“NÃO SE PRESERVA A MEMÓRIA DE UM POVO

SEM O REGISTRO DE SUA HISTÓRIA”

Nesta semana, a Prefeitura de Betim concluiu o projeto da reforma do prédio da antiga Unidade de Atendimento Imediato (UAI) Sete de Setembro, que dará lugar ao Centro de Serviços Emergenciais do município. O novo espaço vai abrigar as sedes da Superintendência de Defesa Civil, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e do Transporte Sanitário.
As intervenções foram anunciadas pelo Executivo Municipal em janeiro e serão realizadas em caráter de urgência, com entrega prevista para o primeiro semestre deste ano. A reforma contempla toda a área construída de 976.76m² e a construção de mais 551.11m² que serão utilizados para os almoxarifados e abrigos para as ambulâncias.
O projeto buscou reproduzir os ambientes e instalações do Samu e do Transporte Sanitário que estão dispostas atualmente no Centro Administrativo e setores que serão criados conforme as demandas da Defesa Civil. O acesso principal da população ao Centro de Serviços será coberto com um pórtico de entrada pela avenida Bandeirantes.
No primeiro ambiente funcionará a recepção, a central de atendimento telefônico e o administrativo da Defesa Civil, que terá, também nas dependências internas, uma sala de monitoramento, o setor jurídico, a coordenação e o gabinete da superintendência. Um anexo será incluído na lateral direita do primeiro bloco para abrigar os setores operacional e a equipe técnica do órgão.
Nos blocos dois e três funcionarão a sede do Samu e do Transporte Sanitário da secretaria de Saúde. O bloco central receberá a regulação de urgências do Samu; salas de controle de frotas, tanto do Samu quanto do Transporte Sanitário; setores de recursos humanos, administração e diretorias; e a coordenação médica e de enfermagem de ambos os serviços. Ainda para o bloco central está prevista a futura instalação da Sala de Monitoramento Operacional da secretaria adjunta de Segurança Pública.

O terceiro bloco será reservado para áreas de repouso, vestiários, cozinhas e refeitórios, com espaços separados para cada equipe.
“São ambientes muito diferentes das áreas assistenciais que a antiga UAI configurava. Serão espaços climatizados e com muita tecnologia da informação e de telecomunicações para equipes de trabalho, além das estruturas de suporte das equipes operacionais. O setor de arquitetura define os materiais de acabamento e o funcionamento planejado para a edificação, enquanto o detalhamento das instalações de rede, ar condicionado e elétrica de emergência são especificadas pelos especialistas em cada disciplina que irá operar no local”, explica o arquiteto da secretaria de Saúde responsável pelo projeto, Ricardo Cunha.
A proposta considera, também, as determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, uma vez que a Central de Regulação do Samu dispõe de regulamentação conforme a Resolução da Anvisa nº 51/2011. Além disso, cada ambulância é considerada um ambiente assistencial de saúde, contando, inclusive, no projeto, com ambientes apropriados para a descontaminação e medidas de biossegurança para esses veículos.
No pátio aos fundos do Centro serão instalados galpões com estruturas metálicas de pé direito mais alto, afastadas em seis metros entre si. Esses locais irão abrigar ambulâncias, salas para guardar equipamentos, áreas para carga e descarga de insumos, higienização dos veículos, abrigos para resíduos sólidos, depósitos e banheiros para os funcionários. A entrada das ambulâncias será pela rua Eusébio Bicalho, com saída pela Rui Barbosa, criando um fluxo interno ininterrupto.
Estão previstos, também, adequações de passeios com acessibilidade na entrada principal, estacionamento para veículos da Defesa Civil, a construção de um almoxarifado para o órgão do lado direito e uma sala multiuso do lado esquerdo. O acompanhamento e a fiscalização da obra serão realizados pela Empresa de Construções, Obras, Serviços, Projetos, Transportes e Trânsito (Ecos).
Com informações e fotos da Prefeitura de Betim