“NÃO SE PRESERVA A MEMÓRIA DE UM POVO

SEM O REGISTRO DE SUA HISTÓRIA”

A Prefeitura de Belo Horizonte entregou mais uma obra de urbanização conquistada no Orçamento Participativo, e dessa vez os beneficiados foram os moradores da Vila Boa Esperança, localizada na região nordeste da capital. As intervenções incluem a abertura da Rua Doze, que promoveu a ligação viária de leste a oeste de toda a vila, e também da Rua Antônio Faustino, que passou a cortar a região de norte a sul.

São quase 350 metros de vias veiculares finalizadas, com contenções, redes de água e esgoto, drenagem pluvial e iluminação pública. Como complementação, nas áreas remanescentes de obra foram criadas três praças de esporte e lazer destinadas à comunidade.

Para a realização das intervenções, o município investiu aproximadamente R$ 2,3 milhões, beneficiando as cerca de 160 famílias que vivem na vila e também diversas pessoas de bairros vizinhos que tiveram seus trajetos facilitados pelas novas ligações viárias.

Segundo Alexandre Dayrell, engenheiro da Urbel que fiscalizou a obra, a urbanização das ruas contempladas facilitou consideravelmente o acesso a diversos pontos da vila e seu entorno e trouxe mais qualidade de vida à população. Ele conta, ainda, que a comunidade também está satisfeita com as praças que, apesar de não estarem previstas no OP nem no projeto inicial, foram viabilizadas após as remoções feitas em trechos de obra.

“Verificadas as áreas remanescentes, vimos a necessidade de urbanizá-las e elaboramos propostas com as demandas dos moradores locais. Num processo democrático, a comunidade votou e escolheu como aproveitar as áreas, ganhando esses novos espaços. Além do paisagismo presente em todas as praças, uma possui playground, outra equipamentos de ginástica da academia a céu aberto e outra conta com quadra poliesportiva para prática de peteca, futsal e basquete”, explicou.

Morador da Vila Boa Esperança há quase 50 anos, José Rangel Filho, conhecido por lá como Sr. Dedé, acompanhou as intervenções desde o início, e está contente com o resultado. “Eu tive a honra de assistir essa mudança desde o início, e graças a Deus a execução da obra ficou muito boa. Antes a vida da gente era no meio do barro e desviando de buraco pra tentar chegar em algum lugar. Nem carro passava. Agora temos ruas arrumadas que ligam a vila de canto a canto. Com certeza melhorou muito”, disse o aposentado.

Com as informações da Prefeitura de Belo Horizonte

Foto: Divulgação / PBH