“NÃO SE PRESERVA A MEMÓRIA DE UM POVO

SEM O REGISTRO DE SUA HISTÓRIA”

Em Belo Horizonte, a prefeitura realizou, neste mês, um encontro com moradores do assentamento Rosa Leão, uma das ocupações da Região Izidora, no Norte da capital, para apresentar o anteprojeto de urbanização sustentável da área.

Técnicos da Urbel e da secretaria de Política Urbana (SMPU) mostraram aos moradores que as fases de construção e aprovação de Projetos de Urbanização Sustentável na Região Izidora são etapas fundamentais para a implementação de todo o programa, possibilitando a execução de obras de infraestrutura e implementação de serviços públicos, a recuperação de áreas de grande importância ambiental que precisam ser protegidas e preservadas e a erradicação das situações de risco geológico existentes no território.

Na Rosa Leão já foram finalizados o Plano de Urbanização, com suas diretrizes gerais e os estudos preliminares, a partir de topografia e sondagem de áreas de risco e vias, incluindo informações técnicas que mostram a viabilidade das propostas pensadas para a ocupação. Em seguida, foi elaborado o anteprojeto, apresentado na última reunião, que servirá de referência para desenvolvimento de projetos ainda mais detalhados.

As próximas etapas são referentes à elaboração do Projeto Urbanístico, do Projeto Geométrico e de Pavimentação, do Projeto de Drenagem e do Projeto de Contenção de Encostas, a partir de um processo informativo e participativo com a comunidade, incluindo atividades específicas com pessoas com deficiência e crianças que vivem na ocupação Rosa Leão.

Dentre as diversas solicitações dos moradores atendidas, quando da elaboração do Plano de Urbanização, estão o plantio de flores e arborização de vias; a possibilidade de estabelecer melhorias de acesso em locais específicos do assentamento, incluindo vias de mão dupla, incorporação de rotatórias, corrimãos, passarela, além da criação de trajetos destinados a ciclistas, já que muitos moradores se deslocam de bicicleta, inclusive para outras regiões da cidade.

A diretora de Trabalho Técnico Social da Urbel, Ana Flávia Machado, destaca a importância da participação da comunidade em todas as etapas do programa. “Essa cooperação tem sido essencial, desde a discussão e aprovação do Plano de Urbanização e agora no desenvolvimento de projetos, que são peças fundamentais para a captação de recursos a serem destinados às intervenções futuras na região”, avaliou.

Com informações da Prefeitura de Belo Horizonte