O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro foi preso em operação da Polícia Federal deflagrada na manhã de hoje, 22. Ele e pastores são suspeitos de montar um gabinete paralelo para liberação de verbas dentro do MEC.

Além do ex-ministro, os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura também são alvos de mandados de prisão. A PF investiga Milton por ter supostamente favorecido os pastores e por eles atuarem informalmente dentro do ministério; há ainda suspeita de cobrança de propina.

O inquérito foi aberto depois de o jornal “O Estado de São Paulo” revelar, em março, a existência de um gabinete paralelo dentro do ministério controlado pelos pastores. Após, o jornal “Folha de São Paulo” divulgou o áudio de reunião em que o ex-ministro afirma que, a pedido do presidente Jair Bolsonaro, repassava verbas aos municípios indicados pelo pastor Gilmar Silva.

A Operação “Acesso Pago” tem o objetivo de investigar a prática de tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação). O mandado de prisão preventiva contra o ex-ministro cita os crimes de corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência.

Com informações do Portal G1 e da CNN
Foto: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

Matéria atualizada às 9h51