Etapa brasileira integra programação do bicentenário da Independência

Começou neste domingo (13), no Rio de Janeiro, o Velas Latinoamerica 2022. O evento, que ocorre de quatro em quatro anos, reúne navios de sete países das Américas (Brasil, Argentina, Colômbia, Equador, Peru, Uruguai e México). O Brasil é o país anfitrião da quarta edição do Velas e tem como representante o navio-veleiro Cisne Branco.

Segundo a Marinha do Brasil, o evento faz parte das comemorações do bicentenário da Independência do Brasil, que será no dia 7 de setembro deste ano.

“O maior objetivo do evento é fortalecer os laços de amizade e profissionalismo, por meio do intercâmbio operacional e cultural entre as marinhas latino-americanas”, afirmou, em nota, o porta-voz do Velas Latinoamerica, capitão de mar e guerra Claudio Sousa Freitas.

Neste domingo, a cidade do Rio de Janeiro foi palco de desfile que começou às 8h, com os sete veleiros participantes do evento passando pelas praias da Barra da Tijuca, de São Conrado, do Leblon, de Ipanema e de Copacabana.

Além do brasileiro Cisne Branco, quem passou hoje pela orla do Rio de Janeiro pôde ver os navios Libertad e Bernardo Houssay, da Argentina, Guayas, do Equador, Unión, do Peru, Capitán Miranda, do Uruguai., e 20 de Julio, da Colômbia. O navio mexicano Cuauhtémoc não participará da etapa brasileira do evento.

“A expectativa para o evento é muito alta porque estamos falando de navios que têm grande apelo visual. Trata-se de veleiros com quatro mastros e, na sua maioria, são navios-escola que estarão no Porto do Rio de Janeiro para promover atividades culturais”, disse Sousa Freitas.

Após a travessia, os navios atracarão no cais do Pier Mauá. A etapa brasileira termina no dia 20 deste mês, quando ocorrerá o desfile naval de despedida. A partir daí, os navios seguirão para o próximo destino: Montevidéu, capital do Uruguai.

Durante o evento náutico, ao longo de quatro meses, os navios veleiros visitarão as mais importantes cidades e portos do Brasil, Uruguai, Argentina, Chile, Peru, Equador, Panamá, Colômbia, República Dominicana, Curaçao e México.  

Cisne Branco

De acordo com a Marinha, o navio Cisne Branco exerce funções diplomáticas e de relações públicas, tendo como missão representar o Brasil em eventos náuticos nacionais e internacionais, divulgar a mentalidade marítima e preservar as tradições navais.

Terceiro navio a ostentar esse nome na Marinha do Brasil, o Cisne Branco foi construído pelo estaleiro Damen Oranjewerf, em Amsterdã, Holanda. Teve sua quilha batida em 9 de novembro de 1998 e foi batizado e lançado ao mar em 4 de agosto de 1999. No ano seguinte, foi submetido à Mostra de Armamento e incorporado à Armada brasileira em 9 de março.

Por ocasião da largada da Regata Internacional Comemorativa aos 500 Anos do Descobrimento do Brasil, percorreu a Rota do Descobrimento, de Portugal ao Brasil.

Fonte: Agência Brasil

Foto: Comunicação Social da Marinha / Divulgação