Como é difícil sermos autênticos, principalmente quando somos cobrados a ser quem não somos para nos encaixarmos em algum determinado padrão.

  Seja ele exigido pela sociedade, pela família.

   E me refiro aos jovens aqui, muitos entram em uma depressão, que poderia ser evitada se suas características fossem respeitadas.

   Não é nada fácil ser jovem, muitos dizem que é a melhor fase da vida, discordo, para muitos é um período de tortura, onde ficam divididos, entre o que são e o que esperam que sejam.

   E isso acarreta para o jovem, e aqui me refiro a ambos os gêneros, uma cobrança interna que pode gerar doenças sérias, só pelo simples fato de terem que se enquadrar em algo que é impossível para ele ou ela.

   E lá se vai aquele ser sem saber muito bem o que fazer.

   Conheço muitas histórias de filhos que seguem as mesmas carreiras de seus pais, por imposição da própria família, e em nenhum momento se é perguntado qual a sua verdadeira vocação.

    Por esse motivo vemos tantos profissionais de várias áreas, insatisfeitos, infelizes em suas carreiras.

   Certa vez conversei com uma moça, que disse ter feito a faculdade que o pai sonhou para ela, mas seu sonho era ser professora. Ela se formou do jeito que a família queria, obedeceu a todas as ordens que lhe foram impostas. No dia da formatura, ela pegou o canudo e entregou ao seu pai dizendo, esta aqui me formei, agora vou seguir meu sonho e vocação. Ela se casou e com o apoio do marido, fez pedagogia e iria atuar na área, enquanto me relatava a história, seus olhos foram ficando brilhantes, conforme me contava o quanto estava feliz por poder lecionar.

     Enfrentar a família ou mesmo o grupo que te apoia nem sempre é possível, mas se tem algo que ninguém nos rouba é nossa autenticidade, o que esta lá no fundo de nossa alma, aquilo que nos move.

     E mesmo que num primeiro momento isso não possa ser feito, acredito que em algum você poderá fazer como a moça a qual relatei a história acima, e quando você contar sua trajetória seus olhos brilharão como os dela brilharam.

     O mais importante aqui é se manter fiel a sua vocação, a sua forma de ver o mundo, as  convicções de um mundo melhor, onde os sonhos possam e devem ser respeitados.

   O filme que me inspirou neste texto foi Space Jam UM NOVO LEGADO, Disney Plus, que conta de forma divertida a história de um super astro do basquete e seu filho, que não gosta do jogo.

Conheça mais sobre Li Couto https://instagram.com/licouto?igshid=2i81a3ty2vr2