EUA retiram familiares de funcionários da embaixada em Kiev

EUA retiram familiares de funcionários da embaixada em Kiev

O governo norte-americano determinou que famílias de diplomatas dos Estados Unidos (EUA) em Kiev abandonem a Ucrânia, “devido à ameaça persistente de operação militar russa”, anunciou nesse domingo (23) o Departamento de Estado em nota.

O pessoal local e o pessoal não essencial podem deixar a embaixada se desejarem, e os cidadãos norte-americanos residentes na Ucrânia “devem considerar” deixar o país em voos comerciais ou por outros meios de transporte, acrescenta o comunicado. Funcionários da embaixada do Reino Unido na capital ucraniana também começaram a ser retirados. Já a União Europeia não vê, para já, motivos para retirar as famílias do pessoal diplomático.

“A situação de segurança, especialmente ao longo das fronteiras ucranianas, na Crimeia ocupada pela Rússia e na região de Donetsk, é imprevisível e pode degradar-se a qualquer momento”, diz a nota do Departamento do Estado.

A embaixada permanece aberta, e a invasão russa pode ocorrer “a qualquer momento”.

Um porta-voz afirmou que se uma invasão russa ocorrer, o governo dos EUA “não estará em posição de retirar cidadãos norte-americanos em tal contingência”.

Moscou

“Os cidadãos norte-americanos na Ucrânia devem estar cientes de que uma operação militar russa, em qualquer ponto da Ucrânia, afetaria gravemente a capacidade da embaixada norte-americana de fornecer serviços consulares, incluindo assistência aos cidadãos que estão deixando o país”, adverte o texto.

O Departamento de Estado pede à comunidade norte-americana na Ucrânia que se informe sobre “o que o governo dos EUA pode fazer para (lhes) dar assistência durante uma crise no estrangeiro”.

Os Estados Unidos aconselham a população a não viajar para a Ucrânia e para a Rússia, “devido à tensão contínua e potencial assédio contra cidadãos norte-americanos”.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) já alertou para risco de novo conflito na Europa, depois de cerca de 100 mil militares russos se concentrarem na fronteira com a Ucrânia.

Informações e Fotos: Agência Brasil

Norte-americano procurado pela Interpol por assassinato é preso pela PF em MG

Norte-americano procurado pela Interpol por assassinato é preso pela PF em MG

Segundo a Polícia Federal, o homem de 48 anos teria matado a esposa em 2013 e ocultado o seu corpo, que jamais foi encontrado, no estado americano da Louisiana (Foto: Divulgação / Polícia Federal)

Um norte-americano procurado pela Interpol foi preso na tarde desta terça-feira (18) em Pouso Alegre (MG). Segundo a Polícia Federal, o homem de 48 anos teria matado a esposa em 2013 e ocultado o seu corpo, que jamais foi encontrado, no estado americano da Louisiana. Ainda de acordo com a PF, o homem agrediu uma outra mulher, com quem se casou no Brasil, no último dia 31 de janeiro. O mandado de prisão foi expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Ainda conforme a PF, o foragido estava na difusão vermelha de procurados da Interpol. Ele foi encontrado na casa onde morava com a atual companheira.

Investigações das autoridades americanas revelaram evidências do homicídio, além do homem ter um longo histórico de abusos e violência praticados contra a companheira, Crystal Dupuis Grebinger, que já tinha obtido, inclusive, medidas protetivas judiciais contra o marido, na cidade de Lafaiete, no estado da Louisiana.

Conforme a PF, o FBI informou que duas semanas após o crime, o homem pegou um voo com destino a São Paulo. No Brasil, ele se casou com uma brasileira, obtendo permissão de residência no país.

“Ele fala português, entende muito bem a língua portuguesa, inclusive tem filhos no Brasil. Tinha aparentemente uma vida tranquila”, disse o delegado regional, Renato Gavião.

Na tentativa de obter refúgio, ele declarou falsamente ter sido agente das forças especiais do contraterrorismo do Exército americano, além de simular perseguição política nos Estados Unidos.

A polícia brasileira suspeitou do americano e resolveu investigá-lo quando ele foi preso por violência doméstica. Na época, ele passou por uma audiência de custódia e foi liberado.

“Não constava nenhum mandado de prisão contra esse indivíduo no Brasil. A partir daí começaram algumas diligências no sentido de ser expedido esse mandado de prisão, o que foi realizado pelo STF, expedido pelo ministro Luis Fux e na data de hoje foi dado o cumprimento do mandado de prisão e agora vai começar todo um processo de extradição desse indivíduo para os Estados Unidos”, completou o delegado.

O norte-americano foi preso e levado para o Presídio de Pouso Alegre, onde ficará à disposição da Suprema Corte Brasileira, até que seja autorizada sua extradição para os Estados Unidos.

Fonte: Portal G1

Norte-americano procurado pela Interpol por assassinato é preso pela PF em MG

Norte-americano procurado pela Interpol por assassinato é preso pela PF em MG

Segundo a Polícia Federal, o homem de 48 anos teria matado a esposa em 2013 e ocultado o seu corpo, que jamais foi encontrado, no estado americano da Louisiana (Foto: Divulgação / Polícia Federal)

Um norte-americano procurado pela Interpol foi preso na tarde desta terça-feira (18) em Pouso Alegre (MG). Segundo a Polícia Federal, o homem de 48 anos teria matado a esposa em 2013 e ocultado o seu corpo, que jamais foi encontrado, no estado americano da Louisiana. Ainda de acordo com a PF, o homem agrediu uma outra mulher, com quem se casou no Brasil, no último dia 31 de janeiro. O mandado de prisão foi expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Ainda conforme a PF, o foragido estava na difusão vermelha de procurados da Interpol. Ele foi encontrado na casa onde morava com a atual companheira.

Investigações das autoridades americanas revelaram evidências do homicídio, além do homem ter um longo histórico de abusos e violência praticados contra a companheira, Crystal Dupuis Grebinger, que já tinha obtido, inclusive, medidas protetivas judiciais contra o marido, na cidade de Lafaiete, no estado da Louisiana.

Conforme a PF, o FBI informou que duas semanas após o crime, o homem pegou um voo com destino a São Paulo. No Brasil, ele se casou com uma brasileira, obtendo permissão de residência no país.

“Ele fala português, entende muito bem a língua portuguesa, inclusive tem filhos no Brasil. Tinha aparentemente uma vida tranquila”, disse o delegado regional, Renato Gavião.

Na tentativa de obter refúgio, ele declarou falsamente ter sido agente das forças especiais do contraterrorismo do Exército americano, além de simular perseguição política nos Estados Unidos.

A polícia brasileira suspeitou do americano e resolveu investigá-lo quando ele foi preso por violência doméstica. Na época, ele passou por uma audiência de custódia e foi liberado.

“Não constava nenhum mandado de prisão contra esse indivíduo no Brasil. A partir daí começaram algumas diligências no sentido de ser expedido esse mandado de prisão, o que foi realizado pelo STF, expedido pelo ministro Luis Fux e na data de hoje foi dado o cumprimento do mandado de prisão e agora vai começar todo um processo de extradição desse indivíduo para os Estados Unidos”, completou o delegado.

O norte-americano foi preso e levado para o Presídio de Pouso Alegre, onde ficará à disposição da Suprema Corte Brasileira, até que seja autorizada sua extradição para os Estados Unidos.

Fonte: Portal G1