Há pessoas que só de pensar nesta palavra, sentem os pelos do corpo arrepiar, são avessas a planos, acham que geram muita ansiedade, e simplesmente não planejam.

   Há aquelas que só conseguem viver, com um plano em sua cabeça, o guiando sempre na direção a qual escolheu quando o traçou.

   E observando essas duas formas de agir, chego a uma humilde conclusão, que ambas são satisfatórias.

   Na primeira a pessoa deixa as coisas fluírem com mais soltura, sem fazer planos ou arquitetar meios para atingir algo. E muitas vezes podem sair satisfeitos, pois eis que a  vida, os surpreendem com algo inusitado, apesar de sua total falta de planejamento. Sabe aquela pessoa que de repente, recebe uma herança, ou ganha um prêmio ao qual não estava esperando, ou aquele ou aquela que é descoberto para fazer algo do nada, como é o caso de modelos e jogadores.

    E como disse acima, há os que planejam, com detalhes, com requinte, com audácia. Criam um plano e investem nele, a diferença do primeiro é que aqui a pessoa sabe onde quer chegar, pesquisa, faz cursos, se aprimora, treina se for o caso. Dedica todo seu tempo disponível para atingir aquele objetivo que ela traçou.

   E por saber onde quer chegar ela tem o poder de decidir como e quando as coisas vão acontecer. Então quando perceberem seu potencial, não será a primeira oferta que aparecer, que será agarrada, como um bote salva vidas.

   Essa pessoa traçou um plano, ela sabe o patamar que quer atingir, assim mantém o foco, e passa a estudar com bastante atenção as propostas que aparecem, para quando fizer uma escolha, essa seja a que vai de encontro com todo o planejamento e investimento que fizera até agora.

    E sabe um diferencial que este tipo de pessoa, que planeja, tem, ela acredita em seu potencial, acima de tudo e de todos. Então quando alguém lhe apresenta uma proposta, ela para e analisa , se a esta valorizando e não tem medo de dizer e acreditar no quanto é boa.

    E como sempre digo por aqui, acredito em segundas chances e mudanças, em particular estou treinando aceitar meus potenciais, em acreditar no quanto sou boa no que faço. E então só aí partir para a ação. Porque se não acreditar em mim mesma, quem acreditará? Você esta disposto a pensar no assunto? Fica a reflexão.

O filme que me fez refletir sobre esse tema foi KING RICHARD: CRIANDO CAMPEÃS – canal HBO Max, filme que concorreu ao Oscar de melhor filme, melhor ator, melhor roteiro original, melhor atriz coadjuvante. Conta a história de um pai e uma mãe, que viram o potencial de suas duas filhas, na quadra de tênis, a partir daí ambos investiram seu tempo e dinheiro para torna-las jogadoras. O filme retrata a vida das irmãs Venus e Serena Williams, que se tornaram grandes campeãs nesse esporte. Conhecidas mundialmente.

Conheça mais sobre a escritora Li Coutro