Agora, a dose de reforço contra o novo coronavírus pode ser aplicada em todas as pessoas maiores de 18 anos e que tenham tomado a segunda dose há, pelo menos, cinco meses

A partir do próximo sábado (20), os postos de vacinação em todo país estarão preparados para vacinar uma quantidade maior de brasileiros contra a Covid-19. A campanha, que vai até o dia 26 de novembro, será uma mobilização nacional para reforçar a importância de a população completar o ciclo vacinal, ou seja, tomar as duas doses de vacina contra a doença.

O Ministério da Saúde divulgou nesta terça-feira (16), novas orientações a respeito da campanha de vacinação contra a doença por todo o país. A partir de agora, a dose de reforço contra o novo coronavírus pode ser aplicada em todas as pessoas maiores de 18 anos e que tenham tomado a segunda dose há, pelo menos, cinco meses. 

De acordo com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, as pesquisas realizadas em parceria entre a Fundação Oswaldo Cruz e a Universidade de Oxford, na Inglaterra, já apresentaram dados suficientes para que o Governo Federal possa recomendar a aplicação de uma dose extra da vacina contra a Covid-19 e em tempo menor. As informações mostram que o esquema heterólogo – a combinação de vacinas diferentes – aumenta significativamente a imunidade. 

“Graças às informações dos estudos científicos de efetividade [da vacina], nós decidimos ampliar essa dose adicional, dose de reforço, para todos aqueles acima de 18 anos que tenham tomado essa segunda dose a mais de cinco meses. Nós temos doses de vacinas suficientes para garantir que essas vacinas cheguem a todas as 38 Unidades Básicas de Saúde do Brasil”, explicou o ministro. 

Novembro Azul: câncer de próstata também atinge homens jovens

Auxílio Brasil: saiba mais sobre o novo programa social do governo

Além disso, a orientação é de que o reforço seja aplicado, preferencialmente, com a vacina da Pfizer. Na falta desse imunizante, podem ser aplicadas as vacinas Astrazeneca ou Janssen. Anteriormente, essa dose era recomendada apenas para os profissionais de saúde, idosos acima de 60 anos e imunossuprimidos. Desse público, cerca de 11 milhões de brasileiros já tomaram o reforço.

Segundo as informações do Ministério da Saúde, essa é a maior campanha de vacinação da história do Brasil, com mais de 350 milhões de vacinas Covid-19 distribuídas. Mesmo assim, cerca de 21 milhões de pessoas precisam voltar aos postos de vacinação para tomar a segunda dose. Por isso, a campanha de vacinação lançada nesta terça tem o slogan “Proteção pela metade não é proteção”. 

E um dos públicos que está mais atrasado em relação à segunda dose são os jovens, como explica a secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 do Ministério da Saúde, Rosana Melo. “Nós observamos que uma faixa etária mais jovem, dos 25 aos 34 anos, estão perfazendo um quantitativo expressivo de pessoas que não foram tomar a segunda dose. Nós queremos que toda essa população, de fato, tenha seu esquema vacinal completo para se ter os benefícios da proteção”, destacou a secretária. 

Dados da Covid-19

O Brasil registrou mais 4.918 casos e 132 óbitos por Covid-19, de acordo com o balanço mais recente do Ministério da Saúde, nesta terça-feira (16). Desde o início da pandemia, mais de 21.177.367 milhões de brasileiros foram infectados pelo novo coronavírus. 

O Rio de Janeiro ainda é o estado com a maior taxa de letalidade entre as 27 unidades da federação: 5,17%. O índice médio de letalidade do País está em 2,8%. 

Taxa de letalidade nos estados

  • RJ    5,17%
  • SP    3,45%
  • AM    3,22%
  • PE    3,17%
  • MA    2,83%
  • PA    2,80%
  • GO    2,67%
  • AL     2,62%
  • PR    2,60%
  • CE    2,60%
  • MS    2,56%
  • MG    2,54%
  • MT    2,52%
  • RO    2,43%
  • RS    2,42%
  • PI     2,18%
  • BA    2,17%
  • SE    2,17%
  • ES    2,13%
  • PB    2,12%
  • DF    2,10%
  • AC    2,10%
  • RN    1,98%
  • TO    1,70%
  • SC    1,62%
  • AP    1,61%
  • RR    1,60%

Os números têm como base o repasse de dados das Secretarias Estaduais de Saúde ao órgão.

Fonte: Brasil 61

Foto:  Frank Meriño (Pexels)