Quem era criança em 1983 e cantarolou Aquarela, em mais uma parceria eternizada entre Toquinho e Vinícius de Moraes, ainda pode conferir hoje que as gerações que se seguiram continuam contornando a mão e se dando uma luva. Com dois riscos, um guarda-chuva. A poesia de Antonio Pecci Filho, o Toquinho, resistiu ao tempo, e o músico se manteve versátil e inventivo. Ele completa 75 anos nesta terça (6 de julho)

Em uma  busca no acervo dos veículos da Empresa Brasil de Comunicação, é possível encontrar registros dessa caminhada de mais de cinco décadas de carreira. Um dos exemplos é uma entrevista realizada há três anos pelo programa Fique Ligado, quando Toquinho completou 50 anos de carreira. 

“Quando Aquarela foi lançada, um homem da faixa dos 40 anos tinha 6 ou 7 anos. Os filhos devem ter essa idade também. Isso me ajudou muito”, afirmou. 
 

Assista ao programa da TV Brasil

https://youtube.com/watch?v=r3y-_KdMe4c

Toquinho, na entrevista, reconhece o valor de toda a sua trajetória, e se impõe novos desafios. “Mas eu não vivo de passado. (…) A vida começa agora para mim”. 

Confira o programa

https://youtube.com/watch?v=k1SOtonQg9Y

Por falar nessa trajetória e das parcerias, em 2013, no programa Samba na Gamboa, em uma homenagem ao centenário de Vinícius de Moraes, Diogo Nogueira recebeu Toquinho. O programa resgata a história do músico, suas relações com o violão, e as influências da bossa nova e MPB. “Eu toco como principiante em casa e aprendo todo dia”, afirma. 

É possível ouvir mais da obra de Toquinho nos programas das Rádios EBC: como na playlist do Zuza, no Baú Musical , e no Trilha da História.

Confira também mais sobre Vinícius de Moraes, mentor e parceiro de Toquinho, em reportagem especial da Agência Brasil 

Castro Alves, versos e capoeira


 No mesmo dia de nascimento de Toquinho, é também o de 150 anos da morte precoce do jovem poeta baiano Castro Alves. Ele só tinha 24 anos de idade quando morreu de tuberculose

O programaDe Lá pra Cá, na TV Brasil, em 2011, contou a história do “poeta dos escravos” por defender o abolicionismo.  Castro Alves foi o autor de Espumas Flutuantes, Vozes d’África e Navio Negreiro.  
 https://www.youtube.com/embed/0GVX94n8fJc

Grupo de capoeira do Centro Cultural Sol Nascente da Cidade Satelite de Ceilandia (DF), faz durante aula inaugural do segundo grupo de alunos inscritos no Projovem-DF Foto: Elza Fiúza/ABr

Grupo de capoeira do Centro Cultural Sol Nascente da Cidade Satelite de Ceilandia (DF), faz durante aula inaugural do segundo grupo de alunos inscritos no Projovem-DF Foto: Elza Fiúza/ABr – Elza Fiúza/ABr

Da terra de Castro Alves, uma das manifestações culturais mais praticadas é a capoeira, que tem um dia (5 de julho) para celebração dessa que é patrimônio cultural da humanidade. Para saber mais sobre a capoeira, confira reportagem especial da TV Brasil:
 https://www.youtube.com/embed/gGcJ4DxLxRA4 a 10 de Julho de 2021

Fonte: Agência Brasil

Foto: REUTERS/Gustau Nacarino/Direitos reservadosGeral