“NÃO SE PRESERVA A MEMÓRIA DE UM POVO

SEM O REGISTRO DE SUA HISTÓRIA”

O 12º fim de semana consecutivo com abertura dos centros de saúde para atendimento das pessoas com sintomas de dengue, chikungunya ou zika garantiu a assistência a 1.034 usuários. A queda foi de 20% na busca desses locais nesse sábado e domingo, comparado ao fim de semana anterior, em que 1.302 pessoas precisaram de cuidados médicos. Considerando todas as unidades da rede SUS-BH abertas para atender sintomáticos de arboviroses nos dias 13 e 14 de abril, foram 2.025 pacientes acolhidos.

“Conforme havíamos previsto estamos em um momento de estabilização dos casos, com indicativo de queda. Nossas unidades vêm apresentando menor demanda por parte da população, mas isso não significa tranquilidade. Continuamos monitorando os dados diariamente e, neste momento, todas as nossas estratégias para garantir a assistência oportuna estão mantidas”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Danilo Borges Matias.

Os três Centros de Atendimento às Arboviroses (CAAs) garantiram assistência a 410 pessoas. Já nas Unidades de Reposição Volêmica (URVs) foram recebidas 25 pessoas desse total, que foram encaminhadas pelos centros de saúde, CAAs e UPAs.

Nos três hospitais abertos pela Prefeitura foram 581 atendimentos prestados no fim de semana. Na unidade temporária de Venda Nova 209 pessoas foram atendidas e 13 dessas ficaram internadas. A unidade temporária da regional Oeste foi responsável pelo atendimento prestado a 192 pessoas, sendo que 11 pacientes ficaram internados. Já no hospital de campanha, instalado na Norte, foram assistidas 180 pessoas e, desse total, 38 precisaram ficar internadas.

A Prefeitura mantém o funcionamento de serviços específicos para atendimento a pacientes com sintomas da dengue e outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Os endereços e horários de funcionamento podem ser verificados no portal da Prefeitura.

Com as informações da Prefeitura de Belo Horizonte

Foto: Amira Hissa / PBH