Já parou para pensar, se você tivesse a chance de revisitar, pessoas, situações do passado?

   Como acha que seria? Suave ou tumultuada?

   Como seria reencontrar você criança? Já pensou nisso. Como você se via quando pequeno, como as pessoas te viam?

   Então, vou falar sobre minha experiência, já tive muita raiva da minha criança, das decisões que tomou, de como lidou com algumas questões.

   Aí vão dizer, mas era só uma criança, sim, concordo, mas como explicar isso para nossas sensações?

   Então com o passar do tempo, principalmente no meu caso, depois que fui mãe, entendi várias coisas, como cobrar tanto de uma pessoa tão pequena?

  E aí conforme minhas filhas iam crescendo, fui me reconectando também com minha criança, entendendo certas atitudes e decisões , devo confessar nada satisfatórias.

   Vou dar um exemplo, uma criança pode decidir, que não merece amor, que não merece amigos, que não merece algo de valor, só pelo simples fato de que alguém disse que ela não merecia, pode ser um coleguinha, seus pais, irmãos, não importa, o que define a decisão é como aquela criança, processou o fato.

   Hoje muito se fala e condena o bullying, mas no passado, nem mesmo se dava importância a tal fato, cada um se virava para superar as agressões, verbais, físicas, que sofriam, tanto no ambiente escolar como no familiar.

   Era muito comum o bullying, familiar, na geração que cresci, hoje percebo o quanto isso fez mal a tantos, com crises de ansiedade, pânico e tantas outras que assolam tantos adultos.

   Mas eis que um dia depois de muita terapia, conversas com amigos, percebi que minha criança era sensacional, amável e muito criativa.

    Foi então que abracei essa menina, disse para ela o quanto ela é importante, entendi que tomou várias decisões com a cabecinha de uma menina e que o que os outros achavam era problema deles.

    E então como no filme que me inspirou, percebi que culpava aquela menina por tudo que passei, e no quanto me punia ,mesmo as coisas querendo chegar a mim, eu expulsava, porque tinha tomado uma decisão de acreditar naqueles que me disseram que não merecia. E quando a vi em meus pensamentos, a revi, percebi o quanto é perfeita como é. E em consequência sou resultado dessa criança e então sou uma ótima pessoa.

   E vocês já revisitaram sua criança? Experimente, é transformador!

O filme que me inspirou foi O PROJETO ADAM , Netflix, que conta a história de um jovem que volta ao passado para se reencontrar com sua versão criança,  com muita aventura e reflexões interessantes.

Conheça mais sobre a escritora Li Couto em seu Instagram https://instagram.com/licouto?igshid=2i81a3ty2vr2

https://soundcloud.com/jornal-panorama/artigo-podcast-com-a-escritora-li-couto-revisitar-75?utm_source=clipboard&utm_medium=text&utm_campaign=social_sharing