“NÃO SE PRESERVA A MEMÓRIA DE UM POVO

SEM O REGISTRO DE SUA HISTÓRIA”

A ginasta brasileira Flávia Saraiva ficou muito perto de uma façanha sem precedentes na Ginástica Artística. A carioca disputou até o último aparelho a medalha de ouro no individual geral. No final, a pequena e brilhante carioca totalizou 54.699, ficando a pouco mais de um décimo da somatória da norte-americana Kayla Di Cello (54.565).

Outra atleta dos EUA, Jordan Chiles, completou o pódio (53.999). Como se não bastasse, Jade Barbosa ainda se avizinhou do pódio. Ficou em quarto lugar, com 53.333, a pouco mais de meio ponto de Chiles.

O salto sobre a mesa inaugurou as emoções da disputa do individual geral. Flavinha, com um Yurchenko com dupla pirueta, recebeu 13.966 pontos. Nas assimétricas, a brasileira recebeu 13.533. Na trave, aparelho em que se notabiliza há anos, Flávia impressionou. Foi a única finalista do individual geral a ultrapassar a barreira dos 14 pontos (14.166).

Por fim, no solo, a medalhista de bronze do último Mundial recebeu a nota 12.900.

Com as informações da Confederação Brasileira de Ginástica

Foto: Rocardo Bufolin / CBG