Escolha uma Página

Na noite de segunda (8), os clubes Bahia e JC Futebol Clube também repudiaram o ocorrido por meio de notas oficiais publicadas nas redes sociais. No dia seguinte, Suelen Santos também recorreu às redes sociais para se manifestar a respeito do episódio no Estádio do Pituaçu.

“A Constituição Brasileira delineia o direito de ser tratado como igual perante os demais membros da sociedade, sem discrição de etnia e raça”, defendeu a atleta.” A naturalização que foi proferida mais de uma vez pela expressão racista “macaca” tenta silenciar a minha figura como mulher preta no esporte, porém o ato denúncia é a arma que tenho para combater o racista”.

Fonte: Agência Brasil

Foto: Reprodução Instagram / JC Futebol Clube