COLUNA MG

Rede de Notícias do Sindijori MG

www.sindijori.com.br

Mais de 2 mil CNH’s vencidas no Vale do Aço

Nas quatro cidades da Região Metropolitana do Vale do Aço, há 2.353 condutores com a CNH vencida há 30 dias. A maioria deles na cidade de Ipatinga, que tem 1.322 habilitados com o documento vencido. Logo atrás vem Coronel Fabriciano com 485 condutores, Timóteo com 435 e, por fim, Santana do Paraíso com 111 motoristas em situação irregular. Os dados são do Departamento de Trânsito de Minas Gerais e mostram que há um número considerável de Carteiras Nacionais de Habilitação vencidas e por vencer no estado. Segundo a Polícia Civil, 92.362 condutores estão com a habilitação vencida há 30 dias, com risco de incorrer na multa se forem abordados dirigindo. (Diário do Aço – Ipatinga)

Festa da Serra está de volta

Terá início neste domingo (24) a Festa em Honra da Santa Cruz e Santa Helena, um dos eventos culturais e religiosos de maior tradição da cidade, após dois anos sem qualquer comemoração ou manifestação presencial, em decorrência da pandemia da Covid-19. O tema deste ano será “Com Santa Helena, caminhar juntos em comunhão, participação e missão” e conta com uma rica programação que acontece todos os dias, até 2 de maio. Todos são convidados a ir, sete-lagoanos e romeiros de outras regiões.  (Sete Dias – Sete Lagoas)

Ampliação do hospital na reta final

Com previsão de entrega para junho deste ano, o bloco cirúrgico do Hospital Júlia Kubitschek já está com cerca de 75% das obras concluídas. O bloco passará a contar com sete salas – três a mais do que tem hoje – para atender às demandas de procedimentos eletivos que se acumularam no período pandêmico. A capacidade de cirurgias será ampliada em cerca de 40%, impactando positivamente no acesso da população referenciada ao hospital. Antes da pandemia, em 2019, foram realizados 3.885 procedimentos em diversas especialidades e níveis de complexidade. (Folha Sabará – Sabará)

Casos de dengue aumentam

Os casos prováveis de dengue em Minas Gerais neste ano cresceram 36% em relação a todo o ano passado. Até o início desta semana, 31.436 casos foram registrados no Estado, contra 23.103 de todo o ano de 2021. Do total de casos, 14.814 foram confirmados para a doença. Seis óbitos por dengue foram confirmados em Minas Gerais, dois deles no Norte de Minas: Espinosa e Buritizeiro. Os outros foram em Betim, Bom Sucesso, Itaúna e Medeiros. Outros 21 óbitos são investigados. Os dados são do boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. (Jornal de Notícias – Montes Claros)

Lei incentiva doações em JF

A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) sancionou a lei que cria o programa “Adote uma família”, de incentivo à doação de cestas básicas. De acordo com o texto da lei, o programa deverá criar mecanismos de incentivo à doação de alimentos a famílias que compõem o cadastro oficial do Município e que se encontram em estado de extrema pobreza. Os doadores serão conhecidos como “padrinhos mantenedores”, e todas as doações realizadas através do programa serão espontâneas, podendo ser feitas por pessoas físicas, jurídicas e prestadores de serviço. (Tribuna de Minas – Juiz de Fora)

Vigilância tem audiência pública

Autoridades civis e militares, lideranças, moradores e servidores públicos de Varginha participaram da Audiência Pública que discutiu a implementação de monitoramento e vigilância eletrônica na cidade. O evento foi promovido pela Câmara de Vereadores, a partir de um pedido feito pelo vereador Cabo Valério. Por unanimidade em destacar a importância de termos na cidade um sistema avançado de monitoramento que possa cobrir o município em toda a sua totalidade, colaborando de forma efetiva com as diversas forças de segurança que atuam na cidade. (Blog do Madeira – Varginha)

Pacientes aguardam até 4h em fila

A transferência dos atendimentos pediátricos das Unidades de Atendimento Integrado  dos bairros Planalto e Martins para a UAI do bairro Luizote de Freitas, em Uberlândia, tem causado transtorno na vida dos moradores que buscam a unidade para assistência médica. Algumas pessoas relataram que ficaram cerca de quatro horas na fila de espera para atendimento. O comunicado sobre a transferência dos atendimentos foi divulgado em 8 de abril. Na época, a Prefeitura de Uberlândia justificou a mudança como uma forma de garantir um melhor atendimento às crianças. (Diário de Uberlândia)

Foto: Divulgação