Caixa paga Auxílio Brasil a cadastrados com NIS final 9

Caixa paga Auxílio Brasil a cadastrados com NIS final 9

A Caixa paga nesta sexta-feira (28) o Auxílio Brasil a beneficiários com Número de Inscrição Social (NIS) final 9. O valor mínimo do benefício é R$ 400. As datas seguirão o modelo do Bolsa Família, que pagava os beneficiários nos dez últimos dias úteis do mês.

Em janeiro, 3 milhões de famílias foram incluídas no programa, aumentando para 17,5 milhões o total atendido. Segundo o Ministério da Cidadania, serão gastos R$ 7,1 bilhões neste mês com o Auxílio Brasil.

O beneficiário poderá consultar informações sobre datas de pagamento, valor do benefício e composição das parcelas em dois aplicativos: Auxílio Brasil, desenvolvido para o programa social, e o Caixa Tem, usado para acompanhar as contas poupança digitais do banco.

Auxílio Gás

O Auxílio Gás também é pago hoje – retroativamente – às famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com NIS final 9. O benefício segue o calendário regular de pagamentos do Auxílio Brasil.

Com duração prevista de cinco anos, programa beneficiará 5,5 milhões de famílias até o fim de 2026, com o pagamento de 50% do preço médio do botijão de 13 quilos a cada dois meses. Atualmente, a parcela equivale a R$ 52. Para este ano, o Auxílio Gás tem orçamento de R$ 1,9 bilhão.

Só pode fazer parte do programa quem está incluído no CadÚnico e tenha pelo menos um membro da família que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

A lei que criou o programa definiu que a mulher responsável pela família terá preferência, assim como mulheres vítimas de violência doméstica.

Benefícios básicos

O Auxílio Brasil tem três benefícios básicos e seis suplementares, que podem ser adicionados caso o beneficiário consiga emprego ou tenha filho que se destaque em competições esportivas, científicas ou acadêmicas.

Podem receber o benefício famílias com renda per capita até R$ 100, consideradas em situação de extrema pobreza, e até R$ 200, em condição de pobreza.

A Agência Brasil elaborou guia de perguntas e respostas sobre o Auxílio Brasil. Entre as dúvidas que o beneficiário pode tirar estão critérios para integrar o programa social, os nove tipos diferentes de benefícios e o que aconteceu com o Bolsa Família e o auxílio emergencial, que vigoraram até outubro.

Informações e Fotos: Agência Brasil

Caixa paga Auxílio Brasil a cadastrados com NIS final 7

Caixa paga Auxílio Brasil a cadastrados com NIS final 7

A Caixa paga, nesta quarta-feira (26), o Auxílio Brasil a beneficiários com Número de Inscrição Social (NIS) final 7. O valor mínimo do benefício é R$ 400. Datas seguirão modelo do Bolsa Família, que pagava beneficiários nos dez últimos dias úteis do mês.

Em janeiro, foram incluídas 3 milhões de famílias no programa, aumentando para 17,5 milhões o total atendido. Segundo o Ministério da Cidadania, serão gastos R$ 7,1 bilhões neste mês com o Auxílio Brasil.

O beneficiário poderá consultar informações sobre datas de pagamento, valor do benefício e composição das parcelas em dois aplicativos: Auxílio Brasil, desenvolvido para o programa social, e o aplicativo Caixa Tem, usado para acompanhar as contas poupança digitais do banco.

Auxílio Gás

O Auxílio Gás também é pago hoje – retroativamente – às famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com NIS final 7. O benefício segue calendário regular de pagamentos do Auxílio Brasil.

Com duração prevista de cinco anos, o programa beneficiará 5,5 milhões de famílias até o fim de 2026, com pagamento de 50% do preço médio do botijão de 13 quilos a cada dois meses. Atualmente, a parcela equivale a R$ 52. Para este ano, o Auxílio Gás tem orçamento de R$ 1,9 bilhão.

Só pode fazer parte do programa quem está incluído no CadÚnico e tenha pelo menos um membro da família que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Lei que criou o programa definiu que a mulher responsável pela família terá preferência, assim como mulheres vítimas de violência doméstica.

Benefícios básicos

O Auxílio Brasil tem três benefícios básicos e seis suplementares, que podem ser adicionados caso o beneficiário consiga emprego ou tenha filho que se destaque em competições esportivas, científicas ou acadêmicas.

Podem receber o benefício famílias com renda per capita até R$ 100, consideradas em situação de extrema pobreza, e até R$ 200, em condição de pobreza.

A Agência Brasil elaborou guia de perguntas e respostas sobre o Auxílio Brasil. Entre as dúvidas que o beneficiário pode tirar estão critérios para integrar o programa social, nove tipos diferentes de benefícios e o que aconteceu com o Bolsa Família e o auxílio emergencial, que vigoraram até outubro.

Informações e Fotos:Agência Brasil

Governo de Minas antecipa repasse de mais de R$ 130 milhões para municípios castigados pelas chuvas

Governo de Minas antecipa repasse de mais de R$ 130 milhões para municípios castigados pelas chuvas

O governador Romeu Zema anunciou o pagamento de R$ 130,1 milhões para 332 municípios mineiros que tiveram o decreto de emergência reconhecido pelo Estado em decorrência das fortes chuvas dos últimos dias. O recurso é referente ao adiantamento de oito parcelas do acordo assinado pelo Executivo para o pagamento de dívidas com as prefeituras, herdadas da gestão anterior. Esta é uma das principais ações do plano Recupera Minas, lançado nesta terça-feira (18/1) com o objetivo de minimizar os impactos e reparar os danos causados pelos temporais.

O montante anunciado se junta a outros R$ 12,4 milhões pagos em dezembro de 2021 e na primeira semana de janeiro de 2022, totalizando, assim, R$ 142,5 milhões para 332 cidades que tiveram a situação de emergência reconhecida pelo Governo do Estado. Os recursos foram destinados às prefeituras que faziam jus ao pagamento.

Os valores são referentes ao adiantamento das oito últimas parcelas do acordo assinado entre o governo e a Associação Mineira dos Municípios (AMM), em abril de 2019, para o pagamento de dívidas com as prefeituras mineiras relacionadas ao ICMS, IPVA e Fundeb, herdadas da gestão anterior.

Romeu Zema destacou a importância do recurso para a recuperação das cidades. “Antecipamos as oito parcelas do acordo que estamos pagando aos municípios de forma dividida. Isso significa que as prefeituras receberam, de maneira antecipada, R$ 142 milhões. Estes são os primeiros passos no sentido da reparação aos danos das enchentes. E teremos mais ações”, afirmou o governador.

Apoio aos municípios

Com o objetivo de auxiliar os gestores dos municípios atingidos pelas fortes chuvas, o Governo de Minas, por meio das Secretarias de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra), Desenvolvimento Social (Sedese), Planejamento e Gestão (Seplag), bem como da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado Minas Gerais (Emater-MG) e da Fundação João Pinheiro (FJP), disponibilizará assistência técnica a municípios, em matérias diversas, tais como captação de recursos, contratações emergenciais e decretos de calamidade, agropecuária e de defesa civil.

A fim de contribuir com a estruturação de ações emergenciais, o Governo de Minas também irá fornecer apoio técnico às prefeituras, por meio da Seapa e da Emater-MG, para elaboração de relatórios da produção agrícola afetada, expectativa de perdas e obtenção de dados climatológicos.

Por meio do Gabinete Militar do Governador e Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (GMG/Cedec), órgão articulador do sistema de proteção e defesa civil no âmbito estadual, tem atuado, conjuntamente com as demais secretarias de Estado e com as Forças de Segurança, para que os municípios atingidos sejam atendidos durante todo o período chuvoso. Além disso, materiais de ajuda humanitária, tais como cestas básicas, colchões, kit dormitório e kit higiene e limpeza são direcionados de forma suplementar às cidades.

Informações e Fotos: Agência Minas

Governador anuncia auxílio de R$ 1.200 para apoiar desabrigados e desalojados devido às chuvas no estado

Governador anuncia auxílio de R$ 1.200 para apoiar desabrigados e desalojados devido às chuvas no estado

O Governo de Minas vai destinar R$ 1.200 por pessoa desabrigada ou desalojada no Estado em decorrência das fortes chuvas. A medida integra o plano Recupera Minas, anunciado nesta terça-feira (18/1) pelo governador Romeu Zema. O benefício será pago em três parcelas mensais de R$ 400 a partir de fevereiro, totalizando R$ 78 milhões em recursos estaduais e beneficiando mais de 60 mil pessoas.

Romeu Zema ressaltou a necessidade da ajuda às vítimas. “Vamos criar o auxílio desabrigado, para que, quem teve suas casas destruídas, tenha condições de passar por esse momento tão difícil. Ou seja, uma família de cinco pessoas vai receber R$ 2 mil por mês”, afirmou o governador em coletiva virtual à imprensa.

Benefício

Segundo o secretário-geral do Estado, Mateus Simões, estão contemplados nesse benefício eventual as pessoas registradas como desabrigadas ou desalojadas por seus municípios até esta segunda-feira (17/1).

 “A operacionalização desse pagamento será feita pelos municípios, porque na lógica legal o controle da população desabrigada e desalojada é feita localmente, então será entregue ao município que deverá entregar às pessoas que estão previamente cadastradas. A data de corte desse benefício foi ontem (17/1), então estão contempladas todas as pessoas desabrigadas e desalojadas até ontem. Os municípios já haviam nos enviado as informações e os dados já superam 60 mil pessoas”, pontuou Simões.

Geladeiras, energia e água

Outras ações para benefício direto da população também estão sendo adotadas pelo governo mineiro, como a doação de 5 mil geladeiras pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Esses eletrodomésticos serão distribuídos de forma proporcional ao número de famílias de baixa renda de municípios em situação de emergência ou de calamidade pública em decorrência das chuvas e que tenham o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) menor que 0,6.

“A Secretaria de Estado de Desenvolvido Social está acompanhando com a Cemig os critérios que estão sendo utilizados para que a gente atenda o público que mais precisa, substituindo o eletrodoméstico que foi estragado ou destruído”, destacou o secretário-geral.

Também serão adotadas medidas diferenciadas nas tarifas da Cemig e da Copasa nas localidades atingidas, com suspensão da cobrança em alguns casos e parcelamentos de débitos em até 24 vezes.

Plano Recupera Minas

O plano Recupera Minas foi criado após força-tarefa do Estado para mapear os principais danos causados pelas chuvas e criar ações para recuperação dos estragos danos. Ao todo, serão R$ 600 milhões em recursos estaduais.

Os investimentos estaduais estão divididos em três eixos: auxílio às pessoas, apoio aos municípios e infraestrutura estadual. Um quarto eixo será formado por doações da sociedade civil em que o Governo de Minas dará suporte para que o apoio chegue aos municípios e às pessoas atingidas.

Informações: Agência Minas

Foto Destaque: Imprensa Minas