O município de São Vicente de Minas ainda não aderiu à onda roxa proposta pelo governo de Minas Gerais, que impõe medidas mais restritivas, na tentativa de conter o aumento na transmissão da COVID-19.

A avaliação é que, por enquanto, o município não apresenta índices alarmantes de contaminação que justifiquem a adoção de limitações tão intensas ao funcionamento das empresas locais e que possam trazer sérios prejuízos aos empreendimentos, afetando, diretamente, a sobrevivência das famílias dos trabalhadores.

Portanto, estão equivocadas as notícias divulgadas em veículos de comunicação e sites de notícia que informam sobre a adesão de São Vicente à onda roxa. A informação teria sido divulgada pela Macrorregional de Saúde.

 A prefeitura vai marcar reunião com representantes das empresas e do Hospital São Vicente de Paulo para discutir a situação e definir quais as as novas medidas a serem adotadas.

Embora o governo de Minas Gerais entenda que a onda roxa seja obrigatória, mesmo que o município não tenha aderido ao Minas Consciente, uma decisão do Supremo Tribunal Federal  (STF) deu autonomia às cidades para definir suas próprias políticas públicas de saúde no enfrentamento à pandemia.

A onda roxa institui medidas ainda mais restritivas, que incluem o toque de recolher, proíbem a circulação de pessoas com sintomas de gripe e permitem apenas o funcionamento de serviços considerados essenciais.

Porém, São Vicente de Minas já adota grande parte dessas medidas, como toque de recolher entre 20h e 6h e o funcionamento somente de serviços considerados essenciais.

Desde o início da pandemia, a prefeitura adota medidas que vão além das propostas pela onda roxa: aquisição de novos respiradores e uma UTI Móvel, parcerias com empresas, melhorias no Hospital São Vicente de Paulo, desinfecção periódica das ruas e de outros espaços públicos, divulgação de ações de prevenção no caminhão de lixo, visitas aos estabelecimentos e suporte total a todos os pacientes com COVID-19.

A prefeitura mantém, de forma permanente, as ações de fiscalização e orientação junto às empresas por servidores municipais, com apoio da Polícia Militar.

MAIS TRANSPARÊNCIA

A administração municipal vai ainda lançar a nova apresentação do boletim epidemiológico e o vacinômetro, com os números relativos à aplicação da vacina contra a COVID-19.

O objetivo é mostrar de forma mais clara como está a evolução da doença em nossa cidade e detalhar as informações sobre a imunização.

Porém, nenhuma medida tomada pela prefeitura terá sucesso se não houver adesão dos vicencianos. É fundamental higienizar as mãos com freqüência, não realizar festas e permanecer em casa o máximo que for possível.

Se for mesmo necessário sair, é obrigatório usar a máscara de proteção e manter a distância mínima das outras pessoas.

Fonte: Assessoria de comunicação da Prefeitura de São Vicente de Minas