Uma mulher de 23 anos é apontada pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) como suspeita da morte do bebê encontrado no último domingo (3/4) em Três Pontas, Sul do estado. O corpo do recém-nascido foi localizado por policiais militares, após denúncia, em um córrego às margens da Avenida Zé Lagoa, região central da cidade.

Com o encontro da criança e a consequente repercussão dos fatos em todo o estado, na segunda-feira (4/4), a mulher decidiu embarcar em um ônibus com destino à cidade de São Paulo. Com base nessa informação, a equipe da PCMG fez contato com o setor de inteligência da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que interceptou o ônibus no município de Bragança Paulista. A mulher foi, então, conduzida até a base da PRF em Pouso Alegre e, na presença da equipe da Delegacia de Polícia Civil em Três Pontas, prestou depoimento, ocasião em que confessou o crime.

A Justiça expediu mandado de prisão preventiva contra a suspeita, que foi encaminhada ao sistema prisional mineiro. As investigações serão finalizadas nos próximos dias.

Infanticídio

Segundo apuração da PCMG, na madrugada de quinta-feira (31/3), a mulher entrou em trabalho de parto e teve a criança no banheiro de casa. Em seguida, conforme investigação, ela teria matado o bebê, colocado o corpo dele em um saco de lixo e jogado em um córrego próximo à residência. A suspeita havia escondido a gravidez da família.

De acordo com o laudo de necropsia, a criança pesava 1,7 quilo, media 48 centímetros e apresentava cordão umbilical com cortes irregulares. Exame de docimásia pulmonar hidrostática de Galeno comprovou ainda que o bebê respirou, ou seja, nasceu com vida e depois morreu, possivelmente por asfixia ou inanição.

Fonte: PCMG