FILMES – CRÍTICA – Your Name (No original: Kimi no Na Wa) (2016)

Uma obra prima emocionante e de Makoto Shinkai. Conta com um enredo simplesmente fantástico, emocionante, muito surpreendente e com uma premissa muito interessante. Os personagens são muito cativantes e bem desenvolvidos, e a dublagem em português do Brasil ajuda muito, com destaque para os protagonistas Taki Tachibana e Mistuha Miyamizu, dublados respectivamente por Ítalo Luiz e Michelle Giudice. A direção de Makoto Shinkai é impecável e muito linda, aliada à animação excelente e a trilha sonora sensacional, constrói uma obra que transmite muitos sentimentos ao espectador, tanto
visualmente quanto pelo áudio. Conclusão: Um filme fantástico e memorável, um dos melhores filmes animadores japoneses que eu já vi. Dou 10 de 10 para Your Name.

SÉRIE – CRÍTICA – Sons of Anarchy- 1ª Temporada (2008)

Um excelente início para uma das séries mais aclamadas do canal FX. Conta com um enredo excelente, estabelecendo muito bem o universo criado por Kurt Sutter, e pode parecer chato no início mas fica muito envolvente mesmo à partir do terceiro episódio e te prende até o final, que por sinal é um final de temporada muito bom. As atuações são incríveis, destaco Charlie Hunnam como Jax Teller, Ron Perlman como Clay Morrow e principalmente Katey Sagal como Gemma Teller. A trilha sonora é impecável, já começando muito bem com a música de abertura, This Life de Curtis Stigers e The Forest Rangers, uma música sensacional e que combina muito com o clima da série e a qualidade dos episódios é constante, não tem um episódio ruim ou fraco nessa temporada, todos são muito bons e envolventes. Conclusão: Iniciando a série de forma excelente, a primeira temporada de Sons of Anarchy é um exemplo de como se iniciar uma história de uma forma marcante. Dou 9 de 10 para Sons of Anarchy (1ª Temporada).

JOGOS – CRÍTICA – Jak II (2003)

Uma mudança enorme de clima e tema da franquia gerou um jogo muito mais interessante e divertido que o anterior. Conta com um enredo excelente, que já no começo joga todo o clima alegre e infantil do primeiro pela janela e nos coloca novamente na pele de Jak, que agora fala, em uma história mais sombria e pesada que o primeiro jogo. A jogabilidade é ótima, a principal mudança é que o jogo deixou de ser um simples jogo de plataforma e virou um jogo de tiro em terceira pessoa em mundo aberto muito divertido e dinâmico, embora muitas missões sejam quase injustas com o jogador por terem Checkpoints muito mal posicionados. A trilha sonora é muito boa, a ambientação é fantástica e combina com o clima mais dark do jogo e os gráficos tiveram uma evolução bem grande do anterior, nem parecendo que foi lançado só 2 anos após
ele. Conclusão: Uma sequência que supera o original e deixa um gancho criativo muito bom para o próximo. Dou 9 de 10 para Jak II.

Netto Lage – Francisco Bernardes Lage Netto, estudante (18), cursando Jornalismo na Universidade de Franca, gamer, cinéfilo, autodidata. Desde a infância é apaixonado por filmes, séries e jogos. Com o tempo, sentiu necessidade de extravasar e registrar a sua opinião. Inspirado pelo youtuber Carlo Chim, iniciou suas críticas, sempre postadas em seu perfil no Instagram. O mundo do cinema o fascina, e tem como objetivo profissional, atuar em algum dos diversos segmentos que
essa área oferece.