Manipulação

Manipulação

   Manipular ou ser manipulado, qual o pior?

   Em minha concepção, só há um manipulador, quando alguém aceita ser manipulado.   Acredito que o poder está nas mãos daquele que esta ouvindo a história, que lerá todas as informações que virão com ela.

   Voces vão dizer que não é verdade, que estou sendo fria e calculista, será?

   Pensem comigo, a tarefa mais difícil ao orientar nossos jovens, é fazê-los pensarem por si. Porque há uma cobrança muito grande de que sejam fiéis, aos pais, ao namoro, aos amigos, etc.   Esse mesmo jovem entra em conflito quando percebe que algo esta errado nas falas de seus pares, mas  a fidelidade a um grupo ou mesmo um familiar, o faz questionar o que esta verdadeiramente sentindo.

    Trabalhei com  adolescentes e crianças por muitos anos, a manipulação já começa na tenra idade, minha maior preocupação, sempre foi com o manipulado, era nele que concentrava minha energia, pois sabia que muitos manipuladores estariam a espreita no decorrer de sua vida.

   E para pelo menos garantir que ele perceberia, estava sempre aconselhando a seguir suas próprias ideias, o que mais me chamava a atenção nesses momentos de aconselhamento era o medo de ficarem sozinhos. Ao que eu dizia, novos amigos aparecerão. E isso sempre acontecia. Lógico que infelizmente não tive sucesso em todas minhas abordagens, mas garanto que em boa parte sim.

  É no fortalecimento da personalidade do manipulado que vamos afastar este fantasma da vida de qualquer um.

  Você dirá, mas não é fácil, verdade, no começo achamos que não vamos conseguir, mas garanto que sim. A primeira coisa a fazer é perceber que esta sendo manipulado, pois quando isso acontece, sentimos um desconforto bem na região, abdominal, como se tivesse sendo apertada.

  Se em alguma conversa ele aparecer, atente-se pode ser uma manipulação, proteja-se, confiando nos seus instintos, saiba que todos nós somos capazes de discernir entre o que é bom e o que é ruim. Mas o principal é perder o medo de ficar sozinho. Todo manipulador joga com isso, se uma pessoa te ameaçar, fuja desta amizade. Porque ela é tudo menos uma amizade.

   E quanto ao manipulador? Esse irá procurar outra vítima, infelizmente, mas muitas vezes, ao perceber que não terá sucesso, ele muda de estratégia e passa a te respeitar, pois percebeu que sua máscara caiu, e se essa pessoa esta inserida em sua família, a relação será mais perto da normalidade possível. O importante é estar atento aos seus instintos. Não há necessidade de conflito, mas de percepção. Só isso já basta para afastar esse comportamento do outro com relação a você.

O filme que me inspirou foi A menina que matou os pais, Amazon Prime, do caso Suzane, a garota matou o pai e a mãe com a ajuda do namorado.

Conheça mais sobre Li Couto https://instagram.com/licouto

Manipulação

Autenticidade

Como é difícil sermos autênticos, principalmente quando somos cobrados a ser quem não somos para nos encaixarmos em algum determinado padrão.

  Seja ele exigido pela sociedade, pela família.

   E me refiro aos jovens aqui, muitos entram em uma depressão, que poderia ser evitada se suas características fossem respeitadas.

   Não é nada fácil ser jovem, muitos dizem que é a melhor fase da vida, discordo, para muitos é um período de tortura, onde ficam divididos, entre o que são e o que esperam que sejam.

   E isso acarreta para o jovem, e aqui me refiro a ambos os gêneros, uma cobrança interna que pode gerar doenças sérias, só pelo simples fato de terem que se enquadrar em algo que é impossível para ele ou ela.

   E lá se vai aquele ser sem saber muito bem o que fazer.

   Conheço muitas histórias de filhos que seguem as mesmas carreiras de seus pais, por imposição da própria família, e em nenhum momento se é perguntado qual a sua verdadeira vocação.

    Por esse motivo vemos tantos profissionais de várias áreas, insatisfeitos, infelizes em suas carreiras.

   Certa vez conversei com uma moça, que disse ter feito a faculdade que o pai sonhou para ela, mas seu sonho era ser professora. Ela se formou do jeito que a família queria, obedeceu a todas as ordens que lhe foram impostas. No dia da formatura, ela pegou o canudo e entregou ao seu pai dizendo, esta aqui me formei, agora vou seguir meu sonho e vocação. Ela se casou e com o apoio do marido, fez pedagogia e iria atuar na área, enquanto me relatava a história, seus olhos foram ficando brilhantes, conforme me contava o quanto estava feliz por poder lecionar.

     Enfrentar a família ou mesmo o grupo que te apoia nem sempre é possível, mas se tem algo que ninguém nos rouba é nossa autenticidade, o que esta lá no fundo de nossa alma, aquilo que nos move.

     E mesmo que num primeiro momento isso não possa ser feito, acredito que em algum você poderá fazer como a moça a qual relatei a história acima, e quando você contar sua trajetória seus olhos brilharão como os dela brilharam.

     O mais importante aqui é se manter fiel a sua vocação, a sua forma de ver o mundo, as  convicções de um mundo melhor, onde os sonhos possam e devem ser respeitados.

   O filme que me inspirou neste texto foi Space Jam UM NOVO LEGADO, Disney Plus, que conta de forma divertida a história de um super astro do basquete e seu filho, que não gosta do jogo.

Conheça mais sobre Li Couto https://instagram.com/licouto?igshid=2i81a3ty2vr2

Manipulação

Liberdade II

Essa tal de liberdade, tão sonhada, tão misteriosa, tão cobiçada.

   A vejo de várias formas e modos de acordo com a situação de cada pessoa. Por exemplo, para um jovem, liberdade é ter dinheiro para sair ou viajar com os amigos, para uma pessoa mais velha, seria poder fazer o que quer, sem ter que se preocupar com clientes ou mesmo chefes. Para uma mãe de criança pequena seria fazer qualquer coisa sem ser interrompida várias vezes  perdendo o raciocínio.

   Então se pararmos para pensar ,  essa tal liberdade tem várias vertentes e todas darão a mesma mensagem, liberdade é ter a oportunidade de se fazer o que bem entende e em qualquer hora que se decidir por isso.

   Partindo desse preceito, podemos chegar a um veredito de que não é tão difícil assim adquirir a tal da famosa e liberdade.

   Mas apesar de toda a coragem que possa ter para enfrentar todos os percalços que nos separam dela, ainda assim em algum momento de nossos dias estamos ali presos em algum compromisso, tarefa ou acordo do qual não conseguimos nos desvencilhar.

   E então, passamos a ter o relógio como nosso maior aliado ou carrasco, dependendo do momento que ele esta agindo em nosso dia.

   Nesses momentos pensamos, ah se tivesse a tal liberdade jogaria tudo pelo ar e iria fazer o que bem entendo . Será?!

   Me aposentei a pouco tempo, e lembro que uma das minhas maiores preocupações era, o que fazer depois, precisava de um plano B. E ele veio através da literatura, estou amando essa fase da minha vida, posso fazer meus horários e ainda ter algo  que  me motiva a continuar sonhando e criando planos em minha cabeça. Pois na minha concepção  liberdade demais me daria tédio.

   Então no meu caso, meia liberdade basta para me fazer feliz, caso contrário fico no marasmo de não estar envolvida em algum projeto ou demanda.

  Mas conheço pessoas que adoraram a liberdade de não ter nada para fazer, cada um com uma personalidade e todas elas válidas.

   Agora quando sua ocupação ou compromisso ameaça sua felicidade, neste caso devemos rever alguns conceitos e partir para a segunda parte que é ponderar o que é mais importante para você neste momento de sua vida.

  E aí depois de todos os prós e contras calculados, é só curtir a vida da melhor forma possível, e se a tal liberdade ,só for pela metade, te garanto que mesmo assim ainda vale muito a pena tê-la.

  O filme que me inspirou neste texto foi SEM FILHOS, Netflix, que conta a história de um pai solo que esconde a existência da filha para sua atual namorada. Leve e divertido, vale a pena conferir.

Acesse as redes sociais da escritora Li Couto!

https://instagram.com/licouto?igshid=2i81a3ty2vr2

Sinceridade

Sinceridade

Gosto muito desta palavra, apesar de algumas pessoas a usarem de forma agressiva, e cometendo o que chamo de sinceronídeo.
O que seria então ser sincero. No meu ponto de vista, o principal papel da sinceridade, esta diretamente ligada a nós mesmos.
Muitas vezes acreditamos que quando falamos da tal sinceridade, estamos somente olhando para a que usamos com as outras pessoas, se fomos sinceros e honestos, mas acho que o grande nó aqui é sermos sinceros conosco.
Em muitas situações ficamos tão perdidos em meio a tantas cobranças, da família, dos amigos, do trabalho, dos relacionamentos amorosos, que sufocamos as nossas ideias, vontades e as relegamos aos calabouços da mente e a tal sinceridade é jogada fora, a ignoramos só para estarmos bem no grupo.
O preço que pagamos é um caro amargo na boca do estomago, afinal a pessoa que mais devemos proteger, que somos nós mesmo, deixamos a deriva , só por não assumirmos o que sentimos ou mesmo não sentimos.
Já percebeu que muitas vezes, pensamos diferente de um grupo de pessoas e para não gerar discórdia, ficamos na dúvida se o que sentimos é o correto, pelo simples fato de várias pessoas pensarem de outra forma.
E é aí, nesse ponto que devemos nos ater, sermos sinceros com a gente mesmo. Mesmo se naquele momento não puder ser honesto com relação a ideias e ideais, devemos lá no fundo de nosso coração, usar de total sinceridade e manifestar, nem que seja para nós mesmos nossos verdadeiros sentimentos.
E posso te garantir, que só esse gesto já basta para que toda a incerteza daquela situação específica abrande, e sigamos em paz com a convicção de que fomos honestos conosco.
E quando digo honesto é garantir que apesar de várias pessoas o persuadirem, você se manterá fiel a si, mesmo as circunstâncias não sendo favoráveis para uma defesa efusiva, mesmo assim a sinceridade interna deve ser preservada. Seja seu melhor ouvinte, amigo e confidente. E você verá os resultados aparecem rápido, uma alegria constante, um sono tranquilo e uma vida mais leve.
E voltando a sinceridade com relação a outras pessoas, se a forma como você se expressa, deixa o outro desconfortável, sugiro que reveja suas falas, pois não é nada agradável sair de uma conversa com a sensação de não querermos mais falar com uma pessoa, afinal, ninguém quer ser alvo de palavras duras o tempo todo, não é mesmo?
Então continue usando a sinceridade com os outros sem cometer sinceronídeo.

A série que me inspirou neste texto foi Love Modern, Amazon Prime, que conta as várias formas modernas de se viver o amor.

Conheça mais sobre Li Couto https://instagram.com/licouto?igshid=2i81a3ty2vr2 / https://svconvivencias.com.br/

https://soundcloud.com/jornal-panorama/artigo-podcast-com-a-escritora-li-couto-sinceridade-53
Reencontro

Reencontro

Essa palavra, tem algo de nostálgico, de acolhedor, afinal só queremos reencontrar alguém que nos faz sentir muito bem, não é mesmo?

   Há um tempo, vi num post do instagram , se você pudesse marcar um encontro com alguém que já partiu de sua vida, para o Pai, com quem você gostaria de sentar para papear. Naquele instante me passou várias pessoas pela cabeça, das quais morro de saudade, de quando elas ainda viviam e podíamos bater longos papos.

   Mas e se essa pessoa com a qual pode haver um reencontro, ainda vive?! Você pode pensar,  aí muda tudo é só entrar em contato e pronto. Será?!  

   Tenho uma amiga super querida. Trabalhamos juntas.  Mas em um determinado tempo, me mudei de bairro, saí de onde trabalhava , ela também, e perdi o número de celular dela, até hoje não sei como isso aconteceu. Enfim, morria de saudade, até que um antigo colega de trabalho encontrou meu contato e me convidou para uma festa do pessoal que trabalhou junto. Amei a ideia, perguntei se minha amiga havia sido convidada, mas ele não soube responder. Bem, cheguei à festa, na expectativa de reencontrá-la, mas lá no fundo temia sua reação, será que ela sentia saudades também? E quando ela cruzou a porta de entrada nossos olhares já se cruzaram e pelo sorriso que ela deu, meu coração se alegrou, a nossa amizade venceu o tempo. Lógico que atualizei seu contato, hoje nos vemos com regularidade, e isso me alegrou muito.

   Mas em um reencontro sempre há o fantasma do medo de que a pessoa tenha mudado muito, que suas ideias não batem mais, etc… Mas nesse caso citado acima percebemos que continuávamos as mesmas.

   E se o reencontro for um antigo amor? Acho que aí as coisas complicam um pouco mais, por envolver um sentimento ainda mais forte, pode ter restado alguma mágoa de um lado ou outro, algum desencontro doloroso, que pode deixar algumas marcas. Gerando um comportamento que vai contra o que o coração quer, só para não se machucar mais, a pessoa prefere nem sequer pensar naquele amor quanto mais  dar mais uma chance de vive-lo.

   Por simples e puramente ter medo de ser rejeitada, de enfrentar a mágoa ou até mesmo o desinteresse do outro. Com isso passa a vida somente imaginando como teria sido se reencontrasse tal pessoa.

   E como sabem acredito em magia, e contando com essa aliada, se o reencontro tiver que acontecer ela vai dar uma forcinha, aí é só preparar o coração , se vestir de coragem e se permitir viver a grande alegria de um doce reencontro.

  O filme que me fez refletir sobre esse assunto foi A ÚLTIMA CARTA DE AMOR, Netflix, um filme cheio de emoções e um amor lindo de se ver.

Acompanhe mais sobre Li Couto https://instagram.com/licouto?igshid=2i81a3ty2vr2

https://svconvivencias.com.br/