossistemas globais”, de acordo com a pesquisa do Google.

Dessa forma, é importante estar atento aos avanços e aos desafios decorrentes da legislação brasileira para aproveitar da melhor forma esse cenário de crescimento, ainda mais diante da crise econômica imposta às demais empresas do país.

Autor: Vinícius Laureano é advogado pós-graduado em Direito Societário pela FGV/SP, com extensão em Planejamento Tributário e em Direito Imobiliário pela com mais de 15 anos de atuação em Direito Empresarial.

É membro da Comissão Especial de Privacidade e Proteção de Dados da OAB/SP, da ANPPD® – Associação Nacional dos Profissionais de Privacidade de Dados e da ANADD – Associação Nacional de Advogados do Direito Digital.

Exames de paciente internada em BH não descartam suspeita de coronavírus

Exames de paciente internada em BH não descartam suspeita de coronavírus

Exames concluídos da paciente internada no Hospital Eduardo de Menezes, na região do Barreiro, não descartam a suspeita de contágio por novo coronavírus. Amostras coletadas e encaminhadas à Fundação Ezequiel Dias (Funed) descartaram nove doenças respiratórias que poderiam causar sintomas semelhantes aos apresentados pela estudante.

Ela viajou para a cidade de Wuhan, na China, com o intuito de participar de um intercâmbio. Ao retornar a Belo Horizonte na última sexta-feira (24), apresentou os sinais característicos do coronavírus e procurou a UPA Centro-Sul, no bairro Santa Efigênia.

Constatado o histórico de viagem dela para a cidade onde a disseminação da doença teria começado no mundo, a paciente precisou ser encaminhada à unidade de saúde onde permanece internada em isolamento.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG) encomendou um teste preciso para que seja feita a confirmação ou o descarte da suspeita do contágio por esse vírus tão específico. Este exame ainda está sendo processado e não há previsão clara para que o resultado chegue a público.

Países retiram seus cidadãos da China

Emergência no mundo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou, nessa quinta-feira (30), situação de emergência de saúde internacional em função da rápida disseminação do novo coronavírus. O órgão acredita que o contágio representa riscos sérios não apenas à China, onde a doença surgiu primeiro, mas a todas as nações. Há mais de 8.200 pessoas infectadas em pelo menos 15 países. Duzentas pessoas contaminadas pelo coronavírus já morreram na China.

A preocupação tornou-se ainda maior após o aparecimento de casos de infecção em pessoas que não viajaram para a China, como nos Estados Unidos, na Alemanha e no Japão. A OMS orienta os países a iniciar protocolos para tomar medidas preventivas que evitem o contágio, entre elas estão fechamento das fronteiras, cancelamento de voos e medição da temperatura corporal daqueles que chegam aos aeroportos.

Os primeiros casos do novo vírus começaram a ser registrados em Wuhan, em dezembro de 2019, como um surto de pneumonia de caso desconhecido. O Ministério da Saúde investiga casos suspeitos no Brasil.

Estou com coronavírus?

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais avalia a suspeita de contágio pelo novo coronavírus a partir de algumas situações muito específicas. Cada caso só será tratado como suspeita se os pacientes apresentarem febre e/ou sintomas respiratórios e que tenham ou histórico de viagem para área de transmissão nos últimos 14 dias ou contato próximo com algum caso suspeito ou confirmado, também nos 14 dias que antecederam o aparecimento dos sinais.

Entenda cada situação suspeita:

1: paciente apresenta, além de febre, pelo menos um sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais) e histórico de viagem para área com transmissão local;

2: paciente apresenta, além de febre, pelo menos um sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais) e histórico de contato próximo com alguém que tenha suspeita de estar contaminado pelo coronavírus.

Contato próximo é definido pela SES/MG como: estar a aproximadamente dois metros de um paciente com suspeita de caso por novo coronavírus, dentro da mesma sala ou área de atendimento;

3: paciente apresenta ou febre ou, pelo menos, um sintoma respiratório e tenha tido contato próximo com algum caso confirmado de coronavírus nos últimos 14 dias.

Fonte: Portal Sete Lagoas/ Com O Tempo