Já reparou como é difícil a tarefa de substituir?

   Seja lá o que for, uma casa, um carro, um objeto, um cargo, esse então é um dos mais complicados. Afinal você estará substituindo uma pessoa.

   Tarefa árdua, principalmente porque temos a tendência a nos compararmos ao anterior.

   Começam aquelas cobranças na cabeça, como aquela pessoa faria em meu lugar? Talvez você esteja pensando “Eu não sou assim?!”

   Será, pode ser que para os outros de fora você se mostre forte e confiante, mas lá no fundo, no compartimento secreto, estará toda a sua insegurança em estar ocupando o lugar que fora de outra pessoa.

   Penso que só há uma forma de esse pensamento não o consumir, se você passar a se ver como alguém que apesar de estar ocupando o lugar, cargo que fora de outro, tem suas particularidades e forma de lidar com as coisas, que são só suas.

   Lógico que não irá de imediato mudar toda a rotina que até então era estabelecida, mas com um passinho de cada vez, mostrará que há outras maneiras de fazer, muitas vezes melhores e bem menos complicadas do que as de antes.

   Aos poucos, conforme você vá se adaptando nessa nova função, aos poucos, passará a ter o outro como seu antecessor, alguém que deixou um legado, bom, produziu muito bem durante sua gestão. E que agora as pessoas poderão conhecer seu jeito de fazer as coisas.

   O importante neste momento é ter paciência contigo e com aqueles que estão sob seu comando, eles também terão que se adaptar ao seu jeito.

    Mas como sempre falo por aqui sou uma otimista realista, creio que as mudanças são sempre para melhor, mesmo que num primeiro momento, não consigamos perceber. Mas o mundo esta sempre em constante evolução, temos o dever de nos mantermos atentos a ela, e principalmente não ter o hábito de fidelidade absoluta a tudo do passado.

   Convivi com uma pessoa maravilhosa, de uma simplicidade ímpar, mas também de muita sabedoria. Ela dizia, para aqueles que não querem mudar em nada. “ Porque você não usa areia de rio para lavar a louça? Já que quer viver no passado? Quando éramos jovens não existia bombril”. Já pensou morando em uma metrópole, sair procurando um rio para tirarmos areia para lavar a louça? Que venha o novo, e que seja bom.

   A série que me inspirou neste texto foi “ Falcão e o Soldado Invernal , Disney Plus. Onde conta as aventuras do substituto do Capitão América e a difícil tarefa que é ocupar o posto que fora de outro. Para os que curtem super heróis, como eu, recomendo.

Acompanhe o trabalho da escritora Li Couto em seu instagram @licouto.