Apesar de as crianças não serem público-alvo, elas podem ser as que mais sofrem com o vírus e a aprovação da Anvisa para essa faixa etária será encaminhada para a Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 do Ministério da Saúde.  

Ontem, dia 13, quarta-feira, após a aprovação da Anvisa, o Instituto Butantan requereu que a CoronaVac seja integrada na imunização de crianças de 3 a 5 anos. Já que ela poderá ser aplicada em imunossuprimidos e, que terá aplicação em duas doses, com intervalos de 28 dias. Essa é a mesma usada em adultos.

A Anvisa que não determinou quando começa a vacinação e distribuição de doses, bem como o cronograma e a alteração de planos que dependem também dos estados, municípios e do Ministério da Saúde. E essa decisão que foi tomada após estudo de um termo apresentado pelo Instituto Butantan, no dia 11 de março para conter a transmissão do vírus. O Butantan afirmou que “espera agora que o imunizante seja incorporado ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde, de acordo com a demanda necessária e mediante contratação”.

De acordo com o consórcio de imprensa, 13.094.879 doses foram feitas em crianças de 5 a 11 anos, que foram imunizadas em parte. O que representa por volta de 63,88% das crianças em que tomaram a primeira dose.

Fonte: G1

Imagem: CNNBrasil