“NÃO SE PRESERVA A MEMÓRIA DE UM POVO

SEM O REGISTRO DE SUA HISTÓRIA”

A Prefeitura de Belo Horizonte aderiu ao Dia D de combate ao Aedes aegypti, em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde. Neste sábado (24), as ações de prevenção na capital serão realizadas nas nove regionais da cidade, com intensificação das vistorias dos Agentes de Combate a Endemias (ACE) em imóveis, para verificar as condições dos ambientes e eliminar os possíveis criadouros do mosquito.

Para acompanhar os trabalhos das equipes, o secretário municipal de Saúde, Danilo Borges Matias, e o secretário de estado de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, estarão na região Leste, a partir das 9h.

O Dia D de combate à dengue e outras arboviroses consiste em ações de mobilização para conscientizar a população sobre a responsabilidade diária de manter o cuidado nos ambientes domiciliares. Durante as visitas, os agentes orientam sobre a eliminação dos possíveis criadouros e, se necessário, aplicam biolarvicidas.

Mas a colaboração das pessoas é indispensável já que, de acordo com o último Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), 86,9% dos focos estão dentro das casas. Os criadouros predominantes são: 33,1% em pratinhos de plantas, 21% em inservíveis (embalagens de algum produto) e 8,9% em recipientes domésticos.

Como parte das ações, o Mobiliza SUS, grupo de mobilização da secretaria de Saúde, realizará ações educativas, com a distribuição de materiais informativos de prevenção à dengue, chikungunya e zika. Assim como os agentes e para reforçar a importância do cuidado, os mobilizadores também repassam orientações e dicas à população.

Confira algumas dicas que devem ser seguidas para evitar possíveis focos do Aedes aegypti:

– Retirar os pratinhos das plantas;

– Manter a caixa d’água bem fechada;

– Colocar pneus velhos em um lugar fechado ou levar para uma URPV;

– Lavar bem as vasilhas dos pets;

– Limpar telhas e calhas para não acumular água;

– Virar garrafas e potes vazios;

– Colocar o lixo no saco plástico e fechar bem a lixeira;

– Conferir o quintal em busca de água parada;

– Retirar a água de bandejas externas de geladeira e ar-condicionado;

– Limpar a piscina e tratar com cloro.

Rotina de prevenção

A Secretaria Municipal de Saúde realiza, durante todo o ano, inúmeras ações de conscientização e combate ao Aedes aegypti. Os ACE percorrem imóveis reforçando as orientações sobre os riscos do acúmulo de água, já que esses locais podem se tornar criadouros do mosquito. Em 2024, com a intensificação das ações, 364 mil imóveis já foram visitados pelas equipes.

Além disso, há também a aplicação de inseticida a Ultrabaixo Volume (UBV) para o combate a mosquitos adultos em áreas com casos suspeitos de transmissão local e após avaliação ambiental pelas equipes da Zoonoses. Somente neste ano já foram realizadas ações em 16 mil locais.

Mais de 1,7 mil ovitrampas foram instaladas no município, que são armadilhas em pontos estratégicos das nove regionais para monitorar a circulação do Aedes aegypti e intensificar ações preventivas em áreas com maior número de mosquitos. As estruturas simulam o ambiente ideal para a reprodução e possuem uma substância que atrai as fêmeas. Em 2024 foram cerca de 7 mil vistorias para acompanhamento.

Após sete dias de instalação das armadilhas, são feitos o recolhimento e a contagem de ovos no Laboratório de Entomologia da prefeitura. A partir desses resultados, são realizadas análises para o direcionamento estratégico das ações.

 

 

A PBH utiliza drones para mapear os locais, diagnosticar os focos e realizar o tratamento, quando necessário. Os sobrevoos são feitos de forma estratégica, em áreas prioritárias e selecionadas a partir de indicadores como número de casos da doença, quantidade de larvas e ovos do mosquito. Em 2024, até o momento, foram 19 sobrevoos e cerca de 9 mil imóveis analisados.

Outra importante ação são os mutirões de limpeza realizados pela Superintendência de Limpeza Urbana (SLU). Em 2024 já foram feitos 36 mutirões, com o recolhimento de mais de 157 toneladas de resíduos, em cerca de 12 mil imóveis. Para mobilizar a população, dias antes do mutirão os agentes percorrem as ruas onde será realizada a ação, informando à população a data e horário.

O método Wolbachia é complementar a todas as demais ações de controle e prevenção da dengue, zika e chikungunya. Trata-se de uma bactéria que não pode ser transmitida para humanos ou animais. Os mosquitos que carregam esse microrganismo têm a capacidade reduzida na transmissão das arboviroses, diminuindo o risco dessas doenças. Esse método não envolve qualquer modificação genética do vetor Aedes aegypti. Somente em 2023 foram liberados mais de 31 milhões de mosquitos.

Há ainda uma ação educativa da secretaria de Saúde, realizada em parceria com a secretaria de Educação, que é o projeto EducaZoo. O objetivo é levar orientações aos alunos de escolas municipais da capital para que eles atuem como multiplicadores das informações. A abordagem a esses assuntos é realizada de forma divertida e descontraída, com jogos de trilha do saber e memória, dominós, cruzadinhas e caça-palavras. Também são feitas ainda apresentações do grupo Mobiliza SUS.

Com informações da Prefeitura de Belo Horizonte

Foto: Adão de Souza