O gesto de nos colocarmos no lugar do outro exige de nós grandes doses de compaixão, associadas ao amor para com o próximo e à humildade.
Ter empatia é muito mais que somente nos posicionarmos na situação em que uma outra pessoa esteja vivenciando. Ser empático é também nos sentirmos comovidos e, através de atitudes altruístas, sermos dispostos a ajudar àqueles que estejam necessitando de apoio, consolo e até mesmo de carinho.
A empatia é essencialmente construída quando nos sentimos prazerosos com o momento de felicidade que alguém esteja vivendo. Além disso, ela é extremamente importante em ocasiões em que esteja ocorrendo algum tipo de desgaste ou conflito, tanto físico como mental, emocional e espiritual.
Constantemente devemos nos sensibilizar e nos mobilizar com tudo aquilo que interfere no bem-estar de um ser humano. É de fundamental relevância que saibamos o real valor da atenção, do carisma e da compreensão dos sentimentos do próximo. 

Atualmente muitos princípios vêm se perdendo em toda a humanidade, em especial a empatia. Esta é uma índole que jamais deverá ser esquecida, pois é ela quem nos atrai e nos leva a sermos pessoas cada vez melhores, humildes, compassivas, solícitas e cuidadosas para com todo o mundo.
Portanto, idealizando atitudes e sentimentos como esses, certamente seremos mais humanos e benevolentes, além de adquirirmos diversos conhecimentos e variadas experiências, frutos da melhor convivência entre todos os povos na terra existentes.

Autoria: Larissa Azevedo