“NÃO SE PRESERVA A MEMÓRIA DE UM POVO

SEM O REGISTRO DE SUA HISTÓRIA”

As 11 unidades de saúde abertas pela Prefeitura de Belo Horizonte nesse sábado (10) e domingo (11) garantiram assistência médica a 1.580 pessoas com sintomas de dengue, chikungunya e zika. Somente nos seis centros de saúde – Francisco Gomes Barbosa/ Tirol, Vera Cruz, Aarão Reis, São Paulo, Betânia e Rio Branco – foram atendidos 887 usuários entre 7h e 19h.

Os três Centros de Atendimento às Arboviroses (CAAs), nas regionais Barreiro, Centro-Sul e Venda Nova, também funcionaram durante o fim de semana de 7h às 22h.  Nessas unidades, que são porta aberta e ofertam cuidado de forma espontânea às pessoas, foram assistidos 693 pacientes.

Já para as Unidades de Reposição Volêmica (URVs), nas regionais Centro-sul e Venda Nova, foram encaminhadas 89 pessoas do total de atendidos nos centros de saúde e CAAs. Esses locais ficaram abertos todos os dias, por 24 horas, e receberam aqueles que precisavam de hidratação venosa e assistência contínua.

Os dados não contemplam os atendimentos realizados nas nove UPAs do município, que também estão funcionando todos os dias, durante 24h.

A secretaria de Saúde reforça a orientação de que as pessoas com sintomas como febre, dor atrás dos olhos e manchas vermelhas na pele procure, inicialmente, os centros de saúde e CAAs da capital. Nesses locais os usuários receberão toda a assistência necessária e, se preciso, poderão ser encaminhados para outras unidades de saúde.

O endereço de todos os locais específicos para o atendimento de pessoas com dengue e outras arboviroses pode ser verificado no portal da PBH.  Novas unidades podem ser abertas, a depender da necessidade assistencial.

Com informações da Prefeitura de Belo Horizonte

Foto: Divulgação / PBH