Já são oito os suspeitos pela more do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira. É o que informou a Polícia Federal neste domingo, 19 de junho. O jornalista e o indigenista foram mortos no Vale do Javari, no Amazonas.

De acordo com os agentes, mais cinco pessoas teriam ajudado a enterrar os corpos de Dom e Bruno. Os nomes dos suspeitos não foram revelados.

Até o momento, três suspeitos foram presos: o pescador Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como Pelado, que confessou os homicídios; Oseney da Costa de Oliveira, irmão de Amarildo, que nega ter participado do crime; e Jeferson da Silva Lima, que se entregou por ter participado ativamente do duplo homicídio e ajudado na ocultação dos corpos.

A perícia da Polícia Federal identificou que ambos foram mortos com disparos de armas de caça. De acordo com os agentes, Phillips recebeu um tiro e teve lesões principalmente na região abdominal e torácica; já Pereira recebeu dois disparos, um na região do tórax e do abdômen e um na face.

Dom Phillips era correspondente do Jornal The Guardian e viajava frequentemente para a Amazônia para relatar a crise ambiental e suas consequências. Já Bruno Pereira era servidor licenciado da Funai (Fundação Nacional do Índio) e era conhecido como defensor dos indígenas e combatente dos invasores.

Com informações do UOL
Foto: TV Globo/ reprodução