“Estou muito ocupado fazendo coisas que eu não preciso, para evitar fazer o que eu preciso fazer de verdade.”

Nobres, a procrastinação pode ser uma inimiga da rotina para quem não consegue fugir dela. O hábito de adiar tarefas, não se programar e deixar para se aprontar nos últimos minutos que antecedem à uma reunião, podem-se transformar em um tremendo transtorno e resultar em grandes perdas para a pessoa que assim o faz.
Para parar de procrastinar, é preciso refletir sobre a real razão do adiamento das tarefas, e utilizar-se de técnicas simples que feitas repetidamente poderão contribuir para que você vença esta prática e adquira mais qualidade de vida. Com base no site “na prática”, segue abaixo

7 passos que irão te orientar a dar um basta à procrastinação:

  1. Dê o primeiro (micro)passo;
    Fazer um pequeno primeiro movimento é uma estratégia apoiada pela ciência para vencer a procrastinação. A dica é, definir uma meta baixa, e completar “micro objetivos” , isso lhe dará uma sensação de realização e servirá como combustível para continuar trabalhando.
  2. Gerencie suas emoções, não apenas seu tempo
    Acreditar que você deve esperar estar com bom humor para fazer algo é uma armadilha que pode levar à procrastinação. Joseph Ferrari, um professor de psicologia na Universidade DePaul, nos Estados Unidos, descobriu que o pensamento “não estou com humor para cumprir X tarefa” pode levar a um ciclo vicioso. Sendo assim, fugir de uma atividade com a desculpa “do humor” é um jeito de regular externamente as emoções. Sejam elas, medo de falhar, de decepcionar os outros, de perder autoestima, de não se sair perfeitamente, etc.
  3. Nomeie o problema: é mesmo procrastinação?
    Esclarecer o que são casos de procrastinação e o que são apenas atrasos, que têm outro sentido, facilita o processo de visualizar a prática e gerenciá-la. Os atrasos podem ter diversos fins, e alguns necessários para aumentar a produtividade. É o caso de quando alguém demora para cumprir uma tarefa a fim de coletar mais informações, ou descansar e
    refrescar a cabeça, por exemplo.
  4. Pratique a procrastinação “estruturada”
    Em 1996, o professor de filosofia de Stanford John Perry apresentou o conceito de “procrastinação estruturada” – sobre o qual também escreveu um livro. Procrastinar com estrutura envolve colocar a tarefa mais urgente e assustadora no topo da lista e acrescentar outras atividades igualmente valiosas, mas que são menos amedrontadoras. O ideal é colocar
    a tarefa mais importante e aproveitar sua vontade de evitá-la para resolver todas as outras
  5. Visualize o seu futuro “eu”
    Para começar, escolha a área em que você mais precisa parar de procrastinar. Então, imagine a si mesmo em uma certa “data limite”. Onde você está? O que vê? Como se sente? Que palavras você lê em um e-mail sobre essa tarefa? Pense sobre essas perguntas e tente se colocar no futuro.
  6. Faça planos que incluam os imprevistos
    Ainda que você se comprometa a não procrastinar, os imprevistos podem acabar com seus planos. No entanto, uma mudança de comportamento pode ser o bastante para prevenir essa situação. Por exemplo: alguém que planeja caminhar até o trabalho pode prever como reagiria se chovesse. Com a chuva, prevê que surgirá a vontade de ir de carro e pode se lembrar de pensar no quanto se sentirá bem depois do exercício, para se motivar. Assim, com o “se então”, você se prepara e evita a autossabotagem.
  7. Evite se repreender
    No fim das contas, os sentimentos negativos funcionam como desmotivadores e impedem que você veja com clareza a situação. Normalizar os seus erros ajuda a controlar as emoções, para que você consiga seguir em frente com suas atividades, e não ficar paralisado pelos sentimentos negativos.

Um abraço, e que você tenha uma excelente semana!Marcos Sipriano é Master Coach, formado pela SBCoaching,
Palestrante, Mentor, e Pastor.
Instagram: @marcossipriano7

Acompanhe o Frente a Frente sobre o conteúdo.