FILMES – CRÍTICA 1

FILME BLADE RUNNER (1982)

Blade Runner- O Caçador de Androides. Um filme à frente de seu tempo, que influencia inúmeras obras até hoje. Conta com um enredo fantástico e cheio de momentos marcantes, personagens memoráveis e muitas passagens interpretativas e filosóficas muito bem construídas. As atuações são incríveis, Harrison Ford como Rick Deckard está muito bem, mas o destaque mesmo é Rutger Hauer como Roy Batty, um personagem simplesmente fantástico e muito profundo. A ambientação é impecável e serviu de inspiração para inúmeras obras do estilo Cyberpunk até hoje, sendo um futurista bem mais “sujo” e poluído. A trilha sonora é ótima embora um pouco ausente, os efeitos especiais impressionam até hoje em dia e a direção de Ridley Scott é sensacional, com tomadas muito bem feitas e que dão um ar contemplativo a muitas cenas. Conclusão: Um dos melhores e mais influentes filmes de ficção científica da história. Dou 10 de 10 para Blade Runner – O Caçador de Andróides.

SÉRIES – CRITICA 1

SMALLVILLE – PRIMEIRA TEMPORADA (2001/2002)

A série mais longa de Super Heróis tem um excelente e envolvente início. Conta com um enredo ótimo, contando a história do Superman ainda jovem aprendendo a lidar com seus poderes, e é algo muito bom de se assistir porque o ritmo envolve e cada episódio é interessante e desenvolve muito bem os personagens. As atuações são muito boas, destacando Tom Welling como Clark Kent e Michael Rosenbaum como o melhor Lex Luthor que eu já vi em uma obra audiovisual do Superman, é bem divertido e surpreendente de se acompanhar a amizade de Lex e Clark. A trilha sonora é excelente e muito bem escolhida, principalmente a música da abertura, Save Me de Remy Zero, que com certeza marcou a infância de muita gente, e os efeitos especiais são bons para a época e funcionam bem, considerando que a série se iniciou em 2001 e não tinha o orçamento de um filme. Conclusão: Um excelente início para a série mais bem-sucedida do Superman (e talvez de Super Heróis) até hoje. Dou 9 de 10 para Smallville (1a Temporada).

GAME – CRÍTICA 1

GAME SLEEPING DOGS (2014)

Sleeping Dogs, versão remasterizada para o PlayStation 4. Um dos jogos de mundo aberto mais divertidos e subestimados da geração do PS3 e Xbox 360. Analisando como um jogo, ele conta com um bom enredo, é a clássica história de um policial infiltrado que tenta acabar com uma organização criminosa e acaba se envolvendo mais do que deveria, nada muito surpreendente nem impressionante, é simples mas funciona bem e tem bons personagens, momentos intensos, é envolvente e tem boas sequências de ação. A jogabilidade é excelente e muito divertida, dou destaque ao sistema de combate do jogo que é viciante e que você sente os socos e chutes em cada momento, e o mundo aberto do jogo tem uma boa variedade de coisas a se fazer. O único ponto negativo é a direção dos carros, já que eles não têm uma física tão realista e acabam sendo um pouco difíceis de controlar, principalmente no início. A trilha sonora é ótima, os gráficos são bonitos e a ambientação é bem feita e construída, você se sente em Hong Kong quando joga e isso é muito bom. Analisando como uma versão remasterizada, não é uma das melhores porque quase não se percebe as mudanças, só o aumento da resolução de 720p para 1080p e a inclusão de todas as DLCs, mas não houve mudanças tão perceptíveis e nem legendas em português do Brasil. Conclusão: Um ótimo jogo que passou batido por muita gente. Recomendado a todos que gostam de um bom jogo de mundo aberto. Dou 8 de 10 para Sleeping Dogs Definitive Edition.

Netto Lage – Francisco Bernardes Lage Netto, estudante (17), gamer, cinéfilo, autodidata.

Desde a infância é apaixonado por filmes, séries e jogos. Com o tempo, sentiu necessidade de extravasar e registrar a sua opinião. Inspirado pelo youtuber Carlo Chim, iniciou suas críticas, sempre postadas em seu perfil no Instagram. O mundo do cinema o fascina, e tem como objetivo profissional, atuar em algum dos diversos segmentos que essa área oferece.