“NÃO SE PRESERVA A MEMÓRIA DE UM POVO

SEM O REGISTRO DE SUA HISTÓRIA”

O Grito de Carnaval da APAE-BH, com o desfile do bloco APAETUCADA, chega à 16ª edição novamente com o apoio da Prefeitura de Belo Horizonte. O cortejo do bloco acontece neste sábado (03), às 14h30, com concentração a partir das 14h na sede da APAE-BH (Rua Cristal, 78, bairro Santa Tereza), ao som da bateria formada por pessoas com deficiência atendidas pela instituição e componentes de blocos parceiros. Intérpretes de Libras da Prefeitura de Belo Horizonte farão a tradução do desfile de cima de um mini trio elétrico.
Além da manifestação cultural e a alegria do período de Carnaval, o desfile busca promover a participação e a visibilidade das pessoas com deficiência. O cortejo contará, também, com a participação de outras instituições de apoio às pessoas com deficiência e grupos ligados ao trabalho social. Além de escolas especiais públicas e privadas.
A Corte Momesca de Belo Horizonte, composta pelo Rei Momo Wallace Guedes, a Rainha Aline Caldeira e a Princesa Raíssa Medeiros, é presença confirmada no desfile do APAETUCADA.
O cortejo do bloco tem diversas alas temáticas com cinco paradas para apresentação dos ritmistas da bateria e interação com o público. Foliões da comissão de frente desfilarão com bandeiras e faixas que destacam o movimento inclusivo. Um carro de apoio, para distribuição de água para a bateria e voluntários da organização, também acompanhará o desfile do APAETUCADA.
O diretor de Políticas para as Pessoas com Deficiência, da subsecretaria de Direitos de Cidadania de Belo Horizonte, Luiz Vilani, ressalta o caráter inclusivo do bloco.
“O Carnaval de Belo Horizonte tem o intuito de promover o pertencimento e representatividade de grupos sociais da cidade. O apoio institucional à atividade de promoção dos direitos das pessoas com deficiência durante o período da folia e a potencialização do bloco APAETUCADA reforça o compromisso da Prefeitura na inclusão e igualdade de direitos e abrimos espaços para que pessoas com deficiências possam usufruir e se apropriar das ações culturais e dos espaços públicos do município”, explica Luiz Vilani.
Com informações da Prefeitura de Belo Horizonte
Foto: Stênio Lima / PBH