“NÃO SE PRESERVA A MEMÓRIA DE UM POVO

SEM O REGISTRO DE SUA HISTÓRIA”

O Palácio da Cultura cedeu seu espaço para uma abordagem importante e necessária nessa segunda-feira (25), em Matozinhos. Na ocasião, o local reuniu representantes do poder público, educadores, especialistas e pessoas da sociedade civil, que participaram do II Encontro em Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência.
A iniciativa foi promovida pela secretaria de Desenvolvimento Social em parceria com a Fundação Bento Gonçalves. Apresentações culturais dos alunos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e da APAE Matozinhos marcaram a abertura do evento.
Por um lado, um texto lido pelo primeiro grupo, reivindicava o respeito em todas as suas instâncias. Por outro, a dança com uma linguagem corporal intuitiva e inclusiva trouxe ao palco, a leveza e a alegria do grupo que representava a APAE.
Uma roda de conversa mediada pela coordenadora do Serviço de Convivência e psicóloga Milene Vasconcelos pontuou questões, pertinentes ao tema de inclusão e defesa da pessoa com deficiência. O bate-papo intercalado com a também psicóloga Fernanda de Oliveira, com a educadora física Cristiane Trigueiro e a Terapeuta Ocupacional Melissa Teixeira, foi enriquecedor diante da troca de experiências.
A atuação profissional de cada uma delas permitiu desenhar um cenário, que levantou pautas relevantes como a necessidade de mais profissionais especializados no mercado, para atender a alta demanda por diagnósticos.
A convivência de crianças atípicas na sociedade e como as escolas estão recebendo esse público foram lembrados, colocando esse ambiente em um lugar não somente acadêmico, mas pedagógico e socializador. O acolhimento dos pais, que também precisam de ajuda e orientação, foi observado, conduzindo ao pensamento de que esse processo de inclusão está associado à aceitação e entendimento familiar.
As vivências dentro dos consultórios permitiram que Fernanda e Melissa transportassem para o público os impasses, do ponto de vista de quem está na linha de frente das fragilidades e conceitos de um sistema ainda em construção. Já Cristiane, mãe atípica de uma criança de 7 anos, trouxe o contraponto da vida particular, em face dos atendimentos de outras crianças atípicas no seu perfil profissional.
Conforme divulgamos, o encontro também abriu pauta para a formação do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência – COMPED, momento que foi conduzido pela subsecretária de Assistência Social Cristiane Sanches.
Apesar de não haver todos os representantes das diversas instâncias da sociedade, exigidas para formação do Conselho, foi possível eleger dentre os convidados alguns membros. No momento da eleição, não houve manifestantes de Pessoas com deficiência auditiva, visual e física. No entanto, a equipe da Secretaria de Desenvolvimento Social já está articulando a eleição de algumas pessoas que tiveram interesse em ocupar uma cadeira no Conselho, após a realização do Encontro. Logo que houver uma definição divulgaremos posteriormente.
Do público presente no Palácio da Cultura, foi definida por voto aberto, a eleição dos seguintes nomes:
– Representantes das pessoas com deficiência Transtorno do Espectro Autista: Kelly Gonçalves (titular) e Thiago Miguelito Navarro Camargo (suplente);
– Represente PCD Intelectual: Vânia Maria Pereira (titular) e Marilene Alves Sobrinho Ribeiro (suplente);
– Representante entidade prestadora de serviço na área de habilitação e reabilitação de pessoa com deficiência e na ausência de entidade, profissional habilitado: Fernanda Oliveira.

 

Com informações e fotos da Prefeitura de Matozinhos