Escolha uma Página

Ainda faltando alguns meses para o início do período de chuvas, a Prefeitura de Contagem tem trabalhado para evitar alagamentos em leitos de córregos que, dependendo da quantidade de precipitação de águas, podem vir a transbordar, causando problemas à população que circula ou mora nas proximidades.

 

Desde a última semana, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) está trabalhando na região do bairro Vale das Orquídeas, no Nacional. O córrego Bom Jesus tem sido limpo nas margens e no leito assoreado. A ação faz parte do Programa “Caminho das Águas”, desenvolvido pela Semad, juntamente com a Secretaria de Obras e Limpeza Urbana (Semobs).

 

O córrego Bom Jesus é um dos maiores córregos de Contagem, segundo informações da superintendência de fiscalização ambiental da Semad. Ele nasce na região da BR-040 e, em seu curso, recebe seus afluentes e contribuintes, desaguando na  Lagoa da Gangorra. Dessa forma, contribui para  a Bacia da Pampulha, carregando também seus afluentes a partir dela.

 

Com muita vegetação oportunista às margens, o superintendente da Semad, Eric Machado, explicou que esse tipo de cobertura é removido, como, por exemplo, a leucena, uma árvore exótica: “Além de retirar a vegetação, fazemos o desassoreamento  com maquinário. Com a  vegetação natural e nativa não há intervenção que não seja necessária”.

Ele ressaltou que ao fazer o desassoreamento do leito d’água, tanto na montante (início do leito), como na jusante (parte final do córrego)   é facilitada a acomodação da água, melhorando a vazão e contribuindo para não alargar as margens e transbordar.

 

Os trabalhos de desassoreamento começaram na altura da rua Palmeiras e se estendem até a Lagoa da Gangorra. “Vamos  fazer  o que for possível, tecnicamente, desassoreando para aumentar a capacidade de acomodação e vazão dessa água, para que não haja passagem dela para processos erosivos ou para inundação de casas e construções”, completou Machado.

 

Todo o trabalho deve durar cerca de 20 dias, com um diagnóstico posterior para avaliar se há necessidade de mais intervenções.

O superintendente explicou que para fazer o trabalho, a Semad  faz as autorizações necessárias, uma vez que envolve mata preservada e leito de córrego, Já a Semobs entra com o maquinário para a  execução do processo. Ao final, a Semad finaliza fazendo a fiscalização e produzindo um relatório do trabalho realizado.

O programa Caminho das Águas envolve interlocução com a comunidade, executivo e legislativo. “Além de fazer todo o trabalho de desassoreamento, ainda está previsto plantio nas laterais, cadastro de nascentes”, informou o superintendente. O córrego Bom Jesus é o primeiro na região Nacional a receber as ações. Todas as oito regionais participam do programa.

Morador do Vale das Orquídeas, o tanatopraxista Alex de Andrade Campos,  39, atual presidente da associação de moradores do bairro, participou da mobilização para as ações de limpeza e está satisfeito com o trabalho em execução pela Prefeitura.

Segundo ele, a região já sofreu com enchentes. Contudo, o trabalho realizado é fundamental para evitar futuros problemas. “Já tivemos momentos bem ruins aqui, com o transbordamentos, após as fortes chuvas. Muita gente perdeu móveis e tudo aconteceu muito rápido. Ver ações assim nos dão esperanças de dias melhores”, contou.

Fonte: Prefeitura de Contagem

Foto: Ronnie Von/PMC