Interessante, é o que me vem a mente, quando penso no significado dessa palavra. Se você a tem em excesso é considerado otimista demais; se a tem de forma comedida é considerado pessimista.

   Mas, convenhamos, uma dose de confiança faz toda a diferença, na vida de qualquer um. Devo admitir que não é uma tarefa lá muito fácil, para confiarmos precisamos ter uma entrega. E quem em sã consciência, confia plenamente em algo ou alguém?!

   Todavia, sem confiar, nem que seja um pouquinho, não levantaríamos da cama todas as manhãs. Você pode estar pensando, “não sou uma pessoa confiante”; garanto a você, que é, só o fato de estar aqui, neste instante, lendo esse texto, refletindo sobre as palavras escritas nele, já é um ato de confiança.

   Agora meu maior sonho de consumo, é ser uma confiante de carteirinha, daquelas pessoas que se jogam nas mais atrevidas aventuras , mesmo que nada dê certo. A única premissa que irá pairar na mente será, tentei; só isso já basta.

  Numa sociedade que teve sua base na desconfiança, na competitividade, ser confiante é um ato de bravura, mas acredito que para haver mudanças é, necessário quebrar paradigmas, então vamos a cada dia, um passinho por vez, treinar a confiança, comecemos por coisas pequenas, depois vamos aumentando a dose, gota a gota, até que como num passe de mágica, passemos a ter posturas melhores, pensamentos melhores, resultados melhores.

   Afinal sem confiar, como podemos colher bons frutos, o agricultor precisa confiar na terra, o violeiro em seus dedos, o cantor em sua voz.

   E você? Qual é o Dom que você confia e usa no seu dia a dia, sem nem ao menos se dar conta? Pare e observe, se surpreenderá com sua habilidade,  para outra pessoa pode ser difícil fazer o que você faz.

   Termino este texto desejando a você, uma dose de confiança, para os anos que

virão pela frente.

   A série que me inspirou neste texto foi Emily em Paris, Netflix, uma comédia romântica, com toques de humor ácidos,  uma interpretação única de Lili Collins, que é uma americana, que vai trabalhar em Paris, além da linda paisagem parisiense, ainda tem a critica de costumes americanos e franceses.

   O que mais me chamou a atenção é a confiança que ela tem em si mesma, mesmo com uma chefe que a trata com desdém, se mantém fiel aos seus princípios ,suas habilidades e mostra que podemos mesclar costumes sem perder a originalidade, vale a pena conferir.

Por Li Couto

Conheça mais sobre o trabalho de Li Couto em seu Instagram