Anvisa determina recolhimento de autotestes contra covid-19

Anvisa determina recolhimento de autotestes contra covid-19

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou o recolhimento de mais um autoteste contra a covid-19 – o meuDNA PCR-LAMP Autocoleta de Saliva, da empresa Empreendimentos Pague Menos S/A. Ontem (25), a agência suspendeu a comercialização distribuição, fabricação, importação, propaganda e uso do Autoteste Covid-19 Isa Lab. 

Em nota, a Anvisa informou que, “até o momento, não existe nenhum produto aprovado como autoteste, ou seja, para uso por usuários leigos”.

A determinação de recolhimento e as suspensões do Autoteste Covid-19 Isa Lab foram publicadas na Resolução nº 210. A medida relativa ao outro autoteste foi determinada pela Resolução nº 213. Nenhum dos dois produtos tem registro na Anvisa. No caso do Isa Lab, a agência acrescenta que ele é comercializado por empresa não regularizada.

A denúncia, recebida pela Anvisa em 20 de janeiro, foi considerada prioridade para investigação. “Nessa etapa é avaliado o risco sanitário iminente à saúde da população, e a medida restritiva tem o objetivo de mitigar o risco rapidamente”, informa a agência, que disponibiliza serviço de consulta a produtos irregulares.

Informações e Fotos: Agência Brasil

Presidente: autoteste pode conter transmissão de vírus mais rápido

Presidente: autoteste pode conter transmissão de vírus mais rápido

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (16), em sua conta no Twitter, que o autoteste de antígeno para detecção da covid-19 pode garantir o início mais rápido de ações para interromper a cadeia de transmissão do vírus.

“O objetivo é que os testes sejam disponibilizados em redes de farmácias, drogarias e outros estabelecimentos de saúde para pessoas com ou sem sintomas que tenham interesse em realizar a autotestagem”.

“O objetivo é que os testes sejam disponibilizados em redes de farmácias, drogarias e outros estabelecimentos de saúde para pessoas com ou sem sintomas que tenham interesse em realizar a autotestagem”.

O presidente lembrou, na mensagem, que os testes de antígeno já são amplamente utilizados em unidades de Pronto Atendimento (Upas), clínicas da Família ou unidades básicas de saúde espalhadas pelo país e que já são mais de 381 milhões de doses de vacina distribuídas pelo governo  a todos os estados e municípios.

Na última quinta-feira (13), o Ministério da Saúde enviou nota técnica à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) solicitando a liberação da oferta comercial de autotestes para covid.

No documento, o ministério argumenta que o uso dos autotestes seria uma estratégia complementar ao plano de testagem adotado durante a pandemia. Essa medida permitiria a ampliação do número de testes.

A oferta de mais exames permitiria mais agilidade na identificação de casos de infecção pelo coronavírus e a adoção das providências recomendadas pela pasta, especialmente o isolamento para combater a circulação do vírus.

Informações e Fotos:Agência Brasil