Eis aí uma palavra pesada. Afinal só de ler ou ouvir, já bate aquela agitação, aquele medo. Uma angustia que aperta o peito.

  Quando éramos crianças, fomos punidos de várias maneiras, uma chinelada, um beliscão, uma frase ácida, para que você soubesse o seu devido lugar. Foi uma época em que punir um filho era um ato honroso, a educação era baseada na punição e não em ensinar aquela criança a ser um ser humano melhor.

   Mas aqui não cabe julgamentos e nem acusações, foi dessa forma que aprenderam e simplesmente replicaram para os seus filhos, acreditando que dessa forma fariam deles adultos dignos.

   E fizeram, vocês que estão lendo esse texto, ouvindo esse áudio, são honestos , batalhadores, dignos.

   Mas o preço pago para estarem como estão neste momento de sua vida, foi um só, para muitos, estarem ainda se punindo até hoje.

   Pare para refletir, a qualquer ato seu que você considera inaceitável, você se puni.

   Nesse momento irá negar que comete tal ato contra si mesmo. Mas vasculhe suas memórias, busque qualquer erro, desde o mais banal até os mais pesados. Como você se comportou consigo, quando os fez? Qual a punição que lhe infligiu? Reflita.

    Afinal foi implantado na sua cabeça, errei tenho que ser punido. Quando na realidade teria que ser orientado.

   Na cultura indígena, quando um acriança erra, o adulto se abaixa para ficar na altura da criança e mostra para ela o correto a se fazer, não a puni.

   Já na cultura africana, toda a tribo faz uma roda e coloca a criança no centro, mostram para ela o erro e qual o caminho certo, logo após a criança é abraçada pelos seus responsáveis.

   E já que percebemos que há outras formas de se corrigir uma rota, que possivelmente mudei e errei. Basta retornarmos para o caminho correto, sem punições desnecessárias, dolorosas, que ficam enraizadas em nós e o pior, passamos para as próximas gerações.

   Não é à toa que há tantas pessoas com alto nível de ansiedade, por medo de errar, medo da punição, que mesmo agora adulta, onde não tem alguém que a irá punir, ela mesma faz o trabalho.

   Meu convite de hoje, é para que  abracemos mais a nós mesmos, apesar dos erros passados e futuros, que aprendamos a nos amar, consolar e não só nos castigar.

A série que me fez refletir sobre este tema foi THIS IS US , Star+, quinta temporada, que conta a estória de uma família, que perde o pai muito cedo, e todos passam a se punir, mas nessa temporada citada acima, há uma reflexão sobre essa atitude, e cada um deles sai em busca de sua própria absolvição. Muito bom para quem gosta de refletir sobre sentimentos.

Conheça mais sobre Li Couto https://lnkd.in/deAB_TN