4ª Brigada de Infantaria Leve de Montanha

A 4ª Brigada de Infantaria Leve de Montanha é uma Grande Unidade do Exército Brasileiro, sediada na cidade de Juiz de Fora-MG e é a única Brigada de Montanha do Exército e possui 4 (quatro) Batalhões orgânicos de Infantaria (10º Batalhão de Infantaria Leve de Montanha em Juiz de Fora-MG, 11º Batalhão de Infantaria de Montanha em São João Del Rei-MG, 12º Batalhão de Infantaria Leve de Montanha em Belo Horizonte-MG e 32º Batalhão de Infantaria Leve de Montanha em Petrópolis-RJ). Além dos Batalhões de Infantaria possui o 4º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado sediado em Santos Dumont-MG, o 4º Grupo de Artilharia de Campanha Leve de Montanha em Juiz de Fora, a 4ª Companhia de Comunicações Leve de Montanha em Belo Horizonte, o 17º Batalhão Logístico Leve de Montanha em Juiz de Fora, a Companhia de Comando, o 35º Pelotão de Polícia do Exército e o Campo de Instrução de Juiz de Fora, todos sediados em Juiz de Fora, perfazendo um total de 11 (onze) Organizações Militares subordinadas à Brigada de Montanha.

A 4ª Brigada de Infantaria foi criada em 1908 e, após um curto período na cidade de São Paulo-SP, foi deslocada para Belo Horizonte-MG, em 1919.

Durante os anos 30, por meio de suas Unidades sediadas em Minas Gerais, a 4ª Brigada de Infantaria teve participação marcante na pacificação dos movimentos que ocorreram no País. Posteriormente, em 1938, recebeu a denominação de Infantaria Divisionária da 4ª Divisão de Infantaria (ID/4).

Um contingente das Unidades da ID/4 integrou o 11° RI, de São João Del Rei – MG, que, enquadrado pela 1ª Divisão de Infantaria Expedicionária (1ª DIE), compôs a Força Expedicionária Brasileira (FEB) durante a 2ª Guerra Mundial. O contato com a 10ª Divisão de Montanha do Exército dos EUA representou importante aprendizado de novas técnicas de combate, podendo ser considerar a gênese do montanhismo militar brasileiro, que nasceu com as conquistas de Monte Castello, Castelnuovo, Montese e Collecchio

Em 1952, a ID/4 teve a sua sede transferida para a cidade de São João Del Rei-MG, retornando quatro anos depois para Belo Horizonte. Partindo dessa capital, em 31 de março de 1964, desempenhou um papel decisivo e corajoso na eclosão da Revolução Democrática, que motivou o recebimento da denominação histórica de “BRIGADA 31 DE MARÇO”.

Em 1971, com a extinção da ID/4, passou a constituir a 4ª Brigada de Infantaria, que seria transformada, em 1985, em 4ª Brigada de Infantaria Motorizada.

Em 1996, voltou a ter participação internacional ao integrar o Batalhão de Força de Paz em Angola/África, na Terceira Missão de Verificação das Nações Unidas, UNAVEM III

No ano seguinte, foi transferida para Juiz de Fora/MG, passando a ocupar, desde então, o Palacete Frederico Ferreira Lage, patrimônio cultural e histórico da cidade.

Diante dos desafios da guerra moderna, que exige do homem preparo e características ímpares, em 04 de setembro de 2013, o Comando do Exército decidiu potencializar a característica operacional da Brigada e reconhecer sua participação no desenvolvimento do montanhismo militar Brasileiro, ao transformá-la em 4ª Brigada de Infantaria Leve de Montanha.

Realizado na Serra da Mantiqueira, na divisa dos estados de SP e MG, a Operação Guia transcorreu em terreno com altitude média de 1.800 metros, durante uma semana de frio intenso com temperaturas de até -5º C.

No início do exercício os pelotões cumpriram uma jornada de instruções de nivelamento (Técnica de Ação Imediata contra emboscada, Prevenção a acidentes térmicos de baixa temperatura, operações com helicópteros e utilização de Sistema de Aeronave Remotamente Pilotada), potencializando, desta forma, o adestramento da tropa.

Os pelotões de reconhecimento são as frações mais especializadas da Brigada de Montanha, composta por Guias de Montanha, Guias de Cordada e Auxiliares de Guia de Cordada, militares aptos a planejar e conduzir operações militares em ambiente operacional de montanha.

Foram cumpridas missões de reconhecimento de itinerário, resgate de um piloto ferido utilizando um sistema de forças, monitoramento de uma região utilizada pelo inimigo (figurado), ultrapassagem de um obstáculo natural (montanha) utilizando equipamentos de escalada e preparação de carga para ressuprimento aeromóvel.

EXERCÍCIO DE ADESTRAMENTO DOS PELOTÕES DE RECONHECIMENTO “OPERAÇÃO GUIA 2022”

Dentre as atividades realizadas pela 4ª Brigada de Infantaria Leve de Montanha, com sede em Juiz de Fora, ocorreu entre os dias 13 e 20 de maio de 2022, o exercício de campo denominado Operação GUIA 2022 (Op GUIA 2022), com os Pelotões de Reconhecimento (Pel Rec) dos seus quatro Batalhões de Infantaria, na região da Floresta Nacional de Passa Quatro (FLONA Passa Quatro), abrangendo as cidades de Itajubá, Passa Quatro e Delfim Moreira.
Essa atividade foi conduzida e executada dentro dos limites da FLONA e ocorreram incidentes com execução de tiros de festim, portanto, as ações foram totalmente seguras para os moradores das regiões e militares que participaram do exercício.
Cabe ressaltar que durante toda a preparação da operação foram observados os protocolos de segurança previstos no combate à pandemia do COVID-19 e que todo o efetivo que participante da operação foi devidamente imunizado.

Informações e fotos: 4ª Brigada de Infantaria Leve de Montanha