“NÃO SE PRESERVA A MEMÓRIA DE UM POVO

SEM O REGISTRO DE SUA HISTÓRIA”

Promover o acesso amplo e universal à saúde é o principal motivo da existência de um sistema de saúde, como o SUS, no qual a boa gestão local dos recursos impacta diretamente na vida das pessoas. Em Contagem, um exemplo muito positivo disso é o atendimento no Centro Materno Infantil (CMI), que vem se destacando em diversas áreas, entre elas a de cirurgias voltadas para o público feminino.

Em todo o ano de 2023, foram realizadas 1.379 cirurgias nas áreas de mastologia e ginecologia, que impactaram positivamente a vida das mulheres a partir dos procedimentos. Todas elas contaram com o acolhimento sensível e atencioso das equipes do Centro Materno Infantil, oferecido pela Linha de Cuidados da Mulher, que busca promover um atendimento integral a todas as mulheres.

Entre as cirurgias mais realizadas, destacam-se como as mais comuns a de remoção cirúrgica do útero (histerectomia); para um exame detalhado do interior do útero (histeroscopia); para esterilização voluntária e definitiva da mulher (laqueadura); cirurgia para remoção de um ou dois ovários (ooforectomia).

De acordo com a enfermeira obstetra e gerente da Linha de Cuidados da Mulher do CMI, Hellen Carolina Santana, a realização desses procedimentos cirúrgicos integram o conjunto de cuidados oferecidos pela linha, com a atuação de uma equipe multidisciplinar, trazendo mais saúde e bem-estar às mulheres.

“É uma forma de promover o acesso a um diagnóstico correto e o tratamento mais adequado para cada caso. Isso traz melhoria da qualidade de vida, inclusive quando há um desejo pela concretização da esterilização cirúrgica para planejamento reprodutivo da mulher, por exemplo”, afirmou.

Do atendimento ao pós-operatório

De acordo com a enfermeira obstetra, na maioria dos casos, tudo começa nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), onde as pacientes são atendidas pelo ginecologista. Quando há indicação de procedimento cirúrgico, inicia-se o processo de regulação e autorização, no qual a guia emitida pelo médico da UBS é encaminhada ao Centro de Autorização de Procedimentos em Saúde (Ceaps), que faz toda a análise de regulação e agendamento do pré-operatório.

“O pré-operatório acontece no ambulatório do CMI, onde a paciente recebe todas as informações sobre o procedimento, realiza exames complementares e o risco cirúrgico. Após a liberação nesse processo, o procedimento é agendado para a realização no Bloco cirúrgico do próprio CMI”, explicou Hellen Carolina. Ainda segundo ela, após o procedimento, as pacientes fazem retorno ao ambulatório e, caso esteja tudo bem, recebem alta definitiva.

Mais saúde e gratidão

Para Rosângela da Silva, que acompanhou a filha durante todo o atendimento no CMI, a palavra que resume o sentimento dela é gratidão. “Minha filha foi muito bem atendida e correu tudo bem, graças a Deus! Hoje só tenho a agradecer à Fernanda (médica) e toda a equipe. Todos foram muito atenciosos com ela e fizeram tudo o que foi possível para que desse certo. Considero todos eles como anjos de Deus na vida da minha filha”, ressaltou.

Outra paciente que também passou por cirurgia no CMI, Mônica Godinho Picacio, falou dos bons resultados que alcançou. “Eu só tenho elogios. O antes, durante e depois da cirurgia, graças a Deus, correu tudo bem. Sou muito grata à equipe. Não tenho nada do que reclamar, só elogios mesmo. A médica que fez a cirurgia, continua me acompanhando lá no hospital, pois eu tenho endometriose”, destacou.

Os investimentos feitos nos últimos anos no Complexo Hospitalar de Contagem (CHC), tanto na compra de equipamentos quanto na ampliação e requalificação das equipes, são também parte desses resultados positivos. Foram mais de R$ 20 milhões aplicados, incluindo verbas federais e também do próprio município, sempre na busca por oferecer amplo acesso da população a serviços de saúde de alta qualidade.

Com as informações da Prefeitura de Contagem