Sejamos como as crianças, que nunca perdem a alegria de viver, mesmo que por algum tempo passem por momentos desconfortáveis. Que nunca deixemos de ser esperançosos, mesmo com dificuldades pelo caminho. Que, assim como as crianças, não percamos a essência da pureza e da inocência.
Devemos aproveitar o hoje sem pensar muito no amanhã, pois o presente é uma dádiva única. Não podemos deixar que o cansaço e a fraqueza nos abale, muito pelo contrário. Que eles nos fortaleça e nos incentive a seguir nossa vida com humildade, simplificidade e honestidade. Exatamente como as crianças, devemos sempre ser verdadeiros para com todas as pessoas, para que também recebamos a verdade, mesmo que não nos simpatizemos com alguém.
Carecemos aprender com as crianças sobre amor e carinho. São elas as maiores doadoras de amor ao próximo neste mundo. As crianças têm o dom e a capacidade de nos ensinar a ser pessoas do bem, capacitadas em amar, ajudar, doar, ensinar e, principalmente, ter empatia. Ai de nós se não existissem crianças!
Assim como um quebra-cabeça faltando peças não faz o menor sentido, também a nossa vida não seria a mesma sem as crianças. Realizando uma comparação, nós, adultos, imperfeitos, somos o quebra-cabeça. As crianças, puras e inocentes, são as peças que nunca poderão faltar para completar o jogo.
Sendo assim, a vida só terá a um verdadeiro significado se soubermos o real valor e a grande importância das crianças e da sua existência no mundo.

Por Larissa Azevedo