Em São Lourenço, a secretaria de Desenvolvimento Social vem trabalhando continuamente a fim de que os serviços e ações realizadas não sejam interrompidas pela pandemia e que novos projetos surjam em virtude deste momento. À frente da pasta está Marcel Carvalho dos Santos, bacharel em Direito.

Marcel Carvalho dos Santos, responsável pela pasta

Em entrevista ao JORNAL PANORAMA, Marcel explicou as principais ações do município na área, especialmente no combate à pandemia da covid-19. “Nesse período de pandemia ela acaba sendo uma secretaria muito importante porque os impactos afetaram e muito as famílias, levando muitas pessoas à situação de vulnerabilidade social; muitas pessoas ficaram desempregadas e isso gerou um desafio ainda maior. A secretaria é muito importante mas a nossa responsabilidade dobrou devido à pandemia”, afirmou. Ainda sobre o momento difícil da pandemia, afirmou que o prefeito Walter Lessa determinou que mais famílias fossem ajudadas pela secretaria. “O prefeito determinou que dobrássemos o número de famílias atendidas com o Benefício Eventual da Cesta Básica de alimentação, tendo em vista o aumento do desemprego e as restrições que se fizeram necessárias nesse período. Ele ordenou que passássemos a atender 300 famílias por mês com alimentação”, disse Marcel.

A primeira ação de impacto da pasta foi lidar com a grande número de pessoas em situação de rua em São Lourenço. “Pegamos a cidade com alto índice de moradores de rua. Havia 17 pessoas morando na Ilha Antônio Dutra e fizemos um trabalho efetivo com a equipe de abordagem social convencendo essas pessoas. Quem queria tratamento, encaminhamos para tratamento, buscamos parcerias com clínicas de reabilitação desde o primeiro dia, e os efeitos já estão aí”, disse, afirmando que a mudança já é perceptível. “Acho que a população está notando. A população de rua caiu drasticamente; as praças estavam tomadas de moradores de rua, muitos deles aceitaram tratamento, os que são da cidade aceitaram, estão bem. Alguns voltaram para suas famílias, fizemos uma busca ativa. Esse foi um desafio que a gente enfrentou, era uma demanda antiga da população”, disse.

Arrecadação de alimentos em campanha (Foto: reprodução/ Prefeitura de São Lourenço)

Outra importante ação feita pela secretaria foi a arrecadação de alimentos feita em parceria com uma emissora de TV e um supermercado local. “Conseguimos arrecadar 7,5 toneladas e conseguimos atender 450 famílias a mais com alimentação. Também conseguimos ajudar 10 instituições com alimentos. Todas as instituições que prestam serviço de relevância social na cidade foram atendidas de forma igualitária”, informou o secretário Marcel.

Auxílio emergencial

Um projeto que vem chamando a atenção não só dos cidadãos lourencianos mas de toda região é o auxílio emergencial. De acordo com Marcel, o auxílio foi uma iniciativa do prefeito Lessa e a secretaria de Desenvolvimento Social ficou responsável pela operacionalização. “São 1350 vagas, 1350 famílias podem ser atendidas e o único requisito é que não esteja recebendo o auxílio do Governo Federal e estar desempregada. A pessoa cumprindo esses dois requisitos, tem uma lista de documentos e as pessoas podem se inscrever para receber esses R$ 300 divididos em 2 parcelas de R$ 150”, explicou.

E ainda deu detalhes de como esse valor poderá ser usado. “Esse valor só poderá ser utilizado em alimentação. Será um cartão magnético, um cartão vale-alimentação, que só poderá ser utilizado em supermercados e mercearias com produtos do gênero alimentício, para que não haja desvio de fim, uma vez que esse valor visa garantir a segurança alimentar das famílias. O município está entrando com R$ 245 mil, em uma parceria com a Câmara Municipal, que devolveu R$ 160 mil ao município, totalizando R$ 405 mil que vão ser destinados ao auxílio emergencial”, esclareceu.

Quem deseja fazer sua inscrição para o programa, basta procurar o Projeto Crer-Ser, na Rua Eugênio Bacci 98, próximo ao Hospital de São Lourenço. As inscrições podem ser feitas até o dia 28 de maio.

Novos horizontes

Por meio da secretaria de Desenvolvimento Social, a prefeitura de São Lourenço busca, em breve, reativar o albergue municipal. “O município não administra ele há mais de 12 anos, hoje dependemos de parcerias. Mas agora, vamos fazer uma reforma ainda esse ano no prédio, vamos fazer já a licitação, uma reforma para atender a população de rua. É uma responsabilidade do Poder Público e a gente não pode se eximir dessa responsabilidade”, disse. E o albergue terá uma novidade na região: atenderá mulheres. “Esse albergue foi planejado para atender não só homens, como mulheres também: teremos uma ala feminina. Nenhuma instituição recebe mulheres em situação de rua na nossa cidade e até mesmo em nossa região. A ala feminina terá capacidade para 10 mulheres e ala masculina terá capacidade para 20 homens. Iremos tirar a pessoa na rua e fazer o primeiro atendimento no albergue; teremos uma equipe multidisciplinar para isso. A primeira coisa é tirar a pessoa da rua, levar pra tomar um banho, trocar a roupa, ter uma alimentação digna… E a gente vai manter ele até que possamos dar um encaminhamento correto, ou seja, para um centro de reabilitação, de volta para a família ou para sua cidade de origem. Vamos tentar destinar essas pessoas e não só deixar passar a noite e ir embora. Vamos fazer um trabalho a fundo mesmo”, informou Marcel.

Outra novidade é a nova unidade municipal de acolhimento para menores. O espaço atual acolhe 25 crianças e adolescentes que tiveram seus direitos violados. “O prefeito também determinou que déssemos um lar mais digno para essas crianças, que acredito será de relevância nacional, e daqui uns 2 meses eles já devem estar nesse novo lar. O novo espaço irá atender 30 crianças e adolescentes”, disse. Marcel também conta que as crianças estão sempre em constante atividade.  “Temos muitas parcerias com instituições privadas e eles fazem passeios, fazem oficias de teatro, balé e informática no Projeto Crer Ser, fazem aula de natação na secretaria de Esportes, aula de judô, jiu-jitsu e estudam. Eles têm tarefas constantes”, contou. Sobre o trabalho realizado, Marcelo conta que assistentes sociais acompanham as crianças constantemente e que o primeiro objetivo é que elas retornem para suas famílias. “Eles são acompanhados pela assistente social do judiciário e pelo CREAS, e às vezes tentamos fazer um trabalho com as próprias famílias; quando não é o caso, são encaminhados para adoção. Caso o problema seja sanado e há a possibilidade, eles retornam às famílias. Todas as tentativas são de que elas possam retornar às próprias famílias”, explicou.

Geração de empregos

Aumentar a oferta de empregos no município é também um objetivo da secretaria. Parcerias com empresas locais e da região foram feitas visando a geração de fonte de renda para as famílias em vulnerabilidade. “Fortalecemos parceria com algumas empresas que não ofertavam vagas de emprego antes através do Sine e a gente conseguiu ampliar as nossas parcerias. Hoje, acredito que conseguimos fazer parcerias com umas 39 empresas da cidade e da região. Estamos priorizando as pessoas que são atendidas nos CRAS, que as vezes não tem condições de fazer um currículo – a gente dá uma orientação, temos uma equipe multidisciplinar com psicólogos e assistentes sociais para ajudar na elaboração do currículo e encaminhando eles e dando prioridade pra essas famílias em situação de vulnerabilidade e encaminhando para a rede Sine. Assim, podemos tirar essas pessoas dessa situação e podemos ajudar mais pessoas. É muito importante essa recolocação no mercado de trabalho para que as famílias tenham uma vida mais digna e que dê lugar a outra família que também precisa de ajuda”, disse Marcel.

Humanização do atendimento

A secretaria de Desenvolvimento Social vem buscando também humanizar cada vez mais o atendimento aos usuários dos serviços ofertados pela pasta. “Uma das coisas que prezamos é implantar um sistema de humanização do atendimento. As pessoas que procuram o serviço público é porque precisam, então estamos fazendo um trabalho muito bacana nesse sentido, de humanização no atendimento, receber bem a pessoa, procurando ajudar mesmo. Às vezes a pessoa vem com um problema e acabamos descobrindo outro. As pessoas às vezes têm a ideia de que o serviço social é só distribuir cesta básica, é um serviço muito mais amplo do que isso. É uma secretaria muito grande, temos quase 100 funcionários hoje. O desenvolvimento social vai muito além”, explicou. “Nossa maior mudança foi na forma de atendimento e na capacitação, conscientização da nossa equipe profissional para seguir as novas diretrizes. A equipe abraçou”, disse.

Carro recebido pela secretaria em fevereiro de 2021 (Foto: reprodução/ Prefeitura de São Lourenço)

Sobre a estruturação da secretaria, a pasta tem comprado novos mobiliários e novos veículos 0km, meios que valorizam e dão mais segurança para o trabalho da equipe e dos usuários.

E os projetos da secretaria não param. De acordo com Marcel, uma nova campanha do agasalho será promovida no município, em parceria com uma emissora de TV. “Vamos ter pontos de coleta que vão ser divulgados e as pessoas podem doar cobertores e roupas de frio. Vamos ter também sistema drive thru na Ilha Antônio Dutra no dia 12 de junho, das 8h às 17h”, anunciou.

“Todas as ações são acompanhadas pelo prefeito, a gente tem ótima relação e muito apoio dele. Ele apoia todas as ações sociais E acompanha de perto os trabalhos da secretaria. Gostaria de deixar meu agradecimento a ele pelo apoio e confiança”, finaliza Marcel, em agradecimento ao prefeito Lessa.