Aconteceu nesta terça-feira, dia 31 de Agosto, na Câmara Municipal de Arantina, a Sessão Solene em homenagem aos 40 anos da mulher na Polícia Militar do Estado de Minas Gerais.

Estiveram presentes os vereadores: presidente João Bosco de Sá; o vice-presidente José Roberto de Almeida; o secretário Mickael Vinicius da Silva Nascimento; Cleiton José de Rezende, Giovani Aparecido Pereira, João Batista de Almeida, Maria Ulysses Fernandes Almeida e Robson Lúcio de Almeida Costa. A sessão ainda contou com a presença do prefeito de Arantina, Edimar Luís de Oliveira, a primeira-dama Luceni de Fátima Silva Oliveira, o vice-prefeito Olegário Landim de Carvalho, o Sargento da Polícia Militar José Roberto da Silva, Cabo Josimar Dimas de Andrade e Cabo Mário Henrique de Matos, além de secretários municipais, Dr. Erlei Misael, assessor jurídico da Prefeitura Municipal e comunidade arantinense.

O presidente João Bosco colocou a moção de aplausos em votação, a qual foi aprovada por unanimidade. Na sequência, a vereadora Maria Ulysses entregou a placa de parabenização aos 40 anos da mulher na Polícia Militar do Estado de Minas Gerais ao Cabo Dimas de Andrade, comandante do destacamento de Arantina.

Na moção, os vereadores frisaram que “a figura da mulher passou a ser algo extremamente importante na sociedade atual, onde ela exerce cada vez mais um papel de protagonista, embora ainda sofra com as heranças históricas do sistema social patriarcalista em seu dia a dia”.

Com o tempo, graças às lutas promovidas, a mulher vem conseguindo aumentar o seu espaço nas estruturas sociais, abandonando a figura de mera dona de casa e assumindo postos de trabalho, cargos importantes em empresas e estruturas hierárquicas menos submissas, ou assumindo riscos e resguardando pela vida do cidadão, como no caso das policiais militares.

É importante ressaltar que a mulher exerce papéis na esfera da segurança pública, seja no solo, no ar ou na água. A força feminina se faz presente e atuante no combate ao crime e em defesa dos cidadãos mineiros.

E pensando nisso, o Estado de Minas Gerais, em 1° de setembro do ano de 1981, deu início ao curso de Formação de Sargentos Femininas, as quais estudaram diversas disciplinas, passando ainda por uma formação policial-militar adequada a condição de mulher.

Assim, a criação da Companhia de Polícia Feminina surgiu para diversificar e engrandecer a corporação bem como torná-la mais versátil no sentido de suprir algumas limitações do policiamento, como a necessidade de atuar em ambientes onde só será permitida a entrada de mulheres.

Terminada as homenagens, os vereadores citaram sobre a importância da atuação da mulher na instituição militar e sua ação na contribuição do bem-estar e segurança de toda a comunidade. Concluído os trabalhos, o presidente vereador João Bosco de Sá encerrou a sessão.

Fonte: Câmara Municipal de Arantina

Fotos: Bruno Moraes